Modelo 3C de colaboração

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Definição[editar | editar código-fonte]

Segundo Grosz (1996), colaboração é uma maneira de trabalhar em grupo, onde seus membros atuam em conjunto visando o sucesso de um projeto.[1] O modelo 3C de colaboração é baseado na concepção que para colaborarem os membros do grupo comunicam-se, coordenam-se e cooperam (Oliveira, 2010).[2]

O modelo 3C de colaboração analisa a colaboração em 3 dimensões: comunicação, coordenação e cooperação. Onde a comunicação é caracterizada pelas trocas de mensagens, negociações e argumentações. A coordenação intermedia o processo para o gerenciamento de pessoas, atividades e recursos, assim ela realiza o intermédio; a cooperação é caracterizada pela atuação em conjunto no espaço compartilhado para a produção de objetos ou informações (Pimentel; Fuks, 2011).[3]

Apesar da separação das atividades para fins de análise, elas são realizadas de forma continua e iterativamente durante o trabalho do grupo. De uma forma simples, as tarefas originam-se dos compromissos negociados durante a comunicação, que são gerenciados pela coordenação e executadas durante a cooperação.

História do Modelo 3C[editar | editar código-fonte]

Ellis e coautores (1991) classificaram os sistemas de apoio ao trabalho em grupo em 3 dimensões: a comunicação, coordenação e colaboração. Futuramente essa classificação daria origem ao modelo 3C de colaboração.[4] Nesse modelo, diferentemente da terminologia empregada por Ellis, a cooperação significa a ação de operar em conjunto, a colaboração significa a ação de trabalhar em conjunto, envolvendo a comunicação, coordenação e cooperação (Pimentel; Fuks, 2011).[5]

Conceitos sobre 3C[editar | editar código-fonte]

Esse modelo tem foco nos aspectos importantes para a análise da colaboração separadamente, entretanto, para que haja colaboração é necessário os 3C se relacionarem. O modelo 3C é descrito na Figura 1.

No trabalho em grupo, a comunicação é voltada para a ação, enquanto se comunicam as pessoas negociam e tomam decisões. A coordenação lida com a organização das atividades e dos conflitos existentes, de forma a evitar desperdícios de comunicação e esforços de cooperação. A constante necessidade e tomar decisões e renegociar as diversas situações imprevistas, que ocorrem na cooperação, demanda a comunicação, que por sua vez demanda coordenação para reorganizar as tarefas (Pimentel; Fuks, 2011).[6] Por meio da percepção o indivíduo obtém um resposta para as suas próprias ações (feedback), como também uma resposta para as ações realizadas pelos demais participantes do grupo (feedthrough).

Modelo 3C de Colaboração em Sistemas Colaborativos[editar | editar código-fonte]

O modelo 3C de colaboração é frequentemente usado para classificação de sistemas colaborativos. Para isso foi criado uma classificação dentro de um espaço triangular onde cada vértice é uma das três dimensões do Modelo 3C.

Com base no posicionamento na pirâmide pode se analisar qual é o propósito do sistema colaborativo com base no Modelo 3C de Colaboração (Fillipo et al., 2006).[7] O modelo pode ser aplicável dentro de qualquer universo colaborativo, desde que respeite as três dimensões.

Referências

  1. Grosz, B. J. Collaborative Systems (AAAI-94 Presidential Address). AI magazine, v. 17, n. 2, p. 67, 1996.
  2. Oliveira, L. S. Funcionalidades colaborativas no compartilhamento de conteúdo em redes sociais na Web 2.0: Uma engenharia de domínio baseada no modelo 3C de colaboração. 2010. Tese de Doutorado. Dissertação de Mestrado (Ciência da Computação)–Instituto de Matemática e Estatística, Universidade de São Paulo.
  3. Pimentel, M.; Fuks, H. (2011). Sistemas Colaborativos, Elsevier.
  4. Pimentel, M.; Fuks, H. (2011). Sistemas Colaborativos, Elsevier.
  5. Pimentel, M.; Fuks, H. (2011). Sistemas Colaborativos, Elsevier.
  6. Pimentel, M.; Fuks, H. (2011). Sistemas Colaborativos, Elsevier.
  7. Pimentel, M.; Gerosa, M. A.; Filippo, D.; Raposo, A.; Fuks, H. & Lucena, C. J. P. Modelo 3C de Colaboração no Desenvolvimento de Sistemas Colaborativos. Anais do III Simposio Brasileiro de Sistemas Colaborativos, Natal - RN, 20 a 22 de Novembro de 2006. ISBN 85-7669-097-7. Porto Alegre: SBC, 2006. pp. 58-67.