Manned Orbiting Laboratory

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lançamento de teste de uma maqueta do MOL.

O Manned Orbiting Laboratory (MOL), originalmente conhecido como Manned Orbital Laboratory (Laboratório Orbital Tripulado), foi um projeto da Força Aérea dos Estados Unidos para a construção de uma estação espacial tripulada militar. Ele foi criado na sequência do cancelamento do projeto Dynasoar em 1969, que também foi cancelada.[1]

Projeto[editar | editar código-fonte]

Ele teria se tratado de uma estação com um ambiente interno composto de hélio e oxigênio. A estação seria lançada com uma cápsula Gemini alterada (Gemini B) acoplada tripulada. A cápsula teria uma abertura no escudo térmico para a tripulação pudesse aceder à estação e retornar à terra a bordo da mesma cápsula.[1]

O MOL era destinada a experiências de reconhecimento militar usando câmeras ópticas e de radar, interceptação e inspeção de satélites, testando as unidades de manobra pessoais e avaliação da utilidade da nave espacial tripulada em órbita.[1]

Após o seu cancelamento, alguns dos sistemas de reconhecimento óptico acabaram sendo usados ​​em satélites espiões da série KH, e alguns experimentos foram conduzidos a bordo da estação Skylab.[1]

Especificações[editar | editar código-fonte]

  • Tripulação: 2
  • Vida operacional: 40 dias
  • Órbita: polar ou síncrona com o Sol
  • Comprimento: 21,92 m
  • Diâmetro máximo: 3,05 m
  • Volume habitável: 11,3 m3
  • Massa: 14.476 kg
  • Carga útil: 2700 kg

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «MOL» (em inglês). Encyclopedia Astronautica. Consultado em 09 de novembro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Manned Orbiting Laboratory