Guilherme VIII da Aquitânia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guilherme VIII
Duque da Aquitânia
Tumba de Guilherme VIII da Aquitânia
 
Cônjuge Garsende de Périgord,
Matilde de La Marche,
Hildegarda da Borgonha
Casa Ramnulfides
Nascimento 1024
Morte 25 de setembro de 1086 (62 anos)
Chizé
Pai Guilherme V da Aquitânia
Mãe Inês da Borgonha

Guilherme VIII da Aquitânia (Castelo de Chizé,[1] 102425 de Setembro de 1086) foi também duque da Gasconha e conde de Poitiers (como Guilherme VI).

Foi filho de Guilherme V da Aquitânia e de sua terceira esposa Inês da Borgonha, filha de Otão-Guilherme da Borgonha, duque da Borgonha.

Batizado com o nome de Guido, era chamado de Guido-Godofredo (em francês: Gui-Geoffrei) por referência a seu padrasto Godofredo II Martel. Em 1058, após a morte de seu irmão Guilherme VII, ele sucedeu-o nos títulos de Duque da Aquitânia e Conde de Poitiers. Para tomar posse de Poitou mudou seu nome para Guilherme, sendo então o VIII da Aquitânia e o VI de Poitou.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Casou-se três vezes, a primeira em janeiro de 1044 com Garsenda de Périgord, que lhe deu como dote o direito ao ducado da Gasconha. Não tiveram filhos. Ele a repudiou em 1058.

Do segundo casamento, com Matilde de La Marche, de quem se separou em 1068 teve uma filha:

  1. Inês, que se casou com Afonso VI de Castela, porém não tiveram filhos.

Do terceiro casamento, em 1069 com Hildegarda da Borgonha, filha de Roberto I, Duque da Borgonha, teve:

  1. Hugo
  2. Guilherme IX da Aquitânia O Trovador, que foi Duque da Aquitânia e casado quatro vezes, a primeira com Ermengarda de Anjou, a segunda com Mahaut-Philippa de Toulouse, a terceira com Maubergeonne de L'Isle-Bouchard e a quarta com Berta.
  3. Inês, que se casou com Pedro I de Aragão.
  4. Beatriz, que pode ter sido a quinta esposa de Afonso VI de Castela, sem descendência.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gilles Bernard et. al., Histoire du Poitou et des pays charentais: Deux-Sèvres, Vienne, Charente, Clermont-Ferrand, Borée, 2001.

Referências

  1. Élisabeth Carpentier y Georges Pon, «Le récit de la fondation de l’abbaye de Montierneuf de Poitiers par Guillaume VIII: la chronique clunisienne du moine Martin», Cahiers de civilisation médiévale, Xe-XIIe siècles, Centre d'études supérieures de civilisation médiévale, n.º 51, 2008, enero-marzo, pág. 27.