Mentalidade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O termo mentalidade se refere a uma predisposição psicológica que uma pessoa ou grupo social têm para determinados pensamentos e padrões de comportamento, referindo-se ainda à maneira como nações inteiras se conduzem ideologicamente.[1] Cientistas sociais tentam descrever a mentalidade pelos chamados «padrões culturais», mas a confiabilidade desse método é controversa porque pode levar a estereótipos.

Cientificamente, o termo é usado principalmente em sociologia e história das mentalidades.[2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra «mentalidade» provém do latim mentālis e chegou ao português através do francês mentalité.[3][nota 1] Significa «que se produz no espírito».[1]

Mentalidade de grupo[editar | editar código-fonte]

A inclinação mental em mentalidades de grupo pode estar tão firmemente estabelecida que cria um poderoso incentivo dentro das pessoas ou grupos para continuar a adotar ou aceitar comportamentos, escolhas, ou ferramentas preestabelecidas, mesmo que estas sejam vistas por quem está de fora como socialmente questionáveis.

Esse fenômeno de aceitação das ideias preconcebidas é descrito como “inércia mental” ou pensamento coletivo e seus efeitos são muitas vezes difíceis de neutralizar com processos de autoanálise e tomada de decisão posteriores.

A mentalidade é dividida pela psicologia em «fixa» ou «de crescimento», sendo a primeira uma característica inata ou adquirida bem cedo, quanto a segunda se adquire ou não durante a vida adulta.[nota 2]

Um conhecido exemplo desse estado mental foi o ocorrido na Guerra Fria entre os EUA e a URSS, em que se incluíram vários fatores, entre os quais confiança mútua absoluta na teoria dos jogos de dupla, na integridade da cadeia de comando, no controle de materiais nucleares e na destruição mútua assegurada de ambos em caso de guerra.

Embora a maioria considere que tal disposição mental tenha sido útil para evitar um ataque entre ambos os países, muitos acreditam que os pressupostos da teoria da intimidação descartam a disposição mental como pano de fundo da Guerra Fria.

Mentalidade vendedora[editar | editar código-fonte]

A inclinação mental também pode ser notada como estratégia ou método no ramo de vendas. Também direcionada à criação de um pensamento comum à um grupo, a mentalidade vendedora visa por si só a unificação de pensamentos de qualquer profissional ou empresa.

Esse método, baseado principalmente na obra de Dan Pink, que diz em seu livro "To Sell Is Human", que a profissão de vendedor desaparecerá.[5] Isto é, porque todas as profissões se tornarão vendedores, no futuro. E isso se deve porque todo profissional deve saber vender seu produto, seja este qual for.

Tal método se baseia principalmente no behaviorismo, dentro da psicologia comportamental. Hoje, no Brasil, o mercado do treinamento de vendas cresce cada vez mais, e junto dele, muitos métodos surgiram em torno da mentalidade vendedora.

Mentalidade e desempenho escolar[editar | editar código-fonte]

A mentalidade, ou o mindset, afeta até mesmo o desempenho de estudantes, principalmente na transição do ensino fundamental para o médio. Aqueles com mentalidade positiva tendem a melhorar suas notas, segundo pesquisas realizadas, enquanto aqueles que se veem como pessoas incapazes, os quais Carol Dweck chama de pessoas com mindset fixo, têm uma certa queda em suas notas. Pessoas com a mentalidade de crescimento, genuinamente positiva, possuem um receio de fracassar, por isso se esforçam ainda mais para aprender.[6]

Notas

  1. Curiosamente, o francês tomou emprestado do inglês mentality.[1]
  2. Nessa acepção também podem ser usados os termos configuração ou esquema mental (do inglês, mind-set).[4]

Referências

  1. a b c Manuel López Torrijo (1995). Lecturas de metodología histórico-educativa. Hacia una historia de las mentalidades. [S.l.]: Universitat de València. 156 páginas. ISBN 9788437023137 
  2. Regina Helena de Freitas (2008). História da psicologia: pesquisa, formação, ensino. [S.l.]: SciELO – Centro Edelstein. 133 páginas. ISBN 9788599662830 
  3. Editores do Aulete (2011). «Mentalidade». Dicionário Caldas Aulete. Consultado em 19 de julho de 2017 
  4. Mindset: A nova psicologia do sucesso (2017). Carol Dweck. [S.l.]: Objetiva. 328 páginas. ISBN 9788543808246 
  5. PINK, Daniel H. (2013). Saber Vender é da Natureza Humana. Estados Unidos da América: Gestão Plus. 256 páginas 
  6. S. Dweck, Carol (2006). Mindset: The New Psichology of Sucess. [S.l.: s.n.] 310 páginas 
Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.