Miguel Rovisco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Miguel Rovisco
Nome completo Nuno Miguel Rovisco Garcia Pedroso
Nascimento 9 de dezembro de 1959
Lisboa
Nacionalidade Português
Morte 3 de outubro de 1987 (28 anos), suicídio
Lisboa
Residência Amoreiras, Lisboa
Ocupação Dramaturgo
Outros prémios
Prémio Garrett (1986, 1987, 1987)

Nuno Miguel Rovisco Garcia Pedroso (Lisboa, 9 de Dezembro de 1959 - Lisboa, 3 de Outubro de 1987)[1] foi um dramaturgo português do século XX.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido no seio de uma família de classe média-alta. O divórcio dos pais desagradou-lhe e a partir da adolescência tornou-se excêntrico, neurótico, com uma manifesta obsessão pelo suicídio. Viveu sempre com a mãe numa casa do bairro das Amoreiras, em Lisboa. Estudou nos liceus Charles Lepierre, Manuel da Maia e Pedro Nunes, em Lisboa.

Na Universidade experimentou frequentar Filosofia e Direito, mas desistiu passadas algumas semanas.[2] «Foi trabalhar para a Câmara [Municipal de Lisboa], a atender pessoas e a receber projetos porque “queria o trabalho mais estúpido possível”».[2]

Em 1986, recebeu o Prémio Garrett, da Secretaria de Estado da Cultura, com Trilogia Portuguesa, apresentando-se na cerimónia de atribuição vestido de preto, descalço e com uma corda ao pescoço, para choque de todos os presentes. Recebeu o galardão e fez um discurso, mas rejeitou os 300 contos (1.500 euros) do prémio. Postumamente, recebeu mais dois Prémios Garrett, um para a Melhor Peça para a Infância e Juventude, com A História de Tobias e outro para Melhor Peça Inédita, com Retrato de Uma Família Portuguesa.[3]

A RTP gravou em 1987 a série Cobardias, dirigida por Herlander Peyroteo, com base num guião da sua autoria, uma produção que muito lhe desagradou.[2] Em 1991 foi transmitido pela RTP a peça Retrato de uma Família Portuguesa dirigida por Artur Ramos.

A 3 de Outubro de 1987, a pouco mais de dois meses de completar 28 anos, suicidou-se, atirando-se para debaixo de um comboio, na estação de Belém, Lisboa.[2] Deixou inéditas mais de vinte peças de teatro (escritas desde 1984) e centenas de poemas.

A obra[editar | editar código-fonte]

Dramaturgia publicada[editar | editar código-fonte]

  • Trilogia Portuguesa ("O Bicho", "O Tempo Feminino" e "A Infância de Leonor de Tábua").
  • Trilogia dos Heróis.
  • Retrato de uma Família Portuguesa.
  • Histórias de Tobias.
  • Cobardias (1987) – roteiro de série televisiva em 13 episódios. Crónica de uma família portuguesa dos anos 50 até ao início da década de 80.

Dramaturgia inédita[editar | editar código-fonte]

  • Eurico, O Presbítero (1984) – baseado no texto de Alexandre Herculano.
  • Quatro Entremezes e Dois Dramas Breves (1984).
  • A Lua Desconhecida (1985) – baseado em A Queda dum Anjo de Camilo Castelo Branco.
  • O Arco de Sant’Ana (1986) – baseada no texto de Almeida Garrett.
  • Mulheres Infelizes (1986) – tragédia passada alguns anos depois – não muitos - de 1974.
  • Uma Comédia de Quinhentos (1986) - baseado em Os Vilhalpandos de Sá de Miranda.
  • Os Velhos e Mefistófeles (1986) - glosa a Os Velhos de Dom João da Câmara.
  • O Ano de 1641 (1987) – drama em três atos.
  • Casamento e Morte (1987) – melodrama em seis pequenos atos, baseado em O Senhor Deputado de Júlio Lourenço Pinto.
  • A Felicidade do Jovem Luciano (1987) – uma parábola de Portugal "neste século de ressaca nacional e escombros domésticos”.
  • Esta Coisa da Vida (1986).
  • Um Antidrama: Os Patriotas (1987).

Poesia inédita[editar | editar código-fonte]

  • As palavras Divertidas (1987).
  • Histórias da Crueldade Sorridente e Outras (1986).
  • Vinte e Cinco Poemas de Amizade (Mais Cinco Tardios), (1986).
  • Vinte e Cinco Poemas de Amor (1986).
  • Quaresma (1984).
  • História de Santa Iria (1986).
  • Poemas do Trivial (1986).
  • Alguns Encantadores (Primeira Parte) (1986).
  • Alguns Encantadores (Segunda Parte) (1987).
  • Poemas Soltos (1984/85/86/87).
  • Poemas de Prazer Masculino (1986/87).
  • Carlos Maria (1987).
  • Seis Retratos (1987).
  • Nuno Miguel (1987).

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Prémio Garrett (1986) - Trilogia Portuguesa
  • Prémio Garrett - Melhor Peça Inédita (1987) - Retrato de uma Família Portuguesa
  • Prémio Garrett - Melhor Peça para a Infância e Juventude (1987) - Histórias de Tobias

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Monografias[editar | editar código-fonte]

  • JESUS, Virgínia Maria Antunes de (2002), Miguel Rovisco: Biobibliografia, Dissertação de Mestrado em Literatura Portuguesa, São Paulo, Universidade de São Paulo. Policopiado.
  • JESUS, Virgínia Maria Antunes de (2008), Miguel Rovisco: O Teatro da História, Tese de Doutoramento em Literatura Portuguesa; São Paulo, Universidade de São Paulo, Policopiado.
  • VIEGAS, Mário (2003), Auto-photo biografia (não autorizada), prefácio António d'Orey Capucho, Ana Clara Justino, Cascais, Câmara Municipal, 2003.

Imprensa[editar | editar código-fonte]

  • ALVIM, João de Melo, "O Anjo e a lua", Diário de Notícias, 14/3/90.
  • BARBOSA, Maria Manuel P., "Miguel Rovisco: Um olhar sobre a ressaca nacional", Semanário, 8/2/88.
  • CASTELA, Miranda, "Pombal segundo Rovisco", Diário Popular, 10/3/87.
  • CASTELA, Miranda, "De corda ao pescoço nos Prémios Garrett", Diário Popular, 10/3/87.
  • CARNEIRO, Eduardo Guerra, "Miguel Rovisco: A Morte na Alma", Diário Popular, 7/10/87.
  • "COBARDIAS: AS PALAVRAS NÃO PERDIDAS", Diário de Lisboa, 18/2/88.
  • MENDES, Anabela, "Um anjo, uma lua, uma flor", Jornal das Letras, 27/2/1991.
  • MIDÕES, Fernando, "Camilo e Rovisco de mãos dadas", Diário da Noite, 6/3/91.
  • "MIGUEL ROVISCO DEIXA TUDO PREPARADO ANTES DE PÔR TERMO À VIDA", A Capital, 8/10/87.
  • "MIGUEL ROVISCO MORRE AOS 27 ANOS", A Capital, 7/10/87.
  • "MIGUEL ROVISCO: NEM DEPOIS DE MORTO SE LIVRAM DELE", Se7e, 8/18/87.
  • "MIGUEL ROVISCO NO TEATRO NACIONAL", Diário de Lisboa, 9/2/88.
  • "MIGUEL ROVISCO, 26 ANOS, DRAMATURGO", Jornal das Letras, (s/d)
  • PORTO, Carlos, "Na Hora dos Portugueses", Jornal das Letras, (s/d).
  • "PRÉMIO GARRETT DE TEATRO", O Primeiro de Janeiro, 21/5/88.
  • "PRÉMIO GARRETT/87 DE CRIAÇÃO PARA RETRATO DE UMA FAMÍLIA PORTUGUESA", O Diário, 8/12/88.
  • "PRÉMIO NACIONAL DE TEATRO SUICIDA-SE AOS 27 ANOS", Diário de Notícias, 8/10/87.
  • "12 Dias de Fitei", Jornal das Letras, 31/05/2000.
  • "Retrato Tremido", Jornal das Letras, 14/5/91.
  • RIBEIRO, Ana Maria, O Triunfo do bom gosto, (Não Impresso).
  • "ROVISCO REFORÇA SÁTIRA DE CAMILO", A Capital, 8/3/91.
  • SERÓDIO, Maria Helena, "Um Anjo ao Luar", Jornal de Letras, 8/3/91.
  • SILVA, João Matos, Miguel Rovisco, curta vida, vasta obra, (Não Impresso).
  • "TRILOGIA COMPLETA", Diário de Lisboa, 12/3/88.

Referências

  1. Virgínia Maria Antunes de Jesus, Miguel Rovisco: O Teatro da História, São Paulo, 2008
  2. a b c d Rui Gustavo (2 de setembro de 2017). «As Duas Mortes de Miguel Rovisco». Jornal Expresso. Consultado em 2 de setembro de 2017 
  3. Virgínia Maria Antunes de Jesus (2009). «Miguel Rovisco, Poemas de Prazer Masculino, uma questão de género e vivência ficcional». Revista Forma Breve nº. 7, Homografias: Literatura e Homoerotismo, Universidade de Aveiro. Consultado em 6 de agosto de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]