Míssil balístico de alcance intermediário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mísseis IRBM e MRBM.

Um Míssil balístico de alcance intermediário (IRBM) (sigla em inglês, IRBM), é um Míssil balístico com alcance de 3 500–5 500 km, entre um Míssil balístico de médio alcance (sigla em inglês, MRBM) e um Míssil balístico intercontinental (sigla em inglês, ICBM). A classificação de mísseis balísticos por alcance é feita principalmente por conveniência; em princípio, há muito pouca diferença entre um ICBM de baixo desempenho e um IRBM de alto desempenho, porque diminuir a massa da carga útil pode aumentar o alcance sobre o limite do ICBM. A definição de alcance usada aqui é usada pela Agência de Defesa de Mísseis dos Estados Unidos. Algumas outras fontes incluem uma categoria adicional, o míssil balístico de longo alcance (sigla em inglês, LRBM), para descrever mísseis com um intervalo entre IRBMs e ICBMs verdadeiros. O termo mais moderno míssil balístico de teatro abrange MRBMs e SRBMs, incluindo qualquer míssil balístico com um alcance inferior a 3 500 km.

O progenitor do IRBM foi o foguete A4b alado para maior alcance e baseado no famoso foguete V-2 (Vergeltung, ou "Reprisal", oficialmente chamado de A4) projetado por Wernher von Braun amplamente utilizado pela Alemanha nazista no final da II Guerra Mundial para bombardear cidades inglesas e belgas. O A4b foi o protótipo do estágio superior do foguete A9 / A10. O objetivo do programa era construir um míssil capaz de bombardear Nova York quando lançado na França ou Espanha (ver Amerika Bomber). Os foguetes A4b foram testados algumas vezes em dezembro de 1944 e janeiro e fevereiro de 1945. Todos esses foguetes usavam propelente líquido. O A4b usava um sistema de orientação inercial, enquanto o A9 teria sido controlado por um piloto. Eles começaram a partir de uma plataforma de lançamento não móvel.

História[editar | editar código-fonte]

O progenitor do IRBM foi o foguete A4b alado para maior alcance e baseado no famoso foguete V-2 (Vergeltung, ou "Reprisal", oficialmente chamado de A4) projetado por Wernher von Braun amplamente utilizado pela Alemanha nazista no final da II Guerra Mundial para bombardear cidades inglesas e belgas. O A4b foi o protótipo do estágio superior do foguete A9 / A10. O objetivo do programa era construir um míssil capaz de bombardear Nova York quando lançado na França ou Espanha (ver Amerika Bomber). Os foguetes A4b foram testados algumas vezes em dezembro de 1944 e janeiro e fevereiro de 1945.[1] Todos esses foguetes usavam propelente líquido. O A4b usava um sistema de orientação inercial, enquanto o A9 teria sido controlado por um piloto. Eles começaram a partir de uma plataforma de lançamento não móvel.

Após a Segunda Guerra Mundial, von Braun e outros importantes cientistas nazistas foram secretamente transferidos para os Estados Unidos para trabalhar diretamente para o Exército dos Estados Unidos por meio da Operação Paperclip, que transformou o V-2 em uma arma para os Estados Unidos.

Os IRBMs são operados atualmente pela República Popular da China, Índia,[2][3] Israel e Coréia do Norte.[4] Os Estados Unidos, URSS, Paquistão, Reino Unido e França eram ex-operadores.

IRBMs específicos[editar | editar código-fonte]

IRBMs
Data * D Modelo Alcance km Km máximo País
1959 PGM-17 Thor 1 850 2 400 Estados Unidos, Reino Unido
Cancelado Blue Streak 3 700 Reino Unido
1962 R-14 Chusovaya (SS-5) 3 700 União Soviética
1970 DF-3A 4 000 5 000 China, Arábia Saudita
1976 RSD-10 Pioneer (SS-20) 5 500 União Soviética
1980 S3 IRBM 3 500 França
2004 DF-25 3 200 4 000 China
2006 Agni-III 3 500 5 000 Índia
2007 DF-26 3 500 5 000 China
2010 Hwasong-10/RD-B Musudan 2 500 4 000 (não comprovado) Coreia do Norte[5]
2011 Agni-IV 4 000 Índia
2010 K-4[6] 3 500 Índia
2017 Hwasong-12/KN-17 3 700 6 000 Coréia do Norte
2007 Shahab-5 4 000 4 300 Irã

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Die geflügelte Rakete ( A7, A9, A4b ) (in German)». V2werk-oberraderach.de. Consultado em 15 de julho de 2011. Cópia arquivada em 19 de julho de 2011 
  2. «Indian Army Successfully Test Fires Nuke-Capable Agni-IV Missile». The New Indian Express. Consultado em 25 de março de 2016. Cópia arquivada em 5 de abril de 2016 
  3. «Ballistic missile Agni-IV test-fired as part of user trial - Times of India». The Times of India. Consultado em 25 de março de 2016. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2016 
  4. «North Korea's Ballistic Missile Program» (PDF). National Committee on North Korea. Consultado em 1 de abril de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 22 de fevereiro de 2016 
  5. «Agni-III». Missile Threat (em inglês). Consultado em 6 de outubro de 2021 
  6. Panda, Ankit. «India Inches Closer to Credible Nuclear Triad With K-4 SLBM Test». thediplomat.com (em inglês). Consultado em 6 de outubro de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre mísseis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.