Lanterna mágica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lanterna mágica

A lanterna mágica ou epidascópio é a antecessora dos aparelhos de projeção modernos.
Foi inventada no século XVII, a primeira descrição deve-se ao sacerdote jesuíta Athanasius Kircher na sua obra Ars Magna Lucis et Umbrae de 1645[1] ainda que foi o dinamarquês Thomas Walgenstein o primeiro a lhe dar o nome de lanterna mágica[2]. Era constituída por uma câmara escura e um jogo de lentes. A luz de uma lâmpada de azeite incorporada, por meio de um condensador, atravessava uma placa de vidro pintada com desenhos que eram projetados num lenço. Era possível criar a ilusão de movimento movendo os vidros.

Utilizada em ambientes acadêmicos, como em Sorbonne, e em populares, como teatros, ao longo do século XIX, constituiu o antecedente do que seria no século XX o cinema como espetáculo de massas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. R. W. Burns "Television: an international history of the formative years", página 7
  2. Manuel Rodríguez Bermúdez Animación: una perspectiva desde México. UNAM, México, 2007, página 19