Paráfrase

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em matéria de gramática gerativa, a paráfrase é um tipo de equivalência semântica responsável pela interligação de enunciados, ou seja, pela substituição de classes gramaticais variáveis e invariáveis entre estruturas léxicas e sintáticas. Em duas orações (A) O avião chegou com atraso e (B) O avião chegou atrasado, vamos dizer que (B) parafraseia (A), portanto (A) e (B) constituem orações sinônimas. Partindo desse método definitivo, uma palavra, uma ideia ou uma expressão parafraseada é qualquer um termo que varia na estrutura sintática que substitui essa ideia de uma classe gramatical para outra. Já, uma metáfrase é todo um termo que não é capaz de ser sintaticamente reestruturado de uma classe gramatical para outra, a não ser a sua substituição por um sinônimo, isso se a palavra do autor original for um substantivo, um adjetivo ou um verbo, ou seja, uma dessas três opções de léxico. A capacidade de fazer uma paráfrase é uma das estratégias que proporcionam maior produtividade e criatividade. Dessa maneira, a paráfrase melhora a redação do aluno que estuda nos ensinos fundamental e médio e do wikipedista que pesquisa assuntos em livros, enciclopédias, dicionários, atlas, almanaques, jornais e revistas sob consulta no acervo de bibliotecas públicas/particulares/universitárias e sites da Internet. Pesquisadores especializados em linguagem empregam testes de paráfrase para verificar o grau de desempenho na linguagem das pessoas que falam uma língua materna.[1]

A paráfrase tem por base a transcrição, com palavras diferentes, onde as ideias centrais são representadas pelas palavras de um texto. O dever do leitor é ler cuidadosa e atentamente o texto e, desde então, fazer a reafirmação e/ou o esclarecimento do tema central na apresentação do texto, fazendo o acréscimo dos aspectos de relevância de uma opinião pessoal ou estando cercado de fundamentos críticos dotados de excelência. Assim, a paráfrase fica repousada sobre o texto-base, dando-lhe a condensação direta e imperativa. A paráfrase é um exercício de redação por excelência devido ao desenvolvimento que exerce sobre o poder sintático, clarificador e vocabularmente preciso do texto. Vê-se acrescentada a possibilidade de um diálogo de intertextualidade, recurso que os versados em linguística utilizam para efeito estético na literatura moderna.[2]

A paráfrase é composta de frases que têm semelhança com outras. Com ela se reescreve um texto sem prejudicar o sentido. Para isso, pode-se utilizar uma variedade de recursos:[3] empregar sinônimos, empregar antônimos que se apoiam em palavras negativas, mudar a ordem dos termos no período, omitir termos de fácil subentendimento, mudança de voz verbal para voz ativa, etc. O dever de quem trabalha com a possibilidade de parafrasear o texto é fazer a sua leitura cuidadosamente trabalhada. Mudando o sentido, não se pode considerar a reescrita como uma paráfrase,[3] embora as palavras paráfrase e reescrita sejam sinônimos.[4]

Definição[editar | editar código-fonte]

Segundo Sant' Anna[5] uma definição oficial deste vocábulo seria: Paráfrase "é a reafirmação, em palavras diferentes, do mesmo sentido de uma obra escrita. Uma paráfrase pode ser uma afirmação geral de ideia de uma obra como esclarecimento de uma passagem difícil. Em geral ela se aproxima do original em extensão". Conforme o dicionário Beckson e Ganz,[6] que assim o define:

Portanto, parafrasear é absorver a ideia principal de um autor e reproduzir a mesma com suas palavras, no entanto, sem fugir da ideia principal.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra paráfrase é derivada do médio-francês paraphrase, através do latim paraphrasis "uma paráfrase", do grego clássico paraphrasis "repetição de uma sentença" de paraphrazein "dizer em outras palavras" de para- "ao lado de" + phrazein "dizer".[7]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

Quanto à paráfrase trata-se de uma estratégia de redação pela qual o escritor é obrigado a dominar bem o léxico ou vocabulário, além da sintaxe. A paráfrase de um texto é a reescrita preservativa do sentido original, porém, para conseguir isso, ao invés de copiar pura e simplesmente devemos usar sinônimos, além de trocar interligadamente as classes variáveis como substantivos, artigos, adjetivos, numerais, pronomes e verbos, fazendo igualmente a troca interligada com três classes invariáveis como advérbios, preposições e conjunções. Exatamente por isso, o rico vocabulário e a perfeita sintaxe são aquilo que os linguistas recomendam para que nós possamos parafrasear com perfeição. Todo o dia, parafraseamos na totalidade do tempo, acima de tudo quando fazemos a narração a alguém de um fato que nos foi chamada a atenção.[8]

Na capacidade que o homem tem da paráfrase é provável que não aconteçam situações que causem constrangimentos. Uma delas é a da violação de direitos autorais. Já a paráfrase é a opção de honestidade, sendo a opção dotada de honestidade para não copiar um trecho de texto que outra pessoa escreveu.[8]

Outra situação de dificuldade e que na paráfrase é possível evitar há ocorrência de quando temos de fazer a repetição do que foi dito por alguém. Vamos imaginar a situação duma entrevista: por mais que o entrevistador faça a gravação total da conversa mantida com a pessoa que respondeu às perguntas da entrevista, passar as falas que o gravador registrou para a forma escrita é tão desafiador. Em qualquer que seja o deslize pode ser desvirtuada a fala da pessoa, sendo nela impressa um significado que não pertencia a um enunciado de origem. Na verdade, a pessoa entrevistada não pode fazer o pagamento porque o parafrasta do discurso pode não ser capaz de fazê-lo.[8]

Concluindo: a paráfrase constitui uma arte e sua finalidade mais importante é manter o sentido que o texto ou o enunciado original possui.[8]

Tipos de leituras[editar | editar código-fonte]

São recomendados ambas as leituras. A primeira será chamada de leitura vertical e a segunda, de leitura horizontal:[2]

  • Leitura vertical: é a leitura dotada de rapidez que objetiva a forma que o leitor começa a contatar com o assunto que dá título ao texto.[2]
  • Leitura horizontal: tem por base uma leitura de maior atenção; são os referenciais levantados do texto de origem para que possamos compreender perfeitamente. É de suma importância o grifo, na leitura de cada parágrafo, das idéias mais importantes. Depois da escrita em particular do recolhimento das idéias grifadas, estando à procura de redigir propriamente, não importando que palavras o autor do texto utiliza. Esta etapa será chamada de levantamento textual dos referenciais. A redação final une estes referenciais, sendo o redator especialmente cuidadoso na união das idéias com afinidades à redação, segundo o texto base o qual é identificado e evoluído.[2]

Relação entre paráfrase e encadeamento textual[editar | editar código-fonte]

Assim, como, geralmente, a ambiguidade é visível em períodos longuíssimos - afinal de contas, é justamente nos relatores ou conectivos utilizados que esse problema de coesão é visível -, a paráfrase é mais difícil quando se propõe a reunião de uma variedade de orações menores em um longo período. No estabelecimento das ligações para unir o texto, aparecem equívocos que podem causar o desvirtuamento completo do sentido original que pertence ao conjunto de curtas orações que se deu inicialmente.[9]

Em um texto menor, são informadas duas coisas ou mais a respeito de um mesmo objeto ou sujeito. Em exercícios que fazem um pedido para que seja unida uma diversidade de períodos curtos, um erro de base e de grande frequência é fazer a ligação que um pronome relativo utilizado pede, porém, com ausência de preocupação com a especificação de um lugar em que será feita a inserção da segunda informação a respeito de um objeto ou sujeito questionado.[9]

Ir-nos-emos a um exemplo de frase longa se estivesse escrita numa enciclopédia de astronomia:[nota 1]

Crux é uma constelação do hemisfério celeste austral, formada por cinco estrelas que formam uma cruz latina: Alfa, Beta, Delta, Gama e Épsilon.

A frase acima poderia ser reescrita e dividida assim:[nota 2]

Crux é uma constelação vista no céu da madrugada. Pertence ao hemisfério celeste austral. Se constitui de cinco estrelas que dão formato de uma cruz latina. São elas: Alfa, Beta, Delta, Gama e Épsilon.

As orações unidas na frase longa estão corretas por causa da atribuição dos nomes das estrelas representados pelas letras gregas à "forma das cinco estrelas em cruz latina". Assim sendo, é percebido com facilidade que, para ser obtida uma paráfrase de excelência, é muito importante fazer a interpretação correta das informações - afinal de contas, é isso que dará a determinação a um texto com uma linguagem clara e objetiva que algum escritor produziu. Em suma, para que o texto não seja ambíguo e explicar corretamente a redação por meio de paráfrase, não se pode deixar de interpretar e clarificar a escrita.[9]

Para que seja feita uma paráfrase desenvolvida, ir-nos-emos a um exemplo de frase longa:[9]

A casa que comprei é pequena e fica no bairro Água Verde, em Curitiba.

A frase acima poderia ser reescrita e dividida assim:[9]

O tamanho da casa é pequeno. Realizei a compra da casa. A casa está situada no bairro curitibano do Água Verde.

Preservou-se o sentido original: na informação dizendo que a casa foi comprada e após a informação citam-se os dois atributos que a compra casa possui, isto é, tamanho - "pequena" - e localização - "está localizada no bairro curitibano do Água Verde".[9]

O estacionamento, onde queria deixar o carro, estava lotado.

Paráfrase:[9]

Meu desejo era deixar o carro para estacionar no Estapar. Mas os carros já lotaram o estacionamento do Estapar.

Foi escolhida como informação mais importante a segunda oração: "O estacionamento estava lotado". Porém, afinal de contas, onde mesmo eu "queria deixar o carro"? No estacionamento do Estapar. Então, introduziu-se uma segunda informação - onde queria deixar o carro - logo depois da expressão estacionamento da Estapar, pois o acréscimo da informação serve de referência a esse antecendente.[9]

Texto original:

Inúmeras pessoas leem livros de não ficção, principalmente sobre relações interpessoais e esoterismo, que são os temas mais procurados atualmente.

Paráfrase:

Um grande número de pessoas fazem a leitura de livros de não-ficção. Relações entre pessoas e temas esotéricos são os assuntos que as pessoas mais procuram hoje em dia.

Sugere-se que a união das orações aprendidas nesse exercício se parece muito com a do exercício anterior: a permanência do início é o mesmo - "Um grande número de pessoas fazem a leitura de livros de não-ficção" - porque foi escolhida a preservação do primeiro período como a informação mais importante do novo texto. Mas, depois, ambos os assuntos são informados. Por fim, após a especificação de ambos os assuntos, é utilizada a vírgula e o pronome relativo que, fazendo a retomada de "relações entre pessoas" e "temas esotéricos", mas não repetindo, para fazer menção que esses "são os assuntos que as pessoas mais procuram hoje em dia".[9]

Nesses exemplos que vimos e trabalhamos, a paráfrase usou poucos sinônimos e estruturou muitos textos. Nesse primeiro nível menos difícil da paráfrase utilizada, é exigido menos conhecimento: o sentido mantido compreende a comunicação desejada quando interpretada corretamente, os relatores utilizados adequadamente e uma ordem estabelecida de lógica e de coerência para as informações. Mas, quando uma paráfrase faz um pedido ao escritor que se preocupe com o conteúdo, e não com a estrutura, é continuada a atenção merecida da totalidade desses cuidados, porém, a novidade é que o rico vocabulário do produtor textual passa a ter determinação.[9]

Relação entre paráfrase e sinonímia[editar | editar código-fonte]

Numa paráfrase elaborada é provado o conjunto de conhecimentos de um escritor que digita um texto no computador ou no notebook, pois é claramente desafiante: trata-se de fazer a afirmação da mesma coisa, valendo-se, porém, da utilização de outras palavras diferenciadas. O uso flexível da língua é um recurso que praticamente nunca se esgota e é possível praticar esse meio não somente pela estrutura variável como foi demonstrado há pouco, mas também pelos sinônimos utilizados.[10]

Mecanismos com base no léxico[editar | editar código-fonte]

Esta seção tem por finalidade a exploração das possíveis paráfrases que se baseiam no conhecimento que o homem tem do léxico. Duas sentenças constituem paráfrases uma da outra quando pelas quais são descritas maneiras equivalentes de um mesmo fato que acontece ou um mesmo estado de coisas. Os recursos através dos quais são construídas paráfrases de sentenças são de ambos os tipos:[11]

  • os que são baseados na aplicação de sintaxe transformada (das quais a de maior conhecimento é mudar a frase de voz verbal para voz passiva).
  • os que se utilizam de conhecimentos lexicais, aproveitando-se de palavras e construções equivalentes. Neste contexto, só serão levados em consideração os mecanismos de paráfrase com base no léxico.

São construídas paráfrases com:[11]

  • Recorrência ao "predicado converso"
  • Verbos
  • Preposições
  • Recorrência a "predicados simétricos"

Quanto ao predicado converso[editar | editar código-fonte]

Com substantivos[editar | editar código-fonte]

  • José é filho de Pedro = Pedro é pai de José.[11]
  • Deyvid é filho de Eloy = Eloy é pai de Deyvid.
  • Tassia é filha de Elizabeth = Elizabeth é mãe de Tassia.
  • Deyvid é sobrinho de Ronald = Ronald é tio de Deyvid.
  • Deyvid é neto de Guerino = Guerino é avô de Deyvid.
  • Tassia é neta de Magdalena = Magdalena é avó de Tassia.[11]

Com adjetivos[editar | editar código-fonte]

Inclusão comparativa de superiodade ou inferioridade:[11]

  • Os verbetes da Nova Enciclopédia Barsa são superiores aos verbetes da Wikipédia em português = Os verbetes da Wikipédia em português são inferiores aos verbetes aos verbetes da Nova Enciclopédia Barsa.
  • Os produtos da Perdigão são superiores aos produtos da Sadia = Os produtos da Sadia são inferiores aos produtos da Perdigão
  • Os produtos da Batavo são superiores aos produtos da Frimesa = Os produtos da Frimesa são inferiores aos produtos da Batavo.
  • A qualidade da Biblioteca Pública do Paraná é superior à das bibliotecas públicas municipais do estado = A qualidade das bibliotecas públicas municipais paranaenses é inferior à da Biblioteca Pública do Paraná.
  • Tassia é mais inteligente do que Elizabeth = Elizabeth é menos inteligente do que Tassia.
  • Pedro é mais forte que João = João é mais fraco que Pedro.
  • Maria é mais esperta do que Ana = Ana é menos esperta do que Maria.

Com verbos[editar | editar código-fonte]

Inclusão de voz passiva:

  • Eloy emprestou um livro a Deyvid = Deyvid tomou um livro emprestado de Eloy.[11]
  • João vendeu seu carro para o filho do prefeito = O filho do prefeito comprou o carro de João.
  • O dono do sebo vendeu a enciclopédia para Deyvid = Deyvid comprou a enciclopédia no sebo.[11]

Com preposições[editar | editar código-fonte]

Quanto ao predicado simétrico[editar | editar código-fonte]

Com substantivos[editar | editar código-fonte]

  • José é irmão de Pedro = Pedro é irmão de José.[11]
  • Deyvid é irmão de Daniel = Daniel é irmão de Deyvid.
  • Eloy é irmão de Jadir = Jadir é irmão de Eloy.
  • Elizabeth é irmã de Marlene = Marlene é irmã de Elizabeth.[11]

Com adjetivos[editar | editar código-fonte]

Com inclusão comparativa de igualdade:

Com verbos[editar | editar código-fonte]

Com inclusão de voz passiva:

  • Maria namora José = José namora Maria.[11]
  • Tassia namora Felipe = Felipe namora Tassia.
  • Ediviga namora Daniel = Daniel namora Ediviga.[11]

Com preposições e locuções prepositivas[editar | editar código-fonte]

Quanto à troca de expressões com base em diferentes verbos-suporte[editar | editar código-fonte]

  • José tem barba = José é barbudo.[11]
  • José tem muita idade = José é muito idoso, muito velho.
  • José tem paciência = José é paciente[11]

Porém fique atento: às vezes as equivalências têm falhas: José é narigudo não tem o mesmo significado exato da expressão José tem nariz; e a expressão José não é narigudo não é verdadeiramente equivalente à expressão José não tem nariz.

Quanto à substituição de classe gramatical[editar | editar código-fonte]

Expressão das mesmas relações ora através de palavras que fazem parte de diferentes classes morfossintáticas (preposições x verbos, conjunções x verbos, etc.):[11]

  • sinônimo x sinônimo: estudante x pesquisador
  • substantivo x adjetivo: estudo x estudantil
  • substantivo x verbo: estudo x estudar
  • adjetivo x substantivo: estudantil x estudo
  • adjetivo x verbo: estudantil x estudar
  • verbo x substantivo: estudar x estudo
  • verbo x adjetivo: estudar x estudantil

Exemplos:

  • Antes do jantar, o presidente discursou. (advérbio) (preposição + artigo definido) (artigo definido) (verbo) = O jantar foi precedido pelo discurso do presidente. (artigo definido) (verbo) (adjetivo) (preposição + artigo definido) (substantivo)[11]
  • O coral cantou o hino, depois a banda executou a marcha fúnebre. (verbo) (advérbio) (artigo definido) (verbo) (artigo definido) = O canto do hino pelo coral foi seguido pela execução da marcha fúnebre. (substantivo) (preposição + artigo definido) (preposição + artigo definido) (verbo) (adjetivo) (preposição + artigo defnido) (substantivo) (preposição + artigo definido)
  • A torcida organizada Gaviões da Fiel cantou o hino do Corinthians, depois a torcida do Palmeiras ofendeu a torcida corinthiana com palavras de baixo calão. (artigo definido) (verbo) (artigo definido) (advérbio) (artigo definido) (verbo) (artigo definido) (preposição) (termo científico) = O canto do hino do Corinthians pela torcida organizada Gaviões da Fiel foi seguido pelas ofensas chulas da torcida do Palmeiras. (substantivo) (preposição + artigo) (preposição + artigo definido) (preposição + artigo definido) (verbo) (adjetivo) (preposição + artigo) (substantivo) (adjetivo feminino no plural) (preposição + artigo definido)
  • Por causa da chuva, os convidados se atrasaram. (expressão) (preposição + artigo definido) (pronome pessoal) (verbo) = A chuva provocou o atraso dos convidados. (verbo) (artigo definido) (substantivo) (preposição + artigo)
  • Ontem à noite percebi que as palavras de um velho amigo eram sensatas. (pronome) (artigo definido) (verbo) (adjetivo) = Ontem à noite percebi a sensatez das palavras de um velho amigo. (substantivo) (preposição + artigo)[11]

Quanto aos sinônimos[editar | editar código-fonte]

  • A aula foi tediosa = A aula foi maçante = A aula foi chata. (sinônimo)[11]
  • O cliente finalmente recebeu a chave de sua nova casa = O cliente finalmente recebeu a chave de sua nova residência.(sinônimo)[11]

Mecanismos com base na sintaxe[editar | editar código-fonte]

Esta seção tem por finalidade a exploração de mecanismos com base na sintaxe pelos quais são criadas alternativas expressivas para um mesmo conteúdo. Caracterizando geralmente os mecanismos sintáticos, há operações de sintaxe pelas quais é "preservado o sentido". Essas operações utilizadas são então convertidas num recurso bastante útil para a construção de frases sinônimas.[12]

Na paráfrase é muito utilizada a sintaxe: a transferência de uma sentença à sua paráfrase é feita pela utilização das mesmas palavras (ou palavras que pertencem à mesma família) e pela mudança isolada de uma construção para outra. Os exemplos de maior celebridade relacionados à operação sintática que dá o resultado em paráfrase são:[12]

Quanto à mudança de voz verbal para voz passiva[editar | editar código-fonte]

Quanto à nominalização[editar | editar código-fonte]

  • A justiça ordenou a entrega imediata da criança aos pais. (artigo definido) (substantivo) (adjetivo) (preposição + artigo definido) (substantivo) = A justiça ordenou que a criança fosse entregue imediatamente aos pais. (pronome) (artigo definido) (substantivo) (verbo) (adjetivo) (advérbio)[12]
  • A biblioteca exigiu o pagamento da multa da devolução atrasada do livro ao leitor. (artigo definido) (substantivo) = A biblioteca exigiu que o leitor pagasse a multa da devolução atrasada do livro. (pronome) (artigo definido) (verbo)
  • A professora de geografia pediu uma pesquisa na Enciclopedia Hispannica sobre geografia física do departamento uruguaio de Treinta y Tres ao aluno (numeral) (substantivo) (preposição + artigo) = A professora de geografia pediu que o aluno pesquisasse na Enciclopedia Hispannica sobre geografia física do departamento uruguaio de Treinta y Tres. (pronome) (artigo definido) (verbo)
  • O rei Juan Carlos da Espanha pediu o silêncio ao presidente mau-caráter da Venezuela Hugo Chávez (artigo definido) (substantivo) (preposição + artigo) = O rei Juan Carlos da Espanha pediu que o presidente mau-caráter da Venezuela Hugo Chávez silenciasse. (pronome) (artigo definido) (verbo)
  • Deyvid pediu o conserto do notebook na assistência técnica ao seu pai (artigo definido) (substantivo) (preposição + artigo) (substantivo) = Deyvid pediu que o seu pai consertasse o notebook na assistência técnica. (pronome) (artigo definido) (verbo) (artigo definido) (substantivo)[12]

Quanto à substituição de uma forma verbal finita por uma forma verbal infinita[editar | editar código-fonte]

  • Aos 30 anos, ficaria mal eu pedir dinheiro a meu pai (formal verbal finita) = Aos 30 anos pegaria mal que eu pedisse/se eu pedisse dinheiro a meu pai. (forma verbal inifinita) = Aos 30 anos, pegaria mal eu pedir dinheiro a meus pais. (forma verbal finita)[12]
  • No Maranhão, ficaria mal eu chamar um negro de negro (formal verbal finita) = No Maranhão, pegaria mal que eu chamasse/se eu chamasse um negro de negro (forma verbal inifinita) = No Maranhão, pegaria mal eu chamar um negro de negro. (forma verbal finita)
  • Em qualquer lugar, ficaria mal eu discutir sobre paráfrase com a minha mãe (formal verbal finita) = Em qualquer lugar, pegaria mal que eu discutisse/se eu discutisse sobre paráfrase com a minha mãe (forma verbal infinita) = Em qualquer lugar, pegaria mal eu discutir sobre paráfrase com a minha mãe. (forma verbal finita)
  • Em qualquer lugar do Brasil, ficaria mal eu discutir sobre política com o povo brasileiro (formal verbal finita) = Em qualquer lugar, pegaria mal que eu discutisse/se eu discutisse sobre política com o povo brasileiro (forma verbal infinita)= Em qualquer lugar, pegaria mal eu discutir sobre política com o povo brasileiro. (forma verbal finita)[12]

Quanto ao alçamento de verbos[editar | editar código-fonte]

  • Para a maionese endurecer, é preciso que a vasilha esteja absolutamente seca (verbo) (adjetivo) (pronome) (verbo) = Para que a maionese endureça, a vasilha precisa estar absolutamente seca. (verbo) (verbo)[12]
  • Para um artigo da Wikipédia em português sobre um assunto ter credibilidade, é preciso que a paráfrase seja perfeitamente coerente para que não seja uma reescrita mal-feita nem cópia do texto da obra consultada (preposição) (verbo) (verbo) (adjetivo) (pronome) (verbo) (verbo) = Para que um artigo da Wikipédia em português sobre um assunto tenha credibilidade, a paráfrase precisa ser perfeitamente coerente para não ser uma reescrita mal-feita nem cópia do texto da obra consultada. (preposição) (pronome) (verbo) (verbo) (verbo) (verbo)
  • Para os artigos da Desciclopédia em português serem engraçados e não apenas idiotas, é preciso que os humoristas divulgem suas histórias falsas e verdadeiramente negativas do ponto de vista preconceituoso (preposição) (artigo definido) (verbo) (verbo) (verbo) (pronome) (verbo) = Para que os artigos da Desciclopédia em português sejam engraçados e não apenas idiotas, os humoristas precisam divulgar suas histórias falsas e verdadeiramente negativas do ponto de vista preconceituoso.[12] (preposição) (pronome) (verbo) (verbo) (verbo) (verbo)

Quanto à substituição interligada entre verbos e advérbios[editar | editar código-fonte]

Aparentemente: parecer; possivelmente: poder; necessariamente: precisar; geralmente: em geral; costumar: costumeiramente ou habitualmente, etc.:[12]

Exemplos:

  • Os ensaios da banda são feitos habitualmente na noite da quarta-feira (verbo) (adjetivo) (advérbio) = Os ensaios da banda costumam ser feitos na noite de quarta-feira. (verbo) (verbo) (adjetivo)[12]
  • Os livros da biblioteca pública são lidos habitualmente por luso-wikipedistas em busca de conhecimento e inspiração para seus trabalhos intelectuais e pesquisas. (verbo) (adjetivo) (advérbio) = Os livros da biblioteca pública costumam ser lidos por luso-wikipedistas em busca de conhecimento e inspiração para seus trabalhos intelectuais e pesquisas. (verbo) (verbo) (adjetivo)
  • Os artigos da Wikipédia em português são parafraseados habitualmente a partir do texto original das publicações impressas (verbo) (adjetivo) (advérbio) = Os artigos da Wikipédia em português costumam ser parafraseados a partir do texto original das publicações impressas. (verbo) (verbo (adjetivo)
  • Os artigos da Desciclopédia em português são habitualmente mentirosos e preconceituosos contra pessoas, coisas, lugares e acontecimentos (verbo) (advérbio) = Os artigos da Desciclopédia em português costumam ser mentirosos e preconceituosos contra pessoas, coisas, lugares e acontecimentos.[12] (verbo) (verbo)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Artigos sobre temas correlatos[editar | editar código-fonte]

Artigos sobre o uso da paráfrase[editar | editar código-fonte]

Artigos sobre temas filosóficos e sócio-culturais[editar | editar código-fonte]

Fontes de informação[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Texto original consultado numa enciclopédia impressa de astronomia sobre constelações da esfera celeste, que será parafraseado no artigo da Wikipédia sobre o Cruzeiro do Sul.
  2. Texto parafraseado que o escritor dividiu de forma imparcial a frase em diferentes frases pequenas separadas que se denominam fatos, preservando as funções sintáticas do sentido.

Referências

  1. Câmara, J. Mattoso. Dicionário de linguística e gramática: referente à língua portuguesa. 21ª ed. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 259-260.
  2. a b c d Leitura recomendada: paráfrase Universidade de Franca. Visitado em 16 de junho de 2014.
  3. a b Eronildo da Silva (31 de agosto de 2012). A Paráfrase do ponto de vista da Linguística (Análise em um poema) Portal Educação. Visitado em 16 de junho de 2014.
  4. Verbete "reescrita" Dicionário de Sinônimos Online. Visitado em 16 de junho de 2014.
  5. de Sant'anna, Affonso Romano. Paródia, Paráfrase & Cia. [S.l.: s.n.], 2003. ISBN 8508007035
  6. Beckson & Gànz, Karl & Arthur. Literary Terms : A Dictionary. [S.l.: s.n.], 1965. ISBN 9780374521776
  7. Verbete "paraphrase" (em inglês) Online Etymology Online. Visitado em 16 de junho de 2014.
  8. a b c d Kobs, Verônica Daniel. Interpretação de textos para concursos. Curitiba: IESDE Brasil, 2010. p. 70.
  9. a b c d e f g h i j Kobs, Verônica Daniel. Interpretação de textos para concursos. Curitiba: IESDE Brasil, 2010. p. 70-72.
  10. Kobs, Verônica Daniel. Interpretação de textos para concursos. Curitiba: IESDE Brasil, 2010. p. 72.
  11. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x Ilari, Rodolfo. Introdução à semântica: brincando com a gramática. São Paulo: Contexto, 2001. p. 140-141.
  12. a b c d e f g h i j k l m Ilari, Rodolfo. Introdução à semântica: brincando com a gramática. São Paulo: Contexto, 2001. p. 151-152.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]