Lei de Wirth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Lei de Wirth na computação é o provérbio popularizado por Niklaus Wirth em 1995:[1]

Software está se tornando mais lento mais rapidamente que o hardware está se tornando mais rápido.[2]

Wirth atribuiu os dizeres a Martin Reiser, que, no prólogo para seu livro a respeito do sistema operacional Oberon, escreveu A esperança é que os avanços em hardware cure todos os males do software. No entanto, um crítico observador pode observar que o software consegue crescer mais que hardware em tamanho e lentidão.[3]

Hardware de computador tem se tornado mais rápido ao longo do tempo, e parte desse desenvolvimento é quantificado pela Lei de Moore; A Lei de Wirth lembra que isso não implica que trabalho esteja efetivamente se tornando mais rápido.

Lei de Gates[editar | editar código-fonte]

A Lei de Gates é uma variante da Lei de Wirth.[4] É uma observação irônica e humorística que a velocidade de software comercial geralmente fica mais lento 50% a cada 18 meses, desse modo negando todos os benefícios da Lei de Moore. Isso poderia ocorrer por diversos motivos: Desenvolvedores que adoram implementar mais funções em seu programa, falta de qualidade no código, programador preguiçoso, ou uma filosofia de gestão de negócios cuja concepção não coincide com o gestor anterior.[5]

A Lei de Gates nasceu da frustração que muitos usuários sentem devido a aparente tendência de software comercial tornarem-se mais lentos a cada nova versão, tal como se atualizar o hardware fosse uma boa ideia.

Apesar do nome da Lei se refere a Bill Gates, Gates não a formulou ou expressou. Pelo contrário, o nome refere-se a uma tendência percebida de produtos da Microsoft para ficar mais lento a cada novo recurso ou remendo. Esta percepção é reforçada pela percepção da vantagem que comprar um novo hardware normalmente significa comprar uma nova cópia do atual sistema operacional Microsoft e aplicações Microsoft, referindo-se a obsolescência planejada.

Referências

  1. Philip E. Ross. . "5 Commandments". IEEE Spectrum.
  2. Niklaus Wirth. (fevereiro 1995). "A Plea for Lean Software". Computer, IEEE Computer Society. 28 (2): pp. 64–68. DOI:10.1109/2.348001.
  3. Reiser, Martin. The Oberon System User Guide and Programmer's Manual. [S.l.]: ACM Press, 1991. ISBN 0-201-54422-9
  4. Communications News (July 2005). "Siemon exceeds one million 10G-ready copper ports world-wide.", Communications News.
  5. Orion, Egan (March 21, 2003). "WinTel trips on Linux?", The Inquirer.
  • The School of Niklaus Wirth: The Art of Simplicity by László Böszörményi, Jürg Gutknecht, and Gustav Pomberger (Editors), Morgan Kaufmann Publishers, 2000, ISBN 1-55860-723-4.

Ver também[editar | editar código-fonte]