Gariam

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gariam

ريان

—  Cidade  —
Vista panorâmica de Gariam
Vista panorâmica de Gariam
Gariam na década de 1940
Gariam na década de 1940
Gariam está localizado em: Líbia
Gariam
Localização de Gariam
Coordenadas 32° 10' 11" N 13° 01' E
País  Líbia
Região Tripolitânia
Distrito Jabal Algarbi
População (2012)
 - Total 39 062[1]
Fuso horário EET (UTC+2)

Gariam (em árabe: ريان; transl.: Gharyan) é uma cidade do noroeste da Líbia, no distrito de Jabal Algarbi. Entre 1963 e 1969, foi capital de uma província (mohafazah) chamada Jabal Algarbi, cujo nome foi alterado em 1969 para Gariam e que continuou a existir até 1983. Em 1983, com a reorganização da Líbia, foi capital de municipalidade (baladia) homônima que existiu entre 1983 e 1995, quando nova reforma foi feita e ela passa a ser capital da municipalidade de Jabal Algarbi. Em 1998, criou-se o distrito (shabiyah) de Gariam, do qual era capital e em 2001, quando Gariam foi transformado numa municipalidade, continuou com sua capital. Desde 2002, é capital do distrito de Jabal Algarbi.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Gariam é uma das maiores cidades das montanhas Ocidentais e serviu como uma das rotas comerciais em direção a Fezã no sul e os montes Nafusa a oeste. Cerca de 1884, o Império Otomano estabeleceu um prefeito e um conselho civil em Gariam.[3] Ela foi o principal centro da colonização italiana da Líbia no começo da década de 1910. Após a Guerra ítalo-turca (1911–12) e a derrota otomana, os locais continuaram a resistir ao avanço italiano, porém Gariam caiu aos italianos em dezembro de 1912. Apesar disso, foi recapturada num contra-ataque em julho de 1913. Mais adiante, ela foi ligada a Trípoli e Mizda. A moagem de farinha, o processo de azeite, a tecelagem de tapetes e a produção cerâmica são suas principais atividades econômicas.[4]

Em 2011, a cidade envolveu-se no movimento de posição a Muamar Gadafi. Inicialmente teve sucesso, mas em 2 de março o governo retomou-a.[5] Em abril os rebeldes conseguiram ocupar várias cidades vizinhas e estabelecer um território na Líbia Ocidental além de Misurata que não mais estava sob controle das forças de Gadafi, mas até final de junho os rebeldes falharam em retomar Gariam.[6] Em 13 de agosto, os rebeldes iniciaram novo conflito pelo controle da cidade, conseguindo capturá-la em dois dias.[7] Em 2014, na subsequente guerra civil que se instalou no país, combates foram travados perto de Gariam.[8]

Educação[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2017, com a divisão da Universidade da Montanha Ocidental em duas e a subsequente criação das Universidades de Gariam e Zintane, várias universidades locais ficaram sob sua jurisdição: as Faculdades de Medicina Humana, Ciências da Saúde, Ciências, Educação, Direito e Ciência Política, Medicina e Cirurgia Dental, Engenharia, Contabilidade, Artes, Farmácia, Educação Física e Tecnologia da Informação, todas de Gariam; a Faculdade de Artes e Ciências de Mizda; a Faculdade de Educação de Cicla; a Faculdade de Artes e Ciência de Alsgega; a Faculdade de Artes e Ciência de Badir; e as Faculdades de Artes, Ciências e Educação de Assaba.[9]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Anderson, Lisa (1984). «Nineteenth-Century Reform in Ottoman Libya». International Journal of Middle East Studies. 16 (3): 325–348