Sigismundo da Baviera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sigismundo da Baviera
Duque da Baviera-Munique (até 1467)
Duque da Baviera-Dachau (após 1467)
Sigismund von Bayern-München.jpg
Sigismundo da Baviera (retrato por Jan Polack)
Reinado 1467–1508
Dinastia Wittelsbach
Nascimento 26 de julho de 1439
  Straubing, Baviera
Morte 1 de fevereiro de 1501 (61 anos)
  Blutenburg, Baviera
Pai Alberto III da Baviera
Mãe Ana de Brunswick-Grubenhagen-Einbeck

Sigismundo da Baviera, (em alemão: Sigismund von Bayern ou Siegmund von Bayern), (Straubing, 26 de julho de 1439; Castelo de Blutenburg, 1 de fevereiro de 1501) foi um membro da Casa de Wittelsbach, duque da Baviera-Munique de 1460 a 1467[1] e duque da Baviera-Dachau de 1467 até à sua morte.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sigismundo era o terceiro filho do duque Alberto III, o Pio e de sua mulher Ana de Brunswick-Grubenhagen. Entre 1460 e 1467 reina sobre o ducado da Baviera-Munique conjuntamente com o seu irmão mais velho João IV da Baviera. Após a morte deste último, em 1463, reinou sozinho sobre o Ducado da Baviera-Munique.

Entretanto, o seu irmão mais novo Alberto, até então destinado à vida eclesiástica, abandona os seus votos e Sigismundo abdica do seu ducado de Baviera-Munique a favor de Alberto IV, o Sábio. Para si, conserva apenas como domínio soberano o pequeno ducado da Baviera-Dachau, centrado na cidade de Dachau, que governa até à sua morte, altura em que o seu estado é reintegrado na Baviera-Munique.

O duque Sigismundo foi um protetor das igrejas e mosteiros, estando na origem da reconstrução, em 1468, da Catedral de Nossa Senhora de Munique. Ele também ordenou o alargamento do Castelo de Blutenburg, a oeste de Munique, mandando construir a capela do castelo bem como igreja de St. Wolfgang em Pipping, não longe dali.

A renovação da residência ducal, o Alter Hof ("Corte Velha") foi também iniciada por Sigismundo que, genericamente, foi um patrono do renascimento da arte arte Gótica na Baviera. O duque residia no castelo de Blutenburg cujo parque mandou povoar com aves raras.

Sigismundo morre em 1501 e está sepultado no mausoléu do seu antepassado o imperador Luís IV, na Igreja de Nossa Senhora de Munique (Frauenkirche).

Descendência[editar | editar código-fonte]

Sigismundo nunca se casou mas teve três filhos ilegítimos. Duma primeira amante anónima, teve:

  • João (Hans) von Pfättendorf;
  • Sigismundo (Siegmund) von Pfättendorf († após 1 de outubro de 1502).

Duma outra ligação, teve:

  • Margarida (Margareta) († 1506) que casou primeiro com Hans Hundt († 1495) e, depois, com Christoph Pienzenauer.

Ascendência[editar | editar código-fonte]

Antepassados de Sigismundo em três gerações
Albert IV, Duque da Baviera pai:
Alberto III da Baviera
Avô Paterno:
Ernesto da Baviera
Bisavô Paterno:
João II da Baviera
Bisavó Paterna:
Catarina de Gorizia
Avó Paterna:
Isabel Visconti
Bisavô Paterno:
Bernabò Visconti
Bisavó Paterna:
Beatriz della Scala
Mãe:
Ana de Brunswick-Grubenhagen-Einbeck
Avô 'Materno:'
Erico I, Duque de Brunswick-Grubenhagen
Bisavô Matern:
Alberto I, Duque def Brunswick-Grubenhagen
Bisavó Maternal Grea:
Agnes de Brunswick-Lüneburg
Avó Materna:
Isabel de Brunswick-Göttingen
Bisavô Mterna:
Otão I, Duque de Brunswick-Göttingen
Bisavó Materna:
Margarida de Berg

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. de 1460 a 1463 governou conjuntamente com seu irmão mais velho João IV

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Alberto III
Armoiries Bavière.svg
Duque da Baviera-Munique

1460–1467
Sucedido por
Alberto IV
Precedido por
(novo título)
Duque da Baviera-Dachau
1467–1501
Sucedido por
reintegrado no ducado de
Baviera-Munique

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Anthony Stokvis, Manuel d'histoire, de généalogie et de chronologie de tous les États du globe, depuis les temps les plus reculés jusqu'à nos jours, pref. H. F. Wijnman, Israel, 1966, Capítulo VIII Maison de Wittelsbach. Ducs, princes-électeurs depuis 1623 p. 169 e «Généalogie de la Maison de Wittelsbach (Bavière)» quadro genealógico n° 61 .
  • (em alemão) Helga Czerny: Der Tod der bayerischen Herzöge im Spätmittelalter und in der frühen Neuzeit 1347–1579. Vorbereitungen – Sterben – Trauerfeierlichkeiten – Grablegen – Memoria. C. H. Beck, München 2005, ISBN 3-406-10742-7, p.  227–231 (Schriftenreihe zur bayerischen Landesgeschichte. Band 146; zugleich Dissertation, Universität München 2004).
  • (em alemão) Hans F. Nöhbauer: Die Wittelsbacher. Eine deutsche Chronik – eine europäische Dynastie. Scherz, Bern und München 1979.
  • (em alemão) Sigmund von Riezler: Sigmund, Herzog von Baiern-München. In: Allgemeine Deutsche Biographie (ADB). Band 34, Duncker & Humblot, Leipzig 1892, p. 282–284.
  • (em alemão) Andrea Rueth: Herzog Sigmund. In: Jürgen Wurst, Alexander Langheiter (Hrsg.): Monachia von Carl Theodor von Piloty im Münchner Rathaus. Städtische Galerie im Lenbachhaus, München 2005, ISBN 3-88645-156-9, p.  121.
  • (em alemão) Orlop, Nikolaus - Von Garibald bis Ludwig III. - Verlag Heinrich Hugeldubel, Munique, 1979. ISBN 3-88034-032-3.