Mentalidade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O termo mentalidade se refere a uma predisposição psicológica que uma pessoa ou grupo social têm para determinados pensamentos e padrões de comportamento, referindo-se ainda à maneira como nações inteiras se conduzem ideologicamente.[1] Cientistas sociais tentam descrever a mentalidade pelos chamados «padrões culturais», mas a confiabilidade desse método é controversa porque pode levar a estereótipos.

Cientificamente, o termo é usado principalmente em sociologia e história das mentalidades.[2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra «mentalidade» provém do latim mentālis e chegou ao português através do francês mentalité.[3][nota 1] Significa «que se produz no espírito».[1]

Mentalidade de grupo[editar | editar código-fonte]

A inclinação mental em mentalidades de grupo pode estar tão firmemente estabelecida que cria um poderoso incentivo dentro das pessoas ou grupos para continuar a adotar ou aceitar comportamentos, escolhas, ou ferramentas preestabelecidas, mesmo que estas sejam vistas por quem está de fora como socialmente questionáveis.

Esse fenômeno de aceitação das idéias preconcebidas é descrito como “inércia mental” ou pensamento coletivo e seus efeitos são muitas vezes difíceis de neutralizar com processos de autoanálise e tomada de decisão posteriores.

A mentalidade é dividida pela psicologia em «fixa» ou «de crescimento», sendo a primeira uma característica inata ou adquirida bem cedo, quanto a segunda se adquire ou não durante a vida adulta.[nota 2]

Um conhecido exemplo desse estado mental foi o ocorrido na Guerra Fria entre os EUA e a URSS, em que dr incluíram vários fatores, entre os quais confiança mútua absoluta na teoria dos jogos de dupla, na integridade da cadeia de comando, no controle de materiais nucleares e na destruição mútua assegurada de ambos em caso de guerra.

Embora a maioria considere que tal disposição mental tenha sido útil para evitar um ataque entre ambos os países, muitos acreditam que os pressupostos da teoria da intimidação descartam a disposição mental como pano de fundo da Guerra Fria.

Notas

  1. Curiosamente, o francês tomou emprestado do inglês mentality.[1]
  2. Nessa acepção também podem ser usados os termos «atitude mental» ou «configuração mental» (do inglês, mind-set).[4]

Referências

  1. a b c Manuel López Torrijo (1995). Lecturas de metodología histórico-educativa. Hacia una historia de las mentalidades. [S.l.]: Universitat de València. 156 páginas. ISBN 9788437023137 
  2. Regina Helena de Freitas (2008). História da psicologia: pesquisa, formação, ensino. [S.l.]: SciELO – Centro Edelstein. 133 páginas. ISBN 9788599662830 
  3. Editores do Aulete (2011). «Mentalidade». Dicionário Caldas Aulete. Consultado em 19 de julho de 2017 
  4. Mindset: A nova psicologia do sucesso (2017). Carol Dweck. [S.l.]: Objetiva. 328 páginas. ISBN 9788543808246 
Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.