Pinguim-africano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPinguim-africano
African.penguin.bristol.750pix (Pingstone).jpg
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Sphenisciformes
Família: Spheniscidae
Género: Spheniscus
Espécie: S. demersus
Nome binomial
Spheniscus demersus
(Lineu, 1758) (Sistema de classificação de Lineu)
Spheniscus demersus - MHNT

O pinguim africano (Spheniscus demersus) é a única espécie africana de pinguim, atualmente considerada ameaçada de extinção (vulnerável), dentre outros motivos pelos derramamentos de óleo na costa africana [1], apesar dos cuidados prestados pela Fundação Sul-Africana de Conservação de Aves Litorâneas Vivem na costa sudoeste de África, contando com cerca de 60 centímetros de comprimento, e pesando entre 2,4 e 3,6 kg, um pouco mais leves que os pinguins-de-humboldt. Têm uma faixa negra em volta da barriga branca e uma mancha preta no queixo e rosto separando da coroa por uma ampla faixa branca. Os machos tendem a ser um pouco maiores que as fêmeas. Os filhotes têm uma coloração azul-cinzento. Eles têm manchas rosadas acima dos olhos, e alguns pontos negros aleatórios no tórax e na barriga.

Características[editar | editar código-fonte]

Os pinguins africanos se alimentam de peixes como o biqueirão, sardinha, carapau e arenque, mas também comem lulas e crustáceos. Quando na caça de presas, os pinguins africanos podem alcançar a velocidade máxima perto de 20km / h.

Os pinguins africanos vivem em colônias. Começam a reproduzir entre dois a seis anos de idade, mas normalmente aos quatro anos. Os pinguins africanos são monógamos. Cerca de 80-90% dos casais permanecem juntos na reprodução. Costumam colocar dois ovos, embora não seja comum a sobrevivência dos dois filhotes. O período de incubação é de cerca de 40 dias, sendo que o pai e a mãe participam igualmente na incubação. Os adultos continuam a alimentar os filhotes, enquanto eles permanecem na colônia.

Referências

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pinguim-africano
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Pinguim-africano
Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado no Projeto Aves é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

O pinguim africano também é chamado de pinguim-do-cabo, sotilicário, cote- te, mangote, etc. Tais denominações são dadas a uma ave Ciconiformes (antigamente Esfenisciformes), a qual abordamos anteriormente.

Estudos feitos pela revista científica Current Biology informam que tal espécie de pinguins sofre ameaças devido as mudanças climáticas. Os pinguins africanos são considerados uma espécie ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), com cerca de 50.000 exemplares restantes na Namíbia e na África do Sul, devido principalmente à escassez de alimentos.

Para evitar a extinção dos pinguins africanos, a organização conservacionista Bird Life South Africa criou uma iniciativa inédita que consiste na criação de colônias de pinguins autóctones no litoral continental, longe das pequenas ilhas que formam seu habitat natural. A ideia consiste em reverter o processo que reduziu cerca de 25.ooo casais de tal população, que há cem anos, superava um milhão. Isso ocorreu devido à falta de comida que diminuiu 60% da população Spheniscus demersus.