Malhou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Portugal Malhou 
  Freguesia portuguesa extinta  
Localização
Malhou está localizado em: Portugal Continental
Malhou
Localização de Malhou em
Mapa de Malhou
Coordenadas 39° 25' 38" N 8° 41' 09" O
município primitivo Alcanena
município (s) atual (is) Alcanena
Freguesia (s) atual (is) Malhou, Louriceira e Espinheiro
História
Extinção 2013
Características geográficas
Área total 50 543 km²
População total (2011) 10 356 hab.
Densidade auto hab./km²
Outras informações
Orago Espírito Santo


Malhou foi uma freguesia portuguesa do concelho de Alcanena, com 50543 km² de área e 10 543 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 65,8 hab/km².

A freguesia de Malhou pertenceu ao antigo concelho de Pernes, que foi extinto no ano de 1855, tendo passado então para o de Santarém e posteriormente para o de Alcanena em 1914, quando este foi criado.

Foi extinta (agregada), em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada às freguesias de Louriceira e Espinheiro da qual é sede, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Malhou, Louriceira e Espinheiro.[1]

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Malhou [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
588 708 935 996 1 136 1 387 902 997 1 011 892 766 844 801 840 773

Nos censos de 1864 a 1911 pertencia ao concelho de Santarém. Passou a fazer parte do actual concelho pela lei nº 156, de 08/05/1914. Pelo decreto nº 15.219, de 21/03/1928, foram desanexados lugares desta freguesia para constituir a de Espinheiro.

Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 108 117 404 211 12,9% 13,9% 48,1% 25,1%
2011 109 61 389 214 14,1% 7,9% 50,3% 27,7%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

Localização e Economia[editar | editar código-fonte]

Está localizada no extremo sul do concelho de Alcanena e engloba ainda o lugar de Chã de Cima e metade da Moita. Da sua economia de tradição rural destaca-se a produção de azeite.

Festividades[editar | editar código-fonte]

As festividades religiosas acontecem duas vezes por ano, no mês de Fevereiro em honra de Nossa Senhora das Candeias, que se realizam no lugar da Chã de Cima, e no mês de Agosto, em honra do Divino Espírito Santo, em Malhou. Estas festividades desempenham um importante papel na animação da freguesia e das suas gentes.

Colectividades[editar | editar código-fonte]

Na localidade existe uma dinâmica vida associativa, que muito contribui para o progresso desta bonita terra:

  • Centro Cultural, Desportivo e Recreativo da Chã de Cima;
  • Centro Recreativo e Cultural Malhouense:
  • Associação de Caça e Pesca da Freguesia de Malhou:
  • Grupo Cantares da Fonte da Bica;
  • Paladinos do Futuro - Associação de Pais; e
  • Clube de Karaté e Desportos do Malhou.

Património[editar | editar código-fonte]

O Património edificado da freguesia é composto pela Igreja Matriz (Igreja do Divino Espírito Santo de Malhou), do século XVII; o Cruzeiro, datado de 1714; a capela da Nossa Senhora das Candeias, no lugar da Chã de Cima, o seu Miradouro e os Moinhos de Vento, estando dois em bom estado de conservação, de grande importância para a etnografia e arqueologia industrial, assim como diversos fontanários por toda a povoação.

Lenda[editar | editar código-fonte]

Reza a lenda que: D. Afonso Henriques, quando ele estava a dormir um ferreiro desta terra o acordou e gritou: -Acordem soldados! Olhem que o ferreiro já MALHOU.

E foi assim que esta localidade teve o nome de Malhou.

Referências

  1. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes