O Diário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Diário foi um jornal português, afecto ao Partido Comunista Português[1] que se publicou em Lisboa entre 10 de janeiro de 1976 e 1990.[2][3][4]

Teve como directores Miguel Urbano Rodrigues (até 1985)[5], António Borga e Armando Pereira da Silva.

Da sua redacção fizeram parte ao longo dos tempos os jornalistas Adelino Tavares da Silva, Alberto Villaverde Cabral, Ana Sousa Dias, António Borga, António Costa Santos, António Melo, Armando Pereira de Silva, Baptista-Bastos, Carlos Coutinho, Cipriano Ricardo, Daniel Ricardo, David Lopes Ramos, Fernando Negreira, Fernando Correia, Fernando Semedo, Gabriel Raimundo, Goulart Machado, João Alferes Gonçalves, João Ogando, João Paulo Guerra, João Paulo Velez, Joaquim Margarido, Jorge Figueiredo, José Goulão, José Jorge Letria, José Luiz Fernandes, José Manuel Saraiva, Júlio Pinto, Lina Pacheco Pereira, Luís de Barros, Miguel Serrano, Nuno Gomes dos Santos, Orlando César, Ribeiro Cardoso, Rogério Carapinha, Rui Pereira, Viriato Teles e Vítor Ribeiro, entre outros.


Referências

  1. «1976». Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Consultado em 17 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 12 de março de 2011 
  2. Google books " O Diário: a saga de um jornal de causas"
  3. Pré-História "Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008" (1ª página do nº 1 de O Diário)
  4. «O diário». Bibliotecas de Lisboa. Consultado em 17 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 17 de fevereiro de 2015 
  5. «Miguel Urbano Rodrigues / Biografía». O Diário Liberdade. Consultado em 12 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 1 de julho de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.