Representação (direito)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Um representante legal (de óculos) atuando perante uma comissão parlamentar equatoriana.

Ocorre representação processual quando alguém defende direito ou interesse alheio. O representante age em nome do representado. Por outras palavras, atua em nome alheio, na defesa de um direito alheio. O representante não é parte do processo judicial: a parte é o representado.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

A representação processual é tratada pelo artigo 12 do Código de Processo Civil brasileiro. A representação processual é fundamentada nos artigos 70, 71, 72, 73, 74, 75 e 76 do Código de Processo Civil brasileiro. Por exemplo, o menor de 16 anos não tem capacidade de ser parte em um processo salvo se for assistido por alguém, bem como o maior de 16 e menor de 18, que deve ser representado.

Ícone de esboço Este artigo sobre direito é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.