Heinrich Moser

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Heinrich Moser Heinrich Moser foi um artista alemão que ficou conhecido pelos famosos vitrais no nordeste brasileiro.


H. Moser ficou conhecido por seus trabalhos em vitrais, mas dominava também a pintura, a escultura, assim como a arquitetura.[1]Sua atuação como artista gráfico [2] é pouco conhecida, porém bastante significativa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Munique em 1886 e capacitado em duas escolas de artes, chega ao Recife em 1910.

Obra[editar | editar código-fonte]

H. Moser ficou conhecido pelos diversos vitrais sacros e profanos, pinturas em tetos de igreja, em telas, em azulejos, além de sua atuação como escultor e arquiteto. No Recife criou renomados vitrais como um grandioso vitral triplo, no Tribunal de Justiça, no Clube Internacional do Recife, na Matriz das Graças, na Matriz da Boa Vista, além de diversos vitrais profanos em residências, como era costume na época. Na arte sacra não se restringiu aos vitrais, decorando tetos de igrejas com pinturas, esculpiu santos, alteres-mor entre outros. Passou seu conhecimento à artistas como Lula Cardoso Ayres, Aurora Lima e Nenah Boxwell [1]

Sua atuação como artista gráfico é pouco conhecida, porém bastante significativa criando imagens ilustradas para periódicos, livros, catálogos entre outros. [2].[3]


Junto com outros artistas pernambucanos, H. Moser fundou a Escola de Belas Artes do Recife (EBA), posteriormente é unificada à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Morte[editar | editar código-fonte]

Faleceu no Recife em 1947 deixando uma contribuição relevante para a arte e cultura pernambucana.

Referências

  1. a b WEBER, Ângela T. Moser: um artista alemão no nordeste. Recife: Poll, 1987.
  2. a b LÓCIO, L. M. (2018). Heinrich Moser: memória gráfica através das capas da Revista de Pernambuco. 215 f. Dissertação (Mestrado em Design) Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
  3. LÓCIO, Leopoldina. Artes Gráficas Pernambucanas, 2020. <www.artemoser.com>