José Vaz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde dezembro de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
José Vaz
Data de nascimento Avintes,Vila Nova de Gaia,em 11-01-1940

José Vaz (Avintes, Vila Nova de Gaia, Portugal, 11 de Janeiro de 1940) é um escritor português.

Nasceu no lugar de Rego Pinheiro, em Avintes, a 11 de Janeiro de 1940, onde passou toda a sua infância e juventude. Fez a sua instrução primária nas escolas do Magarão e de Cabanões.

Começou a trabalhar com onze anos como torneiro de madeira, sendo depois pintor de medalhas, cravador de jóias, empregado de escritório e controlador fabril até que, em Setembro de 1966, ingressou na antiga Companhia União Fabril Portuense – CUFP/UNICER (Fábrica da Cerveja) onde desempenhou as funções de empregado de escritório, operador de psicometria, analista de profissões e responsável pela área social.

Foi percussionista (caixa) na Banda Musical de Avintes, entre 1952 e 1961.

Aos 18 anos aderiu à JOC- Juventude Operária Católica e fundou, em Avintes, com o Joaquim Filinto Guedes e José António da Silva Cruz, aquela organização progressista da Igreja Católica.

Foi, mais tarde, dirigente diocesano da JOC e tinha por missão animar e dinamizar as secções diocesanas daquela organização.

Iniciou os seus estudos secundários com 22 anos e, aos 62, após ter sido pré-reformado pela Fábrica da Cerveja, ingressou na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, licenciando-se com distinção em História e, em Novembro de 2011,foi-lhe atribuído pela mesma faculdade o grau de Mestre em História Contemporânea.

Foi um dos fundadores, no Porto, do Centro de Cultura Operária, Presidente Diocesano da LOC - Liga Operária Católica e membro da Base-Frente Unitária de Trabalhadores.

Foi fundador e um dos primeiros líderes da Comissão de Trabalhadores da CUFP/UNICER e, mais tarde, delegado sindical.

Foi actor, encenador, cravador de joias e autor de textos de teatro para crianças.

Em 1983, iniciou a sua actividade literária para a área da infância e a sua obra "Para Sonhar com Borboletas Azuis" foi distinguida com a publicação no catálogo de 1987 da "The Withe Ravens – A Selection of International Children's and Youth Literature", de Munique.

A sua obra "O Nó da Corda Amarela" ganhou, em 1989, o 1º Prémio de Literatura Infantil-Cidade de Montijo.

As suas obras, "Alzira, a santa suplente", "A Máquina de Fazer Palavras" e "Hoje é Natal!", foram seleccionadas em 2000, 2001 e 2002, respectivamente, para as Olimpíadas da Leitura.

Em 1989, foram-lhe atribuídas pela Câmara de Vila Nova de Gaia um Público Louvor e a Medalha de Mérito Municipal – Classe Ouro.

Integra o "Dicionário Cronológico de Autores Portugueses", o "Dicionário de Literatura Infantil Portuguesa", a "Breve História da Literatura para Crianças em Portugal" e o actual "Plano Nacional de Leitura".

Na área da historiografia avintense, é autor das obras: "Os Emprestadores da Alma – os homens e as mulheres do teatro de Avintes – 1945 a 1995" e " Avintes – a pequena Suiça ao pé da porta – 1887" e é autor de treze comunicações ao Fórum Avintense e de dezenas de artigos sobre Avintes, publicados no "Caminho Novo" e na revista dos "Amigos de Gaia".

Participou em colóquios e congressos com participação de temáticas na área do teatro e da literatura para crianças.

Foi Presidente da Associação de Escritores de Gaia, coordenador do suplemento infantil e juvenil do Gaia-Semanário "O Barquinho de Papel" e dirigente da Associação Portuguesa para a Promoção do Livro Infantil e Juvenil – APPLIJ (Secção Portuguesa do IBBY -International on Books for Young People) e director da revista do Clube Recreativo Avintense "Caminho Novo-2007".

Foi autor da ideia e da concepção da Festa da Broa e participou na sua realização como membro de todas as comissões de apoio à mesma iniciativa. Com o Sr. Fernando Gonçalves Soares Dias e o Sr. Joaquim Costa Gomes, foi fundador do Fórum Avintense, sendo o autor do respectivo regulamento.

Nas celebrações dos 1100 de Avintes, foi o coordenador da Comissão Executiva. Foi fundador consignatário da Confraria da Broa de Avintes. Foi o autor da ideia do Concurso das Quadras à Broa de Avintes, sendo o autor do seu regulamento.

Foi um dos fundadores da Ilha Mágica – Projecto para a Infância e Juventude, sendo actualmente o seu Presidente da Assembleia-geral.

Foi um dos fundadores da Audientis- Centro de Documentação e Investigação em História Local, sendo actualmente o seu Presidente da Direcção.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Para Sonhar com Borboletas Azuis - Edições Afrontamento, 1986
  • O Manuscrito da Grade d'Ouro (co-autor) - Livraria Arnado/Porto Editora, 1990
  • A Máquina de Fazer Palavras, Porto Editora, 1991
  • O Jacklavais Ataca à Sexta-feira - Porto Editora, 1992
  • Quando os olhos da noite mudaram de sítio - Livraria Arnado/Porto Editora, 1992
  • A Viagem à Terra dos Oxalás - Porto Editora, Porto, 1993
  • O Mistério das Sereias de Pedra - Porto Editora, Porto, 1993
  • O Nó da Corda Amarela - Porto Editora, 2ª. Edição, 1993
  • No dia em que as flores mudaram de sítio : sobre o 25 de Abril de 1974 - Edição da Câmara de Gaia, 1994
  • Alzira, a santa suplente - Campo das Letras, 2ª edição, 1999
  • A fábula dos feijões cinzentos : 25 de Abril, como quem conta um conto - Campo das Letras, 2ª edição, 2000
  • A Menina que tinha cem pés - Edições Gailivro, 2ª edição, 2001
  • As lágrimas do Malmequer - Edições Gailivro, 2ª edição, 2001
  • O Sonho do Gafanhoto - Edições Gailivro, 2ª edição, 2001
  • A Árvore de Papel - Edições Gailivro, 2002
  • As lágrimas são netas do mar - Edições Gailivro, 2ª edição, 2002
  • O chapéu do D. Cogumelo - Edições Gailivro. 2ª edição, 2002
  • Uma flor com asas - Edições Gailivro, 2ª edição, 2002
  • Mala diabo - Edições Gailivro, 2003
  • O Roubo da Roda Quadrada - Edições Gailivro, 2ª Edição, 2003
  • Trabalha Crispim, trabalha! - Edições Gailivro, 2004
  • Hoje é Natal! : Conto de Natal - Edições Gailivro, 2ª Edição, 2006
  • A Aldeia Encantada : Conto de Natal - Edições Ambar, 2008
  • O Livro das Contas e dos Contos - Trampolim Edições, 2010, 2ª Edição janeiro 2012
  • Celestino, o rato da biblioteca - Trampolim Edições, 2012

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • " As Pulgas e a Preguiça e o Rei Lambão" Edições Base, 1983
  • Ilha Mágica : Teatro - Edições ASA, 1989
  • O Rei Lambão - Edições Gailivro, Gaia, 3º Edição, 1999
  • O Mandarim Fi-Xú - Edições Gailivro, 2000
  • Na Feira dos Malandrecos - Edições Gailivro, 2001

Antologias de Literatura Infantil[editar | editar código-fonte]

  • Viagem ao Sonho - Associação de Escritores de Gaia, 1989
  • Historias nunca lidas - Fundação Calouste Gulbenkian, 1991
  • A Casa do Silêncio - Edições Afrontamento, 2000
  • Contos da Cidade das Pontes - Ambar, 2001
  • Histórias da Árvore dos Sonhos - Parque Biológico/Ilha Mágica, 2002
  • Criadores de Sonhos - Gailivro, 2004

Outras Antologias[editar | editar código-fonte]

  • Antologia Poética - Associação de Escritores de Gaia
  • Memória de um Rio - Associação de Escritores de Gaia, 1986
  • Contos e Ditos - Associação de Escritores de Gaia, 1994

Outras obras[editar | editar código-fonte]

  • O Arroz Malandro : Crónicas - Editora Justiça e Paz, Gaia, 1989
  • Salta pocinhas : boletim da Secção Portuguesa do IBBY (Coord.) - S.P.I.B.B.Y., Lisboa, 1995
  • Os Emprestadores da Alma : Monografia do Teatro de Avintes : História Local - Edição da Câmara de Gaia, 1997
  • Avintes : a pequena Suíça do pé da porta : 1887 : História Local - Edições Gailivro, Gaia, 2002
  • De Abientes a Avintes : História Local (Co-autor) - Edições Audientis, 2009

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.