Lope Díaz I de Haro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lope Díaz I de Haro
Senhor de Biscaia
Tenente em Nájera e em Haro
Antigo brasão da Casa de Haro
Mandato 1124 – 1170
Cônjuges Aldonça
Pai Diego Lopes I de Haro
Mãe Maria Sanches
Morte 6 de maio de 1170

Lope Díaz I de Haro apelidado "el de Nájera" (morto em 6 de Maio de 1170), filho de Diego Lopes I de Haro e da condessa Maria Sanches, filha do conde Sancho Sanches de Erro e a condessa Elvira Garcia - filha do conde Garcia Ordonhes - foi o quarto senhor de Biscaia entre 1124 a 1170 e tenente em Nájera e Haro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Matrimónio e descendência[editar | editar código-fonte]

Mosteiro de Cañas, fundado por os condes Lope e Aldonça em Cañas, La Rioja

Casou com Aldonça Rodrigues, provavelmente filha do conde Rodrigo Velaz e Urraca Alvares,[1] de quem teve once filhos:[a][b]

  • Diego Lopes II de Haro (m. em 1214),[2] casou duas vezes, a primeira com com Maria Manrique de Lara filha de Manrique Perez de Lara e de Ermesenda, senhora de Narbona,[3] e a segunda vez com Toda Peres de Azagra. Sucedeu a seu pai no senhorio da Biscaia;
  • Rodrigo Lopes de Haro (m. antes de janeiro de 1187), mordomo-mor do rei Fernando II;[4] [5]
  • Mécia Lopes de Haro (m. ca. 1226)[2] condessa pelo seu casamento com o conde Alvar Pérez de Lara e depois de enviuvar abadessa do Mosterio de San Andrés de Arroyo;
  • Urraca Lopes de Haro (ca. 1160-13 de março de 1230), casada duas vezes: a primeira com Nuno Mendes, filho do Melendo Nunes y Maria Froilaz,, e a segunda vez em 1185 com o rei Fernando II;[2]
  • Aldonça Lopes de Haro,[2] que confirma vários documentos de seus pais e irmãos;
  • Elvira Lopes de Haro,[6]
  • Toda Lopes de Haro,[2] confirma a doação feita por sua mãe em 1174;
  • Maria Lopes de Haro,[2] confirma a doação feita por sua mãe em 1174. Foi a esposa de Pedro Rodrigues de Lara, filho do conde Rodrigo Gonçalves de Lara e da condessa Estefânia Ermengol.[7]

Fora do matrimonio, teve três filhos:[c] A condessa Aldonça em suas

  • Lope Lopes de Haro, o esposo de Maria de Urgel, também chamada María de Almenara;[2]
  • Sancho Lopes de Haro,[2]
  • Martim Lopes de Haro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Em setembro de 1174, a condessa Aldonça fez uma doação ao Mosteiro de Santa Maria de São Salvador de Cañas de sua herança em Ribarroya e Fuenmayor assim como os bems em Zarratón que ela tinha comprado com o seu marido. A doação foi confirmada por seus filhos: Sancha; Mécia comitissa; Urraca; Aldonça; Elvira; Garcia; Estefânia; Toda, Maria, e Diego Lopes. Cfr. Colección Diplomática de La Rioja.
[b] ^ Uma das irmãs, Aldonça, Elvira, Sancha, Toda o Maria, foi a esposa do Pedro Rodrigues de Lara, filho do conde Rodrigo Gonçalves de Lara e de sua segunda esposa a condessa Estefânia Ermengol. Em 1174, Pedro confirma a doação feita por a condessa Aldonça como tenente em Nájera, Pedro Royz gener comitis Lupi. Ver Álvarez Borge, op. cit, página 264.
[c] ^ A condessa Aldonza em suas numerosas aparições na documentação nunca menciona a Lope, Sancho, Alonso e Martin como seus filhos.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.