Olegária da Costa Gama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Olegária da Costa Gama, conhecida como Dona Olegarinha, Dona Olegarinha da Cunha ou Olegária Mariano (Recife[1],[quando?] — Recife, 24 de abril de 1898) foi a esposa de José Mariano Carneiro da Cunha, ambos pernambucanos abolicionistas.

História[editar | editar código-fonte]

Olegária da Costa Gama nasceu num engenho perto do Recife, indo morar no Poço da Panela. Casou-se com o abolicionista José Mariano Carneiro da Cunha, recebendo no nome o da família do esposo e sendo conhecida, também, por Olegarina ou Olegarinha.[2] Seu papel foi marcante na luta abolicionista, sobretudo quando José Mariano foi preso e ela assumiu a defesa dos escravos fugitivos. Conta-se que vendeu parte de suas joias de família para comprar cartas de alforria de escravos. Também promovia fugas de escravos para o Ceará, onde já havia sido decretada a abolição.[2]

Sua casa, além de abrigar escravos fugidos, também foi cenário de reuniões de organizações abolicionistas. Olegarinha reunia-se com outras senhoras favoráveis à abolição e promoviam bazares para arrecadar fundos, ou manifestações femininas, com o mesmo intuito.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • arteviverpernambuco.blogspot.com.br/2008/03/olegria-mariano-legendria-mulher.html Olegária Mariano - legendária mulher pernambucana
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.