Negligência unilateral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Uma das consequências mais recorrentes do acidente vascular cerebral (AVC) é a negligência unilateral, também conhecida como negligência hemiespecial. A síndrome se manifesta através de limitações de direção, resposta ou orientação no lado oposto ao da lesão cerebral. Esta “inversão” ocorre porque cada hemisfério do nosso cérebro controla o lado contrário do corpo; o hemisfério direito controla o lado esquerdo e o hemisfério esquerdo controla o lado direito. Assim, na ocorrência de uma lesão cerebral em um dos hemisférios, o reflexo da lesão se demonstra do outro lado do corpo, caracterizando a síndrome de negligência unilateral.

Problemas de memória, raciocínio e atenção, assim como disfunções cognitivas e de comunicação podem ser percebidos em um paciente portador da negligência unilateral. Dificuldades sensoriais incluindo problemas de visão e audição também podem se fazer presentes.


FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA

Após o período de internação médica pós-AVC, chega o momento de ir para casa e começar a reabilitação. Sessões de fisioterapia neurológica não só previnem que as sequelas da lesão cerebral se tornem permanentes, mas também permitem a possibilidade de o paciente reabilitar suas funções motoras e restaurar sua independência e qualidade de vida.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Múltiplos, Autores (2014). «Negligência unilateral pós-acidente vascular encefálico: atuação da Terapia Ocupacional». doi.editoracubo.com.br. Editora Cubo. doi:10.4322/cto.2014.063. Consultado em 11 de dezembro de 2018  line feed character character in |titulo= at position 45 (ajuda)