PROUT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

PROUT ou Teoria de Utilização Progressiva é uma teoria sócio-económica desenvolvida em 1959 pelo filósofo indiano Prabhat Rainjan Sarkar. PROUT é uma filosofia que sintetiza as dimensões físicas, mentais e espirituais da natureza humana. Descreve uma alternativa aos paradigmas sócio-económicos do capitalismo e do comunismo.

A PROUT não se foca apenas na economia mas também em toda a existência humana individual e colectiva - física, educacional, social, política, mental, cultural e espiritual - no paradigma do crescimento colectivo. Os valores cardinais da teoria são aqueles do neo-humanismo, que tem em consideração o bem-estar e felicidade de todos os seres vivos; plantas, animais e seres humanos.

Cinco factores fundamentais[editar | editar código-fonte]

PROUT descreve cinco princípios básicos que contribuem para o desenvolvimento sustentável e equilibrado da sociedade.

  1. Limitação da acumulação de riquezas físicas.
  2. Máxima utilização e distribuição racional de todas as potencialidades do planeta.
  3. Máxima utilização de todos os indivíduos e potencialidades colectivas.
  4. Ajuste apropriado entre todas as utilizações.
  5. Os métodos de utilização que variam consoante o tempo, espaço e pessoa e são de natureza progressiva.

Princípios chave[editar | editar código-fonte]

As necessidades básicas devem ser garantidas a todos, incluindo comida, abrigo, roupas, educação e cuidados médicos. Suficiente poder de compra também deve ser garantido a todos. Outros princípios chave são a democracia económica, liderança moral, liberdade individual, diversidade cultural, direitos das mulheres e governo mundial.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]