Gilberto Ferrez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gilberto Ferrez (1908-2000) foi um historiador brasileiro. Neto do fotógrafo Marc Ferrez, a sua obra concentra-se na história da iconografia brasileira, mas ele também desempenhou papel fundamental no tombamento e na restauração de bens culturais brasileiros, na qualidade de conselheiro do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Dois exemplos marcantes da importância de sua intervenção pessoal são o Paço Imperial (prédio de enorme valor simbólico e histórico, posto que foi sede do governo colonial português e do imperial brasileiro), e o Pão de Açúcar, ícone maior da paisagem carioca — quiçá do Brasil como um todo — que a cupidez inescrupulosa pretendia transformar em pedra britada.[1]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FERREZ, Gilberto. O Rio de Janeiro e a defesa do seu porto (1555-1800). Rio de Janeiro: Serviço de Documentação Geral da Marinha, 1972.
  • FERREZ, Gilberto. Raras e preciosas vistas e panoramas do Recife (1755-1855). Rio de Janeiro: Fundação Nacional Pró-Memória, 1984.
  • FERREZ, Gilberto. Bahia: velhas fotografias (1858-1900). Rio de Janeiro: Kosmos Ed., 1989. il. mapas.
  • FERREZ, Gilberto. Iconografia do Rio de Janeiro (1530-1890) (2 vols.). Casa Jorge Editorial.
  • FERREZ, Gilberto. O velho Rio de Janeiro através das gravuras de Thomas Ender. Edições Melhoramentos, s.d. il. mapas

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. http://www.revistadehistoria.com.br/secao/reportagem/gilberto-ferrez-o-personagem