Joint application development

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Joint Application DevelopmentJAD ou Joint Application Design é uma metodologia criada pela IBM do Canadá em 1977 e adaptada para o Brasil em 1982 por Hugo Gattoni para moderação de discussões de brainstorming acelerando e consolidando o desenvolvimento de aplicações de Sistemas de Informação.

Joint Application Design (JAD) é uma metodologia que acelera o projeto de sistemas. 

Essa técnica procura reunir os usuários finais e a equipe de desenvolvimento em um único grupo, com conhecimento e formação multidisciplinar, a fim de aperfeiçoar o processo de desenvolvimento do software que é acompanhado passo a passo por quem o utilizará futuramente. Graças a essa proximidade, a equipe de desenvolvimento consegue perceber melhor as necessidades do usuário, com adequado grau de profundidade, enquanto os usuários finais, por sua vez, têm a oportunidade de entender as limitações e dificuldades técnicas que determinada forma de implementação impõe. Assim, ambos estão aptos a sugerir caminhos alternativos mais adequados às situações críticas ou impeditivas que venham a surgir ao longo do desenvolvimento do projeto.[1]

Guiados por um líder de reunião, usuários e analistas projetam o sistema juntos, em sessões de grupo estruturadas. JAD utiliza a criatividade e o trabalho em equipe de dinâmica de grupo para definir o ponto de vista dos usuários sobre o sistema, desde os objetivos e aplicações do sistema até a geração de telas e projetos de relatórios. A aplicação JAD permite a criação, em menos tempo, de sistemas mais eficazes.

JAD foi desenvolvido em 1977 pela IBM e tem sido testado de forma bem-sucedida em vários projetos de software, nas áreas industriais, de hardware e de aplicativos. JAD não é somente uma metodologia patrocinada pela IBM, mas é também apoiado por muitas empresas de consultoria e autoridades em Engenharia de Software, tal como James Martin. Esse método se encaixa com perfeição com muitas outras metodologias de desenvolvimento e ferramentas CASE. Muitas empresas tem feito de JAD um modo de vida, incorporando-o dentro de seus padrões de desenvolvimento.

Referências

  1. Carlos Alberto Debastiani. Definindo Escopo em Projetos de Software. [S.l.: s.n.], 2015. ISBN 978-85-7522-429-8