Superaquecimento (economia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O superaquecimento de uma economia ocorre quando a capacidade produtiva é incapaz de acompanhar o crescimento da demanda agregada. Ele é geralmente caracterizado por uma taxa de crescimento econômico acima da tendência, onde o crescimento está ocorrendo a uma taxa insustentável. Períodos de expansão econômica são geralmente caracterizados como superaquecimento da economia. Fala-se que uma economia é superaquecida quando a inflação aumenta devido a prolongadas boas taxas de crescimento e os produtores produzem em excesso, assim criando uma capacidade de produção excessiva. A principal razão por trás do superaquecimento é a alocação insuficiente de oferta do excesso de gasto pelas pessoas devido ao aumento na riqueza do consumidor.

Causas[editar | editar código-fonte]

Altos níveis de demanda agregada tendem a causar o superaquecimento. Se a demanda agregada de curto prazo excede a oferta agregada de longo prazo, então a demanda excessiva por bens deve ser suprida pelo sobre-emprego dos recursos. Isto pode ser alcançado ao empregar trabalhadores por turnos extras ou usar o maquinário além das horas recomendadas de funcionamento. Este tipo de produção é considerado insustentável porque o sobre-emprego não pode ser feito indefinidamente. O superaquecimento pode ser evitado por meio da constante expansão da infraestrutura para eliminar gargalos.

Efeitos[editar | editar código-fonte]

O superaquecimento é geralmente precedido por taxas de crescimento abaixo da média. A inflação da demanda ocorre quando os fornecedores tentam capitalizar o excesso de demanda que não pode ser suprido pelas restrições de produção existentes. Esses preços mais altos tendem a reduzir a demanda agregada e as exportações (visto que bens e serviços tornam-se mais caros no exterior) levando a uma redução do consumo. Os bancos centrais muitas vezes simultaneamente apertam a política monetária em resposta às crescentes pressões inflacionárias, reduzindo os gastos com investimentos, que, em conjunto com a redução do consumo, podem levar à recessão econômica.

Exemplos históricos de superaquecimento[editar | editar código-fonte]

Recentemente[editar | editar código-fonte]

  • Os economistas suspeitaram que a China estivesse sofrendo dos efeitos do superaquecimento em seu rápido crescimento do PIB em anos recentes.[1]

Historicamente[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Nov 8, 2003 (8 de novembro de 2003). «Asia Times Online - News from greater China; Hong Kong and Taiwan». Atimes.com. Consultado em 4 de novembro de 2011 
  2. «La surchauffe - rts.ch - archives - télévision - divers». archives. Consultado em 4 de novembro de 2011. Arquivado do original em 11 de novembro de 2010 
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 16 de julho de 2011. Arquivado do original em 16 de julho de 2011