Pensamento analítico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O pensamento analítico é uma forma de pensamento com objetivo de explicar as coisas através da decomposição em partes mais simples, que são mais facilmente explicadas ou solucionadas, e uma vez entendidas tornam possível o entendimento do todo. O comportamento do todo é assim explicado pelo comportamento das partes. Estas partes, em geral, podem ser relatadas a outra pessoa por aquele que pensa.

Foi Jerome S. Bruner quem mais destaca a importância da distinção entre pensamento analítico e intuitivo.

Este pensamento se processa relativamente com plena consciência da informação e das operações que implica. Pode envolver raciocínio cauteloso e dedutivo, muitas vezes utilizando matemática ou lógica e um explícito planejamento de ações. Ou pode envolver um processo gradativo de indução e experimento, empregando princípios de técnica de pesquisa e de análise estatística.

O pensamento analítico também é central na solução de problemas. Para solucionar problemas é preciso subdividí-los em problemas menores, que recebem soluções particulares. Supõe-se que uma vez solucionados os problemas menores estará solucionado o maior.

Exemplo[editar | editar código-fonte]

Um exemplo de pensamento analítico:

  1. Definição do Problema;
  2. Formulação da Hipótese;
  3. Coleta dos Fatos;
  4. Condução da Análise;
  5. Desenvolvimento da Solução;

Em um outro exemplo, a temperatura do corpo, por exemplo, pode ser explicado como uma função da velocidade das partículas da matéria das quais ele é composto.

Ver também[editar | editar código-fonte]