Psico-história

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Psico-história trata-se de um estudo histórico em que se usam métodos, teorias e conceitos psicológicos ou psicanalíticos.[1] Deriva a maioria de seus conceitos de áreas largamente ignoradas por historiadores e antropólogos, particularmente os efeitos do cuidado parental e abuso infantil,[2] sugerindo, pois, que comportamentos como o crime e a guerra possam ser reencenamentos de traumas anteriores, de forma que flashbacks inconscientes para medos antigos e cuidados parentais destrutivos poderia dominar o comportamento individual e social.[3][4]

Referências

  1. Infopédia (2003–2013). «psico-história». Consultado em 19 de março de 2013. 
  2. Miller, Alice (1980). For Your Own Good: Hidden Cruelty in Child-Rearing and the roots of violence. Nova Iorque: Farrar, Straus & Giroux. ISBN 9780374522698 
  3. Milburn, Michael; Conrad, S.D. (1996). «The politics of denial». Journal of Psychohistory. 23. pp. 238–251 
  4. Rhodes, Richard (2000). Why They Kill: The Discoveries of a Maverick Criminologist. [S.l.]: Vintage 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.