Rubem Biáfora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rubem Biáfora
Nascimento 1922
São Paulo
Morte 1996 (74 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação diretor de cinema

Gervásio Rubem Biáfora (São Paulo, 1922 — São Paulo, 1996) foi um cineasta e crítico de cinema brasileiro, considerado um dos mais importantes e influentes críticos de cinema do país.[1]

Ele ficou inicialmente conhecido por sua longa militância na crítica cinematográfica e por mais de 30 anos teve uma coluna semanal no jornal "O Estado de S.Paulo".[1]

Em 1967, junto com o cineasta Astolfo Araújo ele fundou a Data Cinematográfica e como diretor realizou três filmes: Ravina em 1958; O Quarto[2] em 1967 e A Casa das Tentações em 1975. Também trabalhou em televisão, sendo responsável pela criação do Capitão 7, um dos primeiros seriados da história da TV brasileira, exibido pela TV Record entre 1954 e 1956.[3]

Ele morreu aos 73 anos de um acidente cardiovascular.

Referências

  1. a b «Rubem Biáfora: a coragem de ser». Imprensa Oficial do Estado de SP. Consultado em 19 de julho de 2019 
  2. ARAÚJO, Inácio. «Em "O Quarto", personagem patético rende um belo filme». Ilustrada. Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de julho de 2019 
  3. «Rubem Biáfora». Enciclopédia Itaú Cultural. Consultado em 19 de julho de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.