Predefinição Discussão:Mitologias africanas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Trago aqui o mesmo que coloquei na discussão do verbete Mitologia africana:

Galicismo, perda de identidade ou o quê?[editar código-fonte]

A predefinição usada aqui e em muitas outras páginas nos remete a uma questão que há muito venho me fazendo: a grafia dos termos afro-brasileiros.

Uma constatação: O Pierre Verger parece que se tornou o papa dos nomes usados nos rituais afro-brasileiros. Vemos grafias que antes parecem coisa pra francês ver do que efetivamente aquilo que realmente é. Oxumaré ali, vira um link vermelhor para Oshunmaré...

Não existe, em nossa língua, o dígrafo sh, e muito menos essa grafia que junta nm... O y, abolido de há muito, jaz aqui ressuscitado!

Isso para não falar nos acentos graves e agudos em demasia, tal como no idioma do francês acima citado...

Fiz o registro recente de uma entidade afro-brasileira, e me causou admiração a quantidade desses acentos, como se para se afirmar fosse necessário perdermos o brasileiro que a origem nos reporta, para trair um desejo de ser "acadêmico", europeu...

Para mim, além de falso, piegas, tudo isso demonstra uma triste realidade: precisamos ainda conquistar o "direito de cidade" para os cultos e expressões de origem africana, que são, também e sobretudo... brasileiras.

Faço aqui este desabafo. As grafias, entretanto, devem obedecer, na wiki-lusófona, às formas consagradas idiomaticamente na língua portuguesa que falamos - e como tal receber o respaldo dos dicionários.

Pois, amigos, no Brasil, não há Oshunmaré, mas, graças a Deus, Oxumaré.

Conhecer ¿Digaê 02:18, 7 Maio 2007 (UTC)