Sean Fitzpatrick

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sean Brian Thomas Fitzpatrick (Auckland, 4 de junho de 1963) é um ex-jogador neozelandês de rugby union que jogava como hooker.[1]

É considerado um dos maiores rugbiers da história, chegando a ser capitão da Nova Zelândia,[2] a seleção que tradicionalmente é a mais poderosa deste esporte [3] e onde já havia jogado seu pai, Brian Fitzpatrick[1]

Fitzpatrick atuou nas décadas de 1980 e 1990,[2] e, ao menos até o ano de 2010, ainda detinha o recorde de quem mais jogou pelos All Blacks, como é conhecida a seleção neozelandesa, tendo atuado 92 vezes por ela.[4] 17 delas foram na Copa do Mundo de Rugby, números que o fazem o neozelandês que mais atuou na competição.[5] Outras três foram diante de uma seleção do Resto do Mundo, comemorativas pelo centenário do rugby na Nova Zelândia, com ele liderando a seleção.[1]

Esteve nas três primeiras Copas, ganhando a primeira e sendo vice na terceira. Nesta, ainda era um dos principais nomes, em um elenco que, mesmo sem o título, é considerado um dos melhores times da história entre todos os esportes:[6] a Nova Zelândia, na Copa de 1995, chegara à final com grandes goleadas, como os 145 a 17 no Japão, além da liderança em pontos, tries, conversões e drop goals.[7] Já na primeira, era reserva de Andy Dalton, mas pôde jogar em razão de uma lesão deste e as boas atuações o mantiveram entre os titulares mesmo após a recuperação de Dalton.[1]

A nível de clubes, Fitzpatrick ganhou oito vezes o campeonato nacional pela equipe provincial de Auckland, e foi o capitão dos Blues nas duas primeiras edições do Super Rugby (principal torneio interclubes do hemisfério sul), faturadas por esta equipe.[1] Ele continua uma referência no rugby em todo o mundo, e hoje integra o painel de 46 lendas esportivas do Prêmio Laureus, considerado o Oscar dos esportes, inclusive visitando em 2013 o Rio de Janeiro, quando a cidade hospedou as premiações.[2] Chegou a ensinar o haka (famoso ritual de guerra dos maoris adotado pelos All Blacks antes das partidas[3]) na Favela da Maré.[2]

Referências

  1. a b c d e «Sean Fitzpatrick». ESPN Scrum. Consultado em 3 de abril de 2013 
  2. a b c d GISMONDI, Lydia (9 de março de 2013). «Astro do rúgbi visita projeto social e coloca crianças para dançar o haka». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de março de 2013 
  3. a b PICCINI, Renato (setembro de 2011). Obsessão. Revista ESPN n. 23. Editora Spring, pp. 78-81
  4. RAMALHO, Victor (29 de julho de 2010). «Recordistas All Blacks prontos para desafio fora de casa». Portal do Rugby. Consultado em 24 de março de 2013 
  5. «Most matches». ESPN Scrum. Consultado em 3 de abril de 2013 
  6. ABREU, Dado; LEAL, Ubiratan; MENDES JÚNIOR, Leonardo; SÍMON, Luís Augusto; TOSTÃO (novembro de 2011). 50 maiores equipes da história. Revista ESPN n. 25. Editora Spring, pp. 48-59
  7. ABREU, Dado (novembro de 2011). All Blacks dos anos 90. Revista ESPN n. 25. Editora Spring, p. 58