Museu da Vida (Curitiba)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Museu da Vida Curitiba
Fachada do Museu
Tipo Memorialista
Inauguração 2014 (8 anos)
Website www.museudavida.com.br
Área 13 000 m²
Geografia
País  Brasil
Cidade Curitiba
Localidade Rua Jacarezinho, 1691

O Museu da Vida foi criado em janeiro de 2014 pela Pastoral da Criança com objetivo de disseminar informações e reflexões relacionados à saúde, nutrição, educação e cidadania por meio de exposições e ações educativas. Assim como a própria Pastoral da Criança, tem na gestação e crianças até o seis anos de idade. Outro objetivo do Museu da Vida é preservar a memória da missão de sua fundadora, Dra Zilda Arns[1][2].

Seu conceito está alinhado a perspectiva contemporânea de museu, que se preocupa com a promoção do acesso à cultura aos mais diferentes públicos e avança nisso tendo elementos para crianças e adultos, estimulando a interação familiar. As exposições contém elementos interativos que oferecem oportunidades variadas para as crianças e suas famílias brincarem durante a visita ao museu, estimulando a imaginação e promovendo momentos de diálogo em interação entre gerações[3].

Exposições[editar | editar código-fonte]

A exposição sobre os mil dias apresenta a importância dos cuidados com a saúde durante a gravidez e os primeiros dois anos de vida da criança. Traz informações sobre o desenvolvimento infantil, o corpo humano e a importância de uma alimentação saudável. Os cuidados nos primeiros Mil dias de vida previne não só a mortalidade infantil, mas também doenças crônicas na vida adulta.

O espaço Pastoral da Criança em Ação apresenta as ações da Pastoral da Criança no Brasil e no mundo, realizadas em parceria com universidades, sociedades científicas, órgãos do governamentais e sociedade civil. A amplitude e a diversidade das populações acompanhadas pela Pastoral da Criança e os novos desafios a serem enfrentados no âmbito da saúde e do desenvolvimento infantil, da gestação aos seis anos de idade, fazem parte do conteúdo da exposição[4].

A Galeria da Vida exibe objetos artesanais abordando o dia-a-dia das comunidades, a Pastoral da Criança e a missão de sua fundadora, Zilda Arns[5][6].

Espaço para crianças e adultos[editar | editar código-fonte]

Os espaços expositivos enfatizam o papel da brincadeira livre da criança, por ser o brincar uma necessidade para o desenvolvimento infantil, contribuindo, principalmente, para construção da imaginação, do pensamento, da fala e da autonomia da criança.

Assim, em todo Museu da Vida há oportunidades para brincadeiras, com especial ênfase na sala do Faz de Conta, no Cantinho do Brincar e na Rua do Brincar.

Entrada do Museu da Vida Curitiba

Lazer ao ar livre[editar | editar código-fonte]

Em meio a uma área de 13.000 m² de Mata Atlântica, a Trilha do Bosque oferece oportunidades para caminhadas, reflexão, descanso e brincadeiras em seus 460 m de extensão.

A Rua do Brincar é um espaço a céu aberto dedicado às brincadeiras livres e coletivas das crianças. Permite o convívio social, os movimentos amplos e incentiva o convívio familiar.

Memorial Dra Zilda Arns[editar | editar código-fonte]

No memorial, o visitante pode conhecer a trajetória de vida e trabalho da Zilda Arns Neumann. A infância, a escola vocacional, seu trabalho como médica pediatra e sanitarista assim como a sua última viagem, ao Haiti em 2010, estão representados por meio de fotografias, vídeos, documentos e objetos pessoais[7].

Os principais marcos da história da Pastoral da Criança são contadas através de uma linha do tempo com materiais educativos, vídeos, fotografias e premiações.

Sede[editar | editar código-fonte]

As sede do Museu da Vida em Curitiba fica no bairro das Mercês e possui uma relação antiga com crianças, pois seu prédio foi originalmente construído para abrigar o Lar-Escola Hermínia Lupion (Lar das Meninas).

A construção da década de 50 também abriga a Coordenação Nacional da Pastoral da Criança. Em 2014 uma grande área fui completamente remodelada para abrigar o Museu da Vida.

O Museu da Vida da Pastoral da Criança está registrado no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Intelectual).

Referências

  1. Redação Online (6 de dezembro de 2014). «Pastoral da Criança inaugura o Museu da Vida em Curitiba». Jornal Gazeta do Povo. Consultado em 12 de junho de 2017 
  2. «Museu da Vida recebe prêmio ACP Cultural 2016». Associação Comercial do Paraná. 24 de novembro de 2016. Consultado em 12 de junho de 2017 
  3. «Museu da Vida expõe trabalhos da educação infantil». Prefeitura de Curitiba. 17 de dezembro de 2014. Consultado em 12 de junho de 2017 
  4. Redação Online (14 de janeiro de 2010). «Discurso de Zilda Arns no Haiti». Revista Época. Consultado em 12 de junho de 2017 
  5. Gabriela Guerreiro (13 de janeiro de 2010). «Fundadora da pastoral da criança estava no Haiti durante terremoto». Folha de S.Paulo. Consultado em 12 de junho de 2017 
  6. Equipe Folha Online (14 de janeiro de 2010). «Com morte de Zilda Arns, Brasil perde "benfeitora" e "heroina", diz imprensa internacional». Folha de S.Paulo. Consultado em 12 de junho de 2017 
  7. Estelita Hass Carazzai (13 de janeiro de 2010). «Zilda Arns morreu enquanto discursava em igreja». Folha de S.Paulo. Consultado em 12 de junho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]