Romaria de Nossa Senhora das Candeias de Juazeiro do Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Romaria de Nossa Senhora das Candeias é uma manifestação de piedade popular do município de Juazeiro do Norte- CE ,ocorrida anualmente, em 2 de fevereiro[1]. A origem da tradição é incerta. Numa das teorias, talvez a mais popular, a romaria teria sido criada pelo próprio Padre Cícero Romão, que, a fim de ajudar financeiramente a um ferreiro desempregado, instruiu os fiéis a adquirem candeeiros para a procissão de Nossa Senhora das Candeias[1][2]. Noutra, a tradição remontaria a 1895, quando o povo teria espontaneamente acorrido às ruas de Juazeiro segurando velas acesas, na esperança de que Nossa Senhora da Luz iluminasse a mente do bispo Dom Joaquim José Vieira, fazendo com que ele relaxasse as sanções impostas a Padre Cícero, por ocasião do incidente conhecido como milagre da hóstia[3][4]. Seja como for, a festividade se consolidou no decorrer dos anos, tornando-se um importante espaço devocional.

A ela acorrem peregrinos de diversas localidades do Nordeste do Brasil, e mesmo de outras regiões, o que a torna uma das maiores festividades católicas do Juazeiro, junto com a Romaria de Finados[1]. A Procissão das Velas, ocorrida na noite do dia 02 de fevereiro, marca o ápice da celebração religiosa, reunindo frequentemente centenas de milhares de romeiros[4]. Para além dos ritos religiosos, a celebração está associada a uma farta mostra de manifestações culturais profanas que se desenvolvem durante todo o dia, em especial a dança de São Gonçalo, performada em frente ao cruzeiro da Igreja de Nossa Senhora das Candeias, a apresentação de bandas cabaçais e grupos de guerreiros e reisados[5]. Na edição de 2014, a romaria reuniu aproximadamente 300 mil fiéis[2].

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c CARVALHO, Gilmar de. Madeira Matriz: cultura e memória. São Paulo: Annablume, 1998.
  2. a b G1 CE Romaria das Candeias deve atrair 300 mil pessoas a Juazeiro do Norte. Publicada em 29 jan. 2014. Acesso em 18 dez. 2014
  3. GRANGEIRO, Cláudia Rejanne Pinheiro. O discurso religioso na literatura de cordel de Juazeiro do Norte. Crato, CE: A Província Edições, 2002, p. 113
  4. a b PEREIRA, José Carlos. Sacra facere: expressões corporais no "catolicismo de folk". São Paulo: Arte & Ciência, 2004,
  5. COSTA, Gutemberg. Profetas do Nordeste. Natal: Editora Clima, 1994, p. 56