Heterossemântico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Os falsos amigos (ou heterossemânticos) são palavras em dois idiomas que parecem ou soam semelhantes, mas diferem significativamente no significado. Um exemplo é o português embaraçado e o espanhol embarazada (que significa grávida ), ou a ninho em português e o espanhol niño (que significa criança).

O termo origina-se de um livro de linguistas franceses descrevendo o fenômeno, que foi traduzido para o ingls em 1928, e intitulado "falso amigo de um tradutor".

Além de produzir amigos completamente falsos, o uso de empréstimos geralmente resulta no uso de uma palavra em um contexto restrito, que pode então desenvolver novos significados que não são encontrados no idioma original. Por exemplo, angústia significa "medo" em um sentido geral (assim como "ansiedade") em alemão, mas quando foi emprestada para o inglês no contexto da psicologia, seu significado foi restrito a um tipo particular de medo descrito como "um sentimento neurótico de ansiedade e depressão ". [1]

No Brasil, foi-se difundido "falso cognato" como sinônimo de "falso amigo". No entanto, de um ponto de vista técnico, essa difusão é equívocada. Falso cognato é a respeito da origem histórica dos termos[2], não importando o significado, enquanto falso amigo é a respeito, de fato, do signifcado.

Implicações[editar | editar código-fonte]

Falsos amigos podem causar interpretações incorretas de um texto. Os alunos que aprendem uma língua estrangeira, particularmente uma que está relacionado com a sua língua nativa , também têm dificuldades com falsos amigos, porque os alunos são propensos a identificar as palavras erradamente devido à interferência linguística. Por essa razão, os professores às vezes compilam listas de falsos amigos como uma ajuda para seus aluno

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «German Loan Words in English» 
  2. Moss, Gillian (1992-1). «Cognate recognition: Its importance in the teaching of ESP reading courses to Spanish speakers». English for Specific Purposes (em inglês). 11 (2): 141–158. doi:10.1016/S0889-4906(05)80005-5  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]