Kriegspiel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
a b c d e f g h
8
Chessboard480.svg
d4 branco peão
f4 branco bispo
b3 branco bispo
c3 branco cavalo
f3 branco cavalo
a2 branco peão
b2 branco peão
f2 branco peão
g2 branco peão
h2 branco peão
a1 branco torre
d1 branco rainha
e1 branco torre
g1 branco rei
8
7 7
6 6
5 5
4 4
3 3
2 2
1 1
a b c d e f g h
Kriegspiel, o jogo em progresso conforme visto pelo jogador com as peças brancas.

Kriegspiel é uma das mais populares e conhecidas variante do xadrez e , tendo sido inventada por Henry Michel Temple que tomou como inspiração a Guerra dos Boers que havia começado a pouco tempo. No Kriegspiel, o jogador não pode ver as peças do adversários tampouco sabe os movimentos realizado por este. Um observador com a visão dos dois tabuleiros revela as informações se os movimentos são válidos ou não. O jogo teve maior popularidade no início do século XIX, sendo praticado em clubes de xadrez e publicados artigos nas principais revistas de enxadrismo da época como a Chess Amateur e o anuário The Yearbook of Chess (1913, 1915 e 1916).[1] Jogadores como Frank Marshall e Emanuel Lasker tiveram interesse pela variante, e campeonatos regulares foram disputados entre a primeira e segunda guerra mundial.[2]

Regras[editar | editar código-fonte]

Uma partida precisa de dois jogadores, um observador, três tabuleiros com peças e duas telas. Os tabuleiros são enfileirados com as telas entre estes. No meio, fica o observador que monitora os movimentos dos jogadores em cada ponta no meio. Os adversários, um em cada ponta, utilizam somente as peças de sua cor e, impedidos pela tela, não veem as peças do observador ou do adversário.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Pritchard (2000), p.62
  2. a b Pritchard (2000), p.63

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • PRITCHARD, D Brine (2000). Popular Chess Variants (em inglês) 1ª ed. London: Batsford Chess Books,. ISBN 0713485787 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]