Praça da Matriz (Porto Alegre)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Praça da Matriz)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Praça da Matriz (São João de Meriti).
Praça Deodoro da Fonseca
Praça da Matriz
A Praça da Matriz em 2007.
Localização Centro Histórico, Porto Alegre
País  Brasil
Tipo Pública
Administração Prefeitura Municipal de Porto Alegre

A Praça Marechal Deodoro, mais conhecida como Praça da Matriz, é um espaço público e histórico da cidade de Porto Alegre, capital do estado brasileiro do Rio Grande do Sul. Está localizada no coração da cidade, no Centro Histórico, e existe desde os primórdios da capital.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Vista da praça em torno de 1850 com suas duas primeiras edificações: a Matriz e o Palácio do Governo

A primeira menção que há do local da praça remonta ao ano de 1753, quando ali foi construído um cemitério. Seu lado sul foi o primeiro a ser ocupado, construindo-se ali a Igreja Matriz. Em consequência disso, seu nome passou a ser Praça da Matriz. Pouco tempo depois, em 1772, aparece no primeiro mapa da pequena povoação que era Porto Alegre em seus primórdios, como Praça do Novo Lugar. Quando a capital da capitania foi transferida de Viamão para Porto Alegre, a praça foi escolhida para abrigar o Palácio do Governador, concluído em 1789, passando a ser conhecida também como Praça do Palácio da Presidência. Ao lado do Palácio, apareceu em 1790 a Casa da Junta ou da Real Fazenda e, entre 1837 e 1839, ao lado da Matriz, a primeira Capela do Divino Espírito Santo.[2]

Estabelecendo-se lentamente, a praça até 1840 não passava de uma elevação erodida, sem qualquer adorno. Nessa década foram então construídas as primeiras calçadas, e na segunda metade do século XIX, passada a agitação causada pela Revolução Farroupilha, quando a cidade foi sitiada por dez anos, outros edifícios importantes foram sendo construído no seu entorno, como o Palácio do Ministério Público, a sede da Sociedade Bailante, a primeira hidráulica da cidade, a primeira sede da Intendência municipal, o Theatro São Pedro e seu edifício gêmeo (este sede da Câmara Municipal) e a Junta Criminal.[3]

Em 1858, seu nome foi alterado para Praça Dom Pedro II, por ocasião da visita do Imperador à capital da província. Logo depois foi instalado um chafariz, com estátuas de mármore, que simbolizavam os grandes rios da Bacia do Guaíba, hoje transferidos para a Praça Dom Sebastião, e resolveu-se dar início à arborização. Entretanto, uma fotografia tomada após 1870 mostra apenas poucas palmeiras.[1]

O ajardinamento só foi empreendido de fato entre 1881 e 1883, incluindo 20 oliveiras vindas de Portugal. Em 1885 recebeu o Monumento ao Conde de Porto Alegre, depois removido para a praça que leva seu nome, a Praça Conde de Porto Alegre. Em 11 de dezembro de 1889, um decreto municipal alterou o nome do logradouro para Praça Marechal Deodoro, que conserva até os dias de hoje.[1] Em 1896, o antigo Palácio do Governo foi demolido para dar lugar a uma sede mais ampla e luxuosa, o atual Palácio Piratini.[4]

Virgilio Calegari: Vista da praça em sua primeira urbanização, em 1890

Em 24 de outubro de 1914 foi inaugurado o Monumento a Júlio de Castilhos, em homenagem ao grande estadista gaúcho Júlio de Castilhos. O monumento, em bronze, construído na gestão do governador Carlos Barbosa, foi criado pelo escultor Décio Villares. Cercam a figura central do governante diversas personificações de virtudes, como a Coragem e a Prudência, e de valores e instituições, como a Educação e o Civismo.[1] Assim como muitas construções de Porto Alegre, o Monumento sofreu ao longo do tempo com atos de vandalismo e de depredação. Pouco depois, a antiga Matriz era demolida para a construção de uma catedral maior, a presente Catedral Metropolitana de Porto Alegre.[3]

Posteriormente, a Praça recebeu grandes melhoramentos, que foram concluídos em 1919. Em 1927, onde se localizava o antigo prédio da Assembleia Legislativa, foi construído o primeiro Auditório Araújo Viana, para concertos da banda municipal, e que foi demolido na década de 1960 para erguer-se em seu lugar o moderno Palácio Farroupilha, sede do Poder Legislativo do Estado.[1] Nas vizinhanças imediatas da Praça da Matriz encontram-se ainda o Solar dos Câmara, o Museu Júlio de Castilhos e a Biblioteca Pública do Estado, todos em edificações históricas.[3]

Vista atual da Praça da Matriz, com o Monumento a Júlio de Castilhos ao centro e a catedral ao fundo

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências bibliográficas

  1. a b c d e Franco, Sérgio da Costa. Guia Histórico de Porto Alegre. Porto Alegre: Editora da Universidade (UFRGS)/Prefeitura Municipal, 1988.
  2. Machado, Andréa Soler. "A Praça da Matriz". In: Revista ArqTexto, Departamento de Arquitetura / PROPAR-UFRGS, nº 0, 1• semestre de 2000, pp. 45-46
  3. a b c Machado, pp. 46-50
  4. Machado, p. 47

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Praça da Matriz