Obra de assistência 5 de dezembro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Instituição assistencial fundada por Sidónio Pais durante o seu mandato presidencial.

Através desta instituição foram criadas várias cozinhas económicas na área de Lisboa, com o objectivo de erradicar a mendicidade. Através do conjunto legislativo aprovado nesta matéria, durante este período, conclui-se que o Presidente conferia a esta instituição uma vincada importância, munindo-a com múltiplos recursos financeiros, conforme é apontado no capítulo inicial da obra A Saúde no Estado Novo de Salazar[1]. Esta instituição assistencial gozava de autonomia organizacional, desenvolvendo a sua actividade de forma independente da Direção Geral de Assistência Pública e da Direção Geral da Saúde e dos Hospitais Civis de Lisboa[2].

A criação desta instituição inscreve-se no seio da política social do Sidonismo, focada na assistência pública, embora com uma visão supletiva e caritativa do papel do Estado nesta área, conforme consta do exaustivo estudo de David Pereira sobre esta matéria[3].

Ligações Externas:[editar | editar código-fonte]

Referências Bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  1. ALMEIDA, Andreia (2017). A Saúde no Estado Novo de Salazar (1933-1968): Políticas, Sistemas e Estruturas. Lisboa: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. pp. 84–85 
  2. SILVA, Armando Malheiro da (2006). Sidónio e Sidonismo. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra 
  3. PEREIRA, David (2012). Políticas Sociais em Portugal (1910-1926). Lisboa: Universidade Nova de Lisboa. p. 200 

.