Segundo Estado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Na monarquia tanto em França até à Revolução Francesa como na restante Europa, nomeadamente no Reino de Portugal, o termo Segundo Estado (fr. second état) indicava os representantes da nobreza; no Primeiro Estado estava o clero e no Terceiro Estado estava o Povo.

Desses termos veio o nome medieval da assembleia nacional francesa: o Estados-Gerais (fr. Etats-Généraux), análogo Parlamento britânico.

Os nobres do Segundo Estado possuiam vários privilégios como por exemplo a isenção de impostos, a posse de terras, o recebimento de rendas feudais e o fato de somente eles terem acesso aos altos cargos do governo. Havia várias denominações de nobreza na época: havia a nobreza cortesã, que vivia no palácio, e outras denominações que viviam na corte, recebendo pensões do rei.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.