Nkosi Mphakanyiswa Gadla Mandela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Nkosi Mphakanyiswa Gadla Mandela[1] (dito Henry Mandela - c. 1880 - 1928) foi um chefe zulu da África do Sul, pai do líder Nelson Mandela e neto do rei Ngubengcuka.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Gadla era chefe tribal da vila de Mvezo, e conselheiro do regente do povo Tembu, Jongintaba Dalindyebo.[2]

Certa feita foi acusado de deixar fugir um boi e, recebendo a citação da justiça dos brancos recusou-se a comparecer, por somente reconhecer a justiça tribal.[3] Mudou-se então para Qunu, destituído de sua posição de chefia por confrontar a autoridade colonial.[4]

Tinha quatro esposas, com as quais teve treze filhos: nove mulheres e quatro homens. Nosekeni Fanny, mãe de Mandela, era a terceira esposa, na hierarquia nobiliárquica.[4]

Morreu em 1928 vítima da tuberculose quando seu filho Nelson Mandela contava nove anos.[4]

Referências

  1. Nelson Mandela (2010). Conversas que tive comigo primeira ed. Rio de Janeiro: Rocco. p. 30-33. 415 páginas. ISBN 9788532526076 
  2. Richard Stengel (tradução: Douglas Kim) (2010 (5ª reimpressão, 2011)). Os Caminhos de Mandela: lições de vida, amor e coragem. [S.l.]: Editora Globo S.A. p. 31-41 (Cap. I: Coragem não é ausência de medo). ISBN 9788525046086  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  3. Xavier Casals (2010). «Mandela: El forjador de una nueva Sudáfrica». Clío – Revista de História. MC ediciones, Barcelona (n°100): 75-79 
  4. a b c 100 Most Influential People of All Times. [S.l.]: MobileReference. 2007. 2321 páginas. ISBN 160501124X 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.