Por Amor (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Por Amor
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Romance
Duração Aprox. 65 minutos
Criador(es) Manoel Carlos
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Roberto Naar
Elenco Regina Duarte
Gabriela Duarte
Susana Vieira
Vivianne Pasmanter
Antônio Fagundes
Fábio Assunção
Carolina Ferraz
Eduardo Moscovis
Murilo Benício
Carolina Dieckmann
Paulo José
Maria Zilda Bethlem
Marcelo Serrado
Carlos Eduardo Dolabella
ver mais
Tema de abertura "Falando de Amor", Quarteto em Cy e MPB4
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 13 de outubro de 1997 - 22 de maio de 1998
N.º de episódios 191

Por Amor é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo em seu horário das oito de 13 de outubro de 1997 e 22 de maio de 1998, substituindo A Indomada e sendo substituída por Torre de Babel, totalizando 191 capítulos.[1] Foi a 55ª "novela das oito" exibida pela emissora. Escrita por Manoel Carlos, com a colaboração de Maria Carolina, Vinícius Vianna e Letícia Dornelles; dirigida por Roberto Naar, Alexandre Avancini, Ary Coslov e Edson Spinello, direção-geral de Roberto Naar e Ricardo Waddington, e direção de núcleo de Paulo Ubiratan, diretor que faleceu durante a novela.[1]

Apresentou Regina Duarte, Antônio Fagundes, Gabriela Duarte, Fábio Assunção, Carolina Ferraz, Eduardo Moscovis, Cássia Kiss, Marcelo Serrado, Vivianne Pasmanter, Murilo Benício, Paulo José e Susana Vieira nos papéis principais.

Exibição[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida no Vale a Pena Ver de Novo entre 1º de julho de 2002 e 10 de janeiro de 2003 substituindo História de Amor e sendo substituida por O Cravo e a Rosa. Durante a exibição desta reprise, o capítulo 133 que seria exibido em 1 de janeiro de 2003, não foi ao ar, devido à transmissão da cerimônia de posse da presidência do candidato Lula, vencedor das eleições. Sendo assim, a reprise que fecharia com 140 capítulos, terminou com 139[2].

Foi reexibida no Video Show dentro do quadro Novelão entre 10 e 21 de dezembro de 2012 compactada em 10 capítulos. Teve outra exibição, entre 9 e 13 de fevereiro de 2015, em 5 capítulos, com narração de Gabriela Duarte.

Foi exibida pelo Canal Viva, de 19 de maio de 2010 a 8 de fevereiro de 2011, sendo substituída por O Rei do Gado, às 16h30, em 190 capítulos. Junto com Quatro por Quatro, foram as primeiras novelas a serem exibidas no canal. Posteriormente, o Viva anunciou uma reprise da trama, a partir de 8 de maio de 2017, substituindo Pai Herói, às 23:30 da noite.[3] A reprise se deu por causa dos 20 anos de sua estreia.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Leblon, a locação principal da trama.
Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Helena é mais do que mãe: é a verdadeira amiga da filha Maria Eduarda, e faz de tudo para que ela aceite e ajude o pai alcoólatra, Orestes, de quem é separada. Mas Eduarda só tem olhos para o seu grande amor, Marcelo. O rapaz sofre com a perseguição da ex-namorada, Laura, inconformada por haver sido trocada por Eduarda. Ela é cruel, invejosa, egoísta e desequilibrada, fará de tudo para destruir a vida do casal e dará o golpe da barriga para se vingar de Marcelo.

A mãe de Marcelo, Branca Letícia, também não gostou da escolha do filho, pois detesta Helena, que é simples demais para ela. Branca é uma mulher de personalidade forte, que adora manipular a vida alheia. Ela é dominadora, esnobe e muito má. Tem adoração pelo filho Marcelo, mas despreza os outros dois por não terem ambição na vida: A moderna e bela jovem Milena e o super tímido e atrapalhado Leonardo.

Milena tem um romance com o piloto de helicóptero Fernando Gonzaga (Nando), mas Branca faz praticamente de tudo para separá-los. Com a ajuda de Fausto (funcionário da empresa de helicóptero onde Nando trabalha), ela consegue armar para que o piloto seja preso com drogas. Porém, Fernando é solto pouco tempo depois.

Branca controla até a vida da amiga Isabel, que tem um caso com Atílio, um homem que está à procura de um grande amor. Branca, na verdade, é apaixonada por Atílio há muito tempo, mas nunca conseguiu se expressar e nem falar que gosta de ninguém. Ela fica transtornada ao descobrir que ele apaixonou-se por Helena, mãe de Eduarda. Ela se revolta e se culpa muito por jamais ter conseguido ter coragem de se declarar por mais de 20 anos e agora planeja destruir a felicidade dos dois. Após um breve romance, e para o desgosto de Branca e Isabel, Helena e Atílio se casam, numa linda cerimônia.

Mãe e filha engravidam na mesma época e dão à luz no mesmo dia, hora e hospital, sob os cuidados do jovem médico César, um eterno apaixonado por Eduarda. O filho de Helena nasce grande e saudável, mesmo ela tendo mais de 40 anos de idade. Eduarda, com menos de 30 anos, tem sérias complicações no parto e seu filho nasce morto. Para complicar a situação da moça, ela nunca mais poderá ser mãe, pois teve que retirar o útero por diversas hemorragias que sofreu.

Desesperada em evitar esse duro golpe para a filha, Helena mostra que amor de mãe vai além de tudo e ela troca sua felicidade pela da filha e decide trocar os bebês, implorando a ajuda de César. Ela diz para o médico: "Vamos trocar os bebês!". Embora relutante com a ideia, César acaba por ceder e consente a troca, culpa que ele vai carregar por toda a trama. Assim sendo, Eduarda cria o meio-irmão pensando ser seu próprio filho, enquanto Atílio sofre por pensar que seu filho com Helena morreu ao nascer. César é a única pessoa que sabe desse segredo, o qual concordou pelo mesmo objetivo que Helena: Evitar o sofrimento de Eduarda. Quem mais padece, contudo, é Helena, que é obrigada a tratar o filho como neto e ainda vê o seu relacionamento com Atílio desmoronar, apesar do grande amor que os une. Ela escreve todos os acontecimentos de sua vida em um diário e é nele que está a revelação do grande segredo que Helena carrega consigo. E é acidentalmente lendo-o que Eduarda, chocada, descobre toda a verdade, ficando revoltada e toda sua vida vira um inferno.

No fim Branca vive sozinha abandonada pela família. Laura voa em um helicóptero pilotado por Nando, enteado de Orestes, e a aeronave sofre um acidente na água. O piloto sobrevive, mas Laura não é encontrada. Nando vai parar no hospital com ferimentos leves, e acaba ficando com Milena. Marcelo e Eduarda ficam juntos. Atilio decide ir embora, depois de descobrir a verdade sobre Helena e Eduarda. Na cena final, Marcelinho dá seus primeiros passos junto com Eduarda e Marcelo e depois corre para Helena e Atilio, reconciliados.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Regina Duarte Helena Vianna[5]
Gabriela Duarte Maria Eduarda Vianna de Barros Mota [6]
Susana Vieira Branca Letícia de Barros Mota
Antônio Fagundes Atílio Novelli
Fábio Assunção Marcelo de Barros Mota
Vivianne Pasmanter Laura Saboya Trajano[7]
Carolina Ferraz Milena de Barros Mota[8][9]
Eduardo Moscovis Fernando Gonzaga (Nando)[9]
Murilo Benício Leonardo de Barros Mota Novelli (Léo)
Paulo José Orestes Greco
Regina Braga Lídia Gonzaga Greco
Carlos Eduardo Dolabella Arnaldo de Barros Mota
Cássia Kiss Isabel Lafayete
Marcelo Serrado César Andrade
Vera Holtz Sirléia Batalha Pereira
Carolina Dieckmann Catarina Batalha Pereira
Maria Zilda Bethlem Flávia Nogueira Dantas[10]
Ângela Vieira Virgínia Vianna
Françoise Forton Margarida Saboya Trajano (Meg)
Marco Ricca Nestor Pereira
Eloísa Mafalda Leonor Batalha
Odilon Wagner Rafael Mello Fontes
Elizângela Magnólia Rosa de Lima
Otávio Augusto Pedro Vianna
Beatriz Lyra Mafalda Andrade
Cecília Dassi Sandrinha (Sandra Gonzaga Greco)
Karina Perez Rose (Rosália Trindade)
Maria Ceiça Márcia
Cláudia Mauro Liza
Paulo César Grande Wilson
Ricardo Petraglia Trajano (Manoel Trajano)
Ângelo Paes Leme Rodrigo Vianna Fontes
Umberto Magnani Antenor Andrade
Castro Gonzaga Juvenal Moretti
Tonico Pereira Oscar Lima (Paizinho)
Marly Bueno Antonieta
Paulo Figueiredo Jayme Scliar
Rosane Gofman Tadinha
Henri Pagnoncelli Franco Torelli
Ilva Niño Dalva
Flávia Bonato Anita Duarte
Júlia Almeida Natália Trajano
Chaguinha Narciso
Cláudia Paiva Camila Lafayette
Edson Silva Fonseca
Eduardo Martini Patino
Jorge Cherques Lourenço
José Carlos Sanches Fausto Ribeiro
Lucy Mafra Santa
Norma Geraldy Filomena Novelli
Ricardo Macchi Genésio Labate
Patrícia Salgado Marli
Pablo Padilla Marcinho
Mônica Martelli Paula
Anna Bárbara Xavier Aninha
Beth Lamas Marisa
Carla Tausz Renata
Charle Myara Romeu
Edyr de Castro Elvira
Guilherme Corrêa Zito
Ingrid Guimarães Teresa
Lady Francisco Madame Consuelo
Maria Alves Maria
Juliana Aguiar Denise
Larissa Queiroz Juliana
Lina Fróes Ivete
Lucy Freitas Saudade
Giovanna Gold Kátia
Graziela di Laurentis Renata
Stella Maria Rodrigues Zilá
Cleyde Blota Juíza Francisca
Eduardo Lago Alfredo
Jorge Coutinho José
Carmem Verônica Karla
Tânia Scher Mônica
John Herbert Durval
Mônica Fraga Sílvia
Beto Nasci Alex
Carla Fioroni Dora
Kito Junqueira Olavo
Paulo Carvalho Walter

Música[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Por Amor - Nacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1997
Gênero(s) Vários
Formato(s) LP, CD,K7
Gravadora(s) Som Livre
Produção Alberto Rosenblit
Cronologia de vários intérpretes
-
Por Amor Internacional

Capa: Ricardo Macchi

N.º Título Música Personagem Duração
1. "Só Você"   Fábio Jr Nando 03:53
2. "Sempre Há Saída"   Luiz Carlos Magnólia 03:55
3. "Nem Um Dia"   Djavan Marcelo e Eduarda 04:17
4. "Palpite"   Vanessa Rangel Milena 03:50
5. "Enquanto Espero"   João Bosco Branca 04:17
6. "Abrazame Así"   Roberto Carlos Léo 04:40
7. "Fora da Lei"   Ed Motta Cati 04:47
8. "Paralelas"   Elba Ramalho César 03:38
9. "Falando de Amor"   Quarteto Em Cy e Mpb-4 Abertura 03:21
10. "Per Amore"   Zizi Possi Helena e Atílio 04:21
11. "Bandeira"   Zeca Baleiro Isabel 03:24
12. "Preconceito"   Maria Bethânia Wilson e Marcia 02:16
13. "As Vezes Nunca"   Verônica Sabino Laura 04:05
14. "Mudança dos Ventos"   Nana Caymmi Sirléia 02:32

A trilha nacional da história alcançou estrondoso sucesso. Com mais de meio milhão de cópias vendidas[11], colocou os hits "Palpite", "Só Você" e "Per Amore" entre os mais executados pelas rádios em 1997.[12]

Internacional[editar | editar código-fonte]

Por Amor - Internacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1998
Gênero(s) Vários
Formato(s) CD, K7
Gravadora(s) Som Livre
Produção Alberto Rosenblit
Cronologia de vários intérpretes
Por Amor Nacional
-

Capa: Eduardo Moscovis

N.º Título Música Personagem Duração
1. "So Help Me Girl"   Gary Barlow Nando 04:24
2. "Stay With Me"   Jocelyn Enriquez Laura 03:45
3. "Mi Dios y Mi Cruz"   Donato & Estefano Pedro e Sirléia 04:44
4. "More Than This"   10.000 Maniacs Milena 04:02
5. "L'Amore Vero"   Erminio Sinni Atílio 04:23
6. "Dindi"   El Debarge & Art Port Flávia 04:57
7. "Paint My Love"   Michael Learns To Rock Isabel 03:46
8. "How Could An Angel Break My Heart"   Toni Braxton Marcelo e Eduarda 04:18
9. "Aicha"   Gilbert Meg 03:47
10. "I'm Not Giving You Up"   Evelyn Fox Branca 03:47
11. "Hold On"   Alexia Cati 03:45
12. "As Long As You Love Me"   Backstreet Boys Léo 03:38
13. "Se Eu Fosse Um Dia Esse Teu Olhar (Si Fuesse Un Dia Tu Mirar)"   Pedro Abrunhosa Arnaldo 05:32
14. "Thinking of You"   Different Beat Genésio e Magnólia 03:29

Audiência[editar | editar código-fonte]

O primeiro capítulo de Por Amor teve uma média de 48 pontos de Ibope.[13] A trama teve uma média final de 43 pontos, sendo considerado uma audiência razoável na época.[14]
Os principais fatores porque a novela não atingiu sua meta de 45 pontos no ibope (era o esperado para o horário) foi a forte concorrência dos programas Ratinho Livre na Rede Record e do programa Márcia no SBT, que chegou a mudar de horário para não competir com a novela,[15][16] na época a Rede Globo teve que aumentar a duração dos capítulos para competir com o Ratinho, o autor Manoel Carlos disse em uma entrevista que foi obrigado a escrever capítulos de 1 hora e meia para "neutralizar o Ratinho".[17][18]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Troféu APCA (1997)[19]

Prêmio Contigo! (1998)[20]

Troféu Imprensa[21]

  • Melhor novela

Prêmio Extra de TV

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • “O que você seria capaz de fazer por amor?” era o mote da campanha publicitária para o lançamento da novela.
  • Pela segunda vez, Regina Duarte vivia uma Helena de Manoel Carlos – a primeira fora em História de Amor (1995). Para a atriz, inclusive, Por Amor teria sido História de Amor 2, por conta da abordagem da relação mãe e filha. A terceira Helena da atriz viria depois, em Páginas da Vida (2006). O nome, utilizado pelo autor em quase todas as suas novelas desde Baila Comigo (1981), tornou-se uma marca de estilo e dá unidade à sua obra, criando um laço entre as fortes e encantadoras “heroínas de classe média”, como costuma caracterizar suas Helenas. Somente em Sol de Verão (1982) o autor não incluiu uma Helena em sua história.
  • Manoel Carlos conta que escreveu a sinopse de Por Amor em 1983, mas que, envolvido com outros projetos, adiou a trama. Para essa história, o autor se inspirou no único amor que acredita ser absolutamente inquestionável: o materno[22].
  • O autor conta que se baseou em pessoas e dramas pessoais comuns para escrever as tramas e os personagens de Por Amor. Orestes (Paulo José), por exemplo, nasceu de uma conversa com um amigo seu. Os dois concluíram que toda família tem um alcoólatra, um ex-alcoólatra ou um alcoólatra em potencial.
  • O diretor Paulo Ubiratan morreu no decorrer da novela, em 28 de março de 1998. Ricardo Waddington, que já dirigia a trama, assumiu a direção-geral de Por Amor[23].
  • Sua classificação indicativa foi de 12 anos, assim como Viver a Vida e Em Família, outras tramas do autor no horário tiveram a classificação de imprópria para menores de 14 anos, como Laços de Família, Mulheres Apaixonadas e Páginas da Vida (Com a exceção que foi ameaçada e jogada para 22h ao conter a classificação 16 anos durante o seu 4° capítulo), Sua reprise em 2002, teve classificação livre.

Referências

  1. a b Redação Memória Globo (2010). «Memória Globo - Por Amor». Rede Globo. Globo.com. Consultado em julho de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. «Programação da TV em 01/01/2003». 1 de janeiro de 2003. Consultado em 25 de março de 2015 
  3. Nilson Xavier (22 de fevereiro de 2017). «Canal Viva confirma mais uma reprise: "Por Amor" volta em maio». Uol. Consultado em 26 de março de 2017 
  4. «"Por Amor" vai ao ar a partir do dia 08 de maio». Canal Viva. 22 de fevereiro de 2017. Consultado em 7 de maio de 2017 
  5. Redação Noveleiros (19 de julho de 2008). «As Helenas de Manoel Carlos». clicRBS. Consultado em 26 de março de 2017 
  6. Scarpa, Guilherme (28 de junho de 2010). «Gabriela Duarte rejeita rótulo de chata e diz que é legal». Terra. Consultado em 26 de março de 2017 
  7. Dantas, Luiza (26 de outubro de 1997). «Viviane Pasmanter foge dos padrões na novela "Por Amor"». Consultado em 26 de março de 2017 
  8. Sabino, Mario (3 de dezembro de 1997). «A beleza que levanta o ibope». Veja. Consultado em 26 de março de 2017 
  9. a b «Química de novela». Zero Hora. 1 de março de 2009. Consultado em 26 de março de 2017 
  10. Camacho, Marcelo (8 de abril de 1998). «Os astros no ringue: Socos, pontapés e empurrões ajudam a garantir a audiência da novela Por Amor». Veja. Consultado em 26 de março de 2017 
  11. http://web.archive.org/web/20130625080815/http://veja.abril.com.br/110298/p_081a.html
  12. «As músicas mais tocadas em 1997». Mofolandia. Consultado em 16 de dezembro de 2015 
  13. Mariana Scalzo (15 de outubro de 1997). «'Por Amor' tenta conquistar com clichês». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de março de 2015 
  14. «"Por Amor" volta a ser exibida na TV; relembre altos e baixos da novela». iG. 8 de maio de 2017. Consultado em 13 de maio de 2017 
  15. http://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=37737&PageNo=2
  16. http://www.tv-pesquisa.com.puc-rio.br/mostraregistro.asp?CodRegistro=37752&PageNo=2
  17. http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u10705.shtml
  18. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq14039826.htm
  19. Redação APCA (2010). «Os Melhores da APCA: Premiados de 1997». Associação Paulista de Críticos de Arte. Consultado em julho de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  20. «3º Prêmio Contigo! - Vencedores». Contigo!. Redação Contigo! Online. 1998. Consultado em julho de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  21. «1997 - Troféu Imprensa». Memória Globo. 2010. Consultado em julho de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  22. «Novela latina». Folha de São Paulo. 12 de outubro de 1997. Consultado em 9 de maio de 2017 
  23. «Paulo Ubiratan é enterrado em SP». Folha de São Paulo. 30 de março de 1998. Consultado em 9 de maio de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Por Amor