Hagnão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Hagnão, filho de Nícias[1] ou de um estrangeiro de Ceos[2], foi um general ateniense da época da Guerra do Peloponeso.

Ele foi o fundador da cidade de Anfípolis, colônia ateniense na Trácia[1]. A duas primeiras tentativas de fundar uma colônia grega na região, por Aristágoras de Mileto, e, trinta e dois anos depois, pelos atenienses, foram destruídas pelos edonians, povo local[1]. Vinte e nove anos depois, os atenienses voltaram e fundaram uma colônia no local chamado Ennea Hodoi, ou Nove Caminhos, e que foi denominada de Anfípolis por Hagnão[1].

No ano da morte de Péricles,[3] Hagnão comandou o assalto contra Potideia,[4] que foi uma das primeiras cidades a passar para o lado dos lacedemônios.[5] Depois de perder mais de mil homens em tentativas sem sucesso de tomar a cidade, Hagnão voltou para Atenas, deixando porém a cidade em sítio.[6] Os habitantes, cansados e com fome, negociaram sua rendição: pelo acordo, eles poderiam sair da cidade, os homens levando uma roupa, e as mulheres duas;[7] eles então passaram a habitar a Calcídia, na Trácia, e mil cidadãos atenienses passaram a ocupar Potideia como colonos.[8]

Ele foi o pai de Terâmenes[2][9], um dos Trinta Tiranos.

Referências

  1. a b c d Tucídides, História da Guerra do Peloponeso, Livro IV, 102
  2. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Nícias, 2.1
  3. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XII, 46.1
  4. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XII, 46.2
  5. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XII, 46.4
  6. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XII, 46.5
  7. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XII, 46.6
  8. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro XII, 46.7
  9. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Nícias, 14.5