SMS Emden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SMS Emden
Bundesarchiv DVM 10 Bild-23-61-13, Kleiner Kreuzer "SMS Emden I".jpg
O Emden em 1910.
Carreira
Operador War Ensign of Germany (1903-1918).svg Marinha Imperial Alemã
Fabricante Kaiserliche Werft
Danzig, Império Alemão
Lançamento 26 de maio de 1908
Comissionamento 10 de julho de 1909
Estado Encalhado nas Ilhas Cocos em novembro de 1914.
Características gerais
Classe Classe Dresden, Cruzador
Deslocamento 4 268 toneladas
Largura 13,5 m
Comprimento 118,3 m
Calado 5,33 m
Propulsão Dois motores a vapor de expansão tripla
Velocidade 56 km/h
Blindagem 80 mm
Armamento 10 canhões SK L/40 de 10,5 cm
2 tubos de torpedo de 50 cm
Tripulação 18 tripulantes
343 marinheiros

O SMS Emden foi o segundo e último cruzador leve da classe Dresden da Kaiserliche Marine, a marinha de guerra do Império Alemão. Seu nome é em homenagem a cidade de Emden. Construído pela Kaiserliche Werft, na cidade de Danzig, em 1906, o navio foi lançado ao mar em 1908 e comissionado no serviço ativo no ano seguinte.[1]

O Emden passou praticamente todo o tempo do seu serviço no estrangeiro, especialmente na região da Baía de Kiauchau (uma concessão colonial alemã), com sua base no porto de Tsingtao, na China. Em 1913, o comando da embarcação ficou com o capitão Karl von Müller. No começo da Primeira Guerra Mundial, ele combateu um navio russo na costa chinesa e depois partiu para o Oceano Índico. O cruzador passou dois meses nesta região e participou de alguns combates. Em outubro de 1914, o Emden participou de um ataque surpresa em Penang. Na batalha que se seguiu, o cruzador afundou um navio russo (o Zhemchug) e outro francês (o Mousquet). O capitão Müller levou então o Emden para atacar as Ilhas Cocos, desembarcando um grupo de marinheiros na área para destruir a base militar britânica por lá. Contudo, o navio acabou sendo atacado pelo cruzador australiano HMAS Sydney. A embarcação australiana era melhor armada e infligiu sérios danos ao Emden, forçando Müller a encalhar o próprio navio para impedir que este fosse afundado. Da tripulação de 376 homens, cerca 133 morreram. A maioria dos sobreviventes foi capturada pelo inimigo. O grupo que havia desembarcado antes, liderados por Hellmuth von Mücke, conseguiu encontrar um pequeno navio e eventualmente retornou a Alemanha. A carcaça do Emden foi deixado para apodrecer e o que sobrou só foi recolhido para o ferro velho na década de 1950.[2]

Referências

  1. Hoyt, Edwin P. (2001). The Last Cruise of the Emden: The Amazing True World War I Story of a German-Light Cruiser and Her Courageous Crew. Guilford, CT: The Lyons Press. ISBN 1-58574-382-8.
  2. "Ship's bell from SMS Emden : HMAS Sydney". Página acessada em 15 de novembro de 2014.