Paradoxo do Pinóquio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo ou secção pode conter pesquisa inédita. Por favor, melhore-o, verificando o seu conteúdo e adicionando referências bibliográficas. Mais detalhes podem ser encontrados na página de discussão. Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

O Paradoxo do Pinóquio é o resultado gerado por um conflito de lógica baseado na famosa história infantil do boneco Pinóquio, cujo nariz crescia sempre que o mesmo contava uma mentira.

Esse conflito se ilustra imaginando o Pinóquio dizendo a frase: meu nariz vai crescer agora.

Neste caso, duas hipóteses, igualmente válidas poderiam acontecer:

  • O nariz de Pinóquio não cresce. Então ele disse uma mentira, portanto, o nariz deve crescer;
  • O nariz de Pinóquio cresce. Então ele disse uma verdade, portanto, o nariz dele não tinha motivo para ter crescido.

Em ambos os casos, seria gerada uma contradição, pois, se o nariz cresce, ele não deveria ter crescido e, se não cresce, deveria ter crescido.

A Possível Solução do Paradoxo[editar | editar código-fonte]

Uma possível solução do paradoxo, teoricamente formulada primeiramente pelo professor de Física brasileiro Fabio Miranda Rodrigues, consiste em analisar o que de fato é axiomático na história de Pinóquio e o que é consequência, aliado à análise da tabela-verdade das possibilidades de acontecimentos decorrentes da frase dita por Pinóquio e eliminação das possibilidades inconsistentes.

Segundo Fabio, o que é sabido e tomado por premissa na história de Pinóquio simplesmente é:

"Se Pinóquio mente, então seu nariz cresce".

Assim, dado que Pinóquio minta, decorre disso que seu nariz cresce. Podemos formular o seguinte quadro de possibilidades e, a partir da premissa, eliminar casos impossíveis:

- Pinóquio mente e o seu nariz não cresce: esta possibilidade é descartada, pois sempre que ele mente, seu nariz deve crescer.

- Pinóquio mente e o seu nariz cresce: esta possibilidade é descartada, pois, se ele mentiu na frase "meu nariz vai crescer agora", significa que seu nariz não deveria crescer.

- Pinóquio diz a verdade e o seu nariz não cresce: este possibilidade está descartada, pois, se ele disse a verdade na frase "meu nariz vai crescer agora", significa que seu nariz deveria crescer.

- Pinóquio diz a verdade e o seu nariz cresce: nada impede, segundo a premissa, que essa possibilidade ocorra.

Portanto, a única possibilidade viável é que a frase seja verdadeira e que seu nariz cresça.

Segundo Fabio, a premissa "se Pinóquio mente, então seu nariz cresce" não diz nada acerca do que acontece com o nariz de Pinóquio quando ele diz a verdade, significando que seu nariz poderia crescer mesmo que ele dissesse a verdade.

Além disso, segundo o professor, uma situação que ilustra bem a possibilidade da ocorrência desse fato é:

- Pinóquio dizer uma mentira;

- Rapidamente dizer que seu nariz vai crescer.

Assim, ao dizer uma mentira, seu nariz tenderia a crescer, mas antes de crescer ele terá dito uma verdade e seu nariz cresceria do mesmo modo.

Mas de qualquer forma isso continua sendo um paradoxo afinal de contas realmente não foi encontrado algo que prove as teorias...

Esse paradoxo se define pelo fato dele ter mentido anteriormente, mesmo que fale algo verdadeiro após a mentira, se ele mentiu e o nariz dele vai crescer mesmo que fale a verdade posteriormente.

Ver também[editar | editar código-fonte]