Paludamento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estátua de Augusto (r. 27 a.C. - 14 d.C.)

O paludamento (em latim: paludamentum) era um manto ou capa presa no ombro direito usado por comandantes militares (por exemplo o legado) e um menos frequentemente pelas tropas deles. Tido como comandante em chefe supremo do exército, o imperador foi comumente representado vestindo-o, sendo que no período dos Antoninos mais de 50% das representações imperiais retratavam o paludamento.[1] Era geralmente de cor carmesim, escarlate ou roxa[2] e, às vezes, branca. Foi preso com um fecho, chamado fíbula, cuja forma e tamanho variou através do tempo. Colocá-lo era um ato cerimonial de guerra.[3]

Referências

  1. Howgego 2007, p. 45.
  2. Sekunda 1996, p. 46.
  3. «Roman Tribune» (em inglês). Consultado em 20 de setembro de 2013. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Howgego, Christopher; Volker Heuchert, Andrew Burnett (2007). Coinage and Identity in the Roman Provinces. [S.l.]: Oxford University Press. ISBN 0199237840 
  • Sekunda, Nick; Angus McBride (1996). Republican Roman Army 200-104 BC. [S.l.]: sprey Publishing