Revista feminina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Revistas femininas são revistas cujas matérias, artigos e pu­blicidade focam as mulheres. No Brasil, as publicações dedicadas exclusivamente ao público feminino começaram a serem criadas na primeira metade do século XIX, um período em que muitas mulheres ainda eram analfabetas[1]. A imprensa feminina aborda temas sempre relacionados ao mundo feminino, caracterizado pela expressão de sentimentos, domesticidade e a esfera particular, da casa e da família. Os temas mais comuns são a maternidade, família, casamento e sexo[2].

Os produtos jornalísticos para as mulheres foram criados na Europa. A primeira publicação de forma regular é a Ladies' Mercury, originada na Inglaterra, em 1693. No final do século XVIII, circulavam algumas publicações femininas sobre literatura, conselhos e horóscopo em países como a Itália e a Alemanha. Os materiais exclusivos sobre moda para as mulheres começaram a ser produzidos a partir de 1800. A imprensa feminina teve grande destaque na França, desde o século XVIII. As revistas se desenvolveram nos Estado Unidos, com o exemplo da publicação da Ladies Magazine, criada em 1828[3].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma revista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Lima, Sandra Lúcia Lopes (3 de dezembro de 2009). «IMPRENSA FEMININA, REVISTA FEMININA. A IMPRENSA FEMININA NO BRASIL». Projeto História : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História. 35 (2). ISSN 2176-2767 
  2. Swain, Tania Navarro (Julho de 2001). «Feminismo e recortes do tempo presente: mulheres em revistas "femininas"». São Paulo em Perspectiva. 15 (3): 67–81. ISSN 0102-8839. doi:10.1590/S0102-88392001000300010. Consultado em 24 de setembro de 2017 
  3. Braga, Adriana. "Corpo e Mídia: fragmentos históricos da imprensa feminina no Brasil." ENCONTRO NACIONAL DA REDE ALFREDO DE CARVALHO 1 (2003).