Linear Tape-Open

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de LTO)
Ir para: navegação, pesquisa
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, consulte Linear Tape Open (inglês) e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
LTO2-cart-purple.jpg

Linear Tape-Open (LTO) é uma tecnologia de armazenamento de dados em fita magnética desenvolvida originalmente na década de 1990 como uma alternativa de padrões abertos a formatos proprietários de fita magnética que estavam disponíveis na época (DLT). Seagate, Hewlett-Packard e IBM iniciaram o Consórcio LTO, que dirige o desenvolvimento e gerência de licenciamento e certificação dos fabricantes de mídia e mecanismo. O modelo de formulário-fator da tecnologia LTO atende pelo nome Ultrium, a versão original que foi lançado em 2000 e podia armazenar 100 GB de dados em um único cartucho. A versão mais recente foi lançada em 2012 e pode armazenar 2.5 TB no cartucho do mesmo tamanho. Desde 2002, a LTO tem sido a melhor escolha de formato de "fita" e é amplamente utilizada para pequeno e grande porte de sistemas computacionais, principalmente para HSM (Hierarchical Storage Management) e backup.

Contexto histórico[editar | editar código-fonte]

As fitas magnéticas de meia polegada são utilizadas para armazenamento de dados há mais de 50 anos. Em meados dos anos 1980, IBM e DEC colocaram este tipo de fita em uma única bobina em cartucho fechado. Embora as fitas físicas fossem nominalmente do mesmo tamanho, as tecnologias e mercados de destino eram significativamente diferentes e não havia compatibilidade entre elas. A IBM chamou sua fita de 3480 (devido ao nome de um produto da IBM que utilizava esse tipo de fita) e a projetou para atender os requisitos exigentes de seus produtos de mainframe. A DEC originalmente chamou a fita deles de CompacTape, mas mais tarde foi rebatizada como DLT e vendida à Quantum Corporation . No final dos anos 1980, o formato Data8 da empresa Exabyte, derivado de um cartucho de vídeo de 8 mm de bobina dupla da Sony, ganhou popularidade, especialmente nos sistemas UNIX. A Sony seguiu esse sucesso com o seu próprio formato de dados de 8 mm, Fita Inteligente Avançada (AIT), atualmente fora de linha.

No final dos anos 1990, a DLT da Quantum e a AIT da Sony eram as opções principais para armazenamento em fita de alta capacidade para servidores PC e sistemas UNIX. Essas tecnologias foram (e ainda são) rigidamente controladas por seus proprietários. Consequentemente, havia pouca concorrência entre os vendedores e os preços eram relativamente altos.

Para mudar essa situação, as empresas IBM, HP e Seagate criaram o Consórcio LTO, através da introdução de um formato mais aberto com foco no mesmo segmento de mercado.[1] Grande parte da tecnologia é uma extensão do trabalho realizado pela IBM em seu laboratório de Tucson durante os 20 anos anteriores.[2] Os planos iniciais consistiam em dois formatos LTO para competir diretamente com os líderes de mercado: Ultrium, com fita de meia polegada em uma única bobina, otimizado para alta capacidade; e Accelis, com fita de 8 mm em bobina dupla, otimizado para baixa latência.

Por volta da época do lançamento do LTO-1, a divisão de fita magnética da Seagate foi desmembrada como Seagate Soluções de Armazenamento Removível, mais tarde renomeado Certance, que mais tarde foi adquirida pela Quantum.


Gerações[editar | editar código-fonte]

  Geração
Atributo LTO-1 LTO-2 LTO-3 LTO-4 LTO-5 LTO-6
Data de lançamento 2000 2003 2005 2007 2010 2012
Capacidade nativa de dados 100 GB 200 GB 400 GB 800 GB 1.5 TB 2.5 TB
Velocidade Max (MB/s) 20 40 80 120 140 160
Capacidade WORM? Não Não Sim Sim Sim Sim
Capacidade de encriptação? Não Não Não Sim Sim Sim
Espessura da fita 8,9 μm 8,9 μm 8,0 μm 6,6 μm 6,4 μm 6,1 μm
Tamanho da fita 609 m 609 m 680 m 820 m 846 m 846 m
Trilhas 384 512 704 896 1280 2176
Elementos de escrita 8 8 16 16 16 16
Voltas por banda 12 16 11 14 20 34
Densidade linear (bits/mm) 4880 7398 9638 13250 15142 15143[3]
Codificação RLL 1,7 PRML PRML PRML

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]