Tchê Barbaridade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Tchê Barbaridade é um conjunto de musical da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Surgido no início dos anos 90 é conhecido como um dos criadores da Tchê Music,[1] o novo estilo da banda levou a um conflito com a tradicional música gaúcha.[2]

O Tchê Barbaridade foi um dos únicos grupos tradicionais gaúchos a conseguirem sucesso nacional, onde seus grandes sucessos os levaram a receber inúmeros prêmios, incluindo álbuns de Ouro e Platina.

Em 2014, após mais de 20 anos Marcelo do Tchê se desliga pra seguir carreira com Edson Machado em um duo campeiro, Machado & Marcelo do Tchê. Desde então, Cristiano Vargas assume os vocais do conjunto. Em 2017, retorna o cantor Lorenzo Munari que estava inicialmente de 1998 a 2001 e mais tarde seguindo carreira no Grupo Vaneraço.

Tem na bagagem 27 CDS entre eles 20 em estúdio, 5 Ao Vivo, 2 coletâneas e 4 DVDS, em Porto Alegre, Cidreira, Caxias do Sul e Bento Gonçalves, respectivamente. Além de participações do Festchê I, II e V.

SUCESSOS:

- Bailongo do Mato Grande (1989)

- Moça Fandangueira (1992)

- Não Sei Dançar (1992)

- Ausência (1993)

- Ao Som de Um Gaitaço (1995)

- Apaixonado (1995)

- A Gaita do Belizário (1995)

- De á Cavalo (1996)

- Bailão da Nega Joana (1996)

- Vida de Gaúcho (1997)

- Bica Que Bica (1997)

- O Rio Grande Me Criou (1998)

- Uma Negrinha Me Esperando (1998)

- Gaitaço Brasileiro (1998)

- Vai, Vai no Balanço do Tchê (2000)

- É Sábado o Dia (2000)

- O Índio e o Bugio (2000)

- Festa na Rua (2000)

- Os Ginetes do Brasil (2001)

- Me Chama no Fole (2002)

- Minha Nega (2002)

- Lá Vem o Tchê! (2003)

- Vanera do Povão (2003)

- Nas Flores do Jardim (2003)

- Pancada de Vanera (2003)

- Na Palma da Mão (2004)

- Eu Sou Gaúcho (2004)

- Fusca do Tchê (2004)

- Na Batucada do Tchê (2006)

- Choram as Rosas (2006)

- Bate Coração (2007)

- Você Não Vale Nada (2007)

- Canalha Eu Sou (2008)

- I Love Tou Baby (2008)

- Agora é Tarde (2008)

- Você Vai Ver (2009)

- Flores (2009)

- Amor de Conveniência (2010)

- Você Me Tira do Ar (2010)

- Quebrando a Cabeça (2012)

- Aquele Cavalo (2012)

- Bombacha Preta (2012)

- Até Onde Os Pila Der (2013)

- O Jeito do Gauchão (2014)

- Melodia do Povo (2014)

- Vanera Perfeita (2016)

- O Gauchão Voltou! (2017)

- Livramento e Rivera (2017)

- Mulher e Cachaça (2017)

- Mas Bah Tchê! (2018)

- Mas Que Lorota (2019)

- O Trôco da Nega Véia (2019)

- O Cara da Vanera (2021)

- Vanerada do Tchê (2021)

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

  • Cristiano Vargas "Cris" (voz solo)
  • Valtair A. Tremea "Cavalo" (guitarra e vocal)
  • Miguel Ramos (contrabaixo e voz)
  • Ronaldo Bichara da Silva "Petiço" (gaita-ponto e vocal)
  • Júlio Sachet (acordeon)
  • Célio Araújo (bateria)

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Marcelo do Tchê (voz solo)
  • Zé Leandro (voz solo e violão)
  • Carmen Dubben (voz solo)
  • Joel Carlo (voz solo)
  • Pablo Costa (voz solo e percussão)
  • Enzo Munari (voz solo)
  • Edisson Soh (voz solo)
  • Marco Antônio Machado (guitarra e vocal)
  • Marcelo Freitas (guitarra)
  • Rafinha Muti (guitarra, voz solo e vocal)
  • Paulinho Vargas (guitarra e voz)
  • Cleber Sideron (baixo e vocal)
  • Rodrigo Munari (contrabaixo, voz solo e vocal)
  • Paulo Roberto "Padreco" (contrabaixo e vocal)
  • Paulo Feijó (baixo, voz solo e vocal)
  • Giovani Fraga (contrabaixo)
  • Marcos Noms (acordeon e teclados)
  • Edson Machado "Bobi" (gaita e voz)
  • João Luiz Corrêa (gaita e voz solo)
  • Renato Cunha (bateria e voz)
  • Marlon Castilhos (bateria e voz)
  • Mano Vargas (bateria)
  • Robson Bé (bateria)
  • Ariél Lopez (percussão aux.)
  • Venâncio Costa (percussão aux.)

Discografia[3][editar | editar código-fonte]

  • O Tchê Barbaridade é Assim (1989)[4]
  • Moça Fandangueira (1992)[4]
  • Ausência (1993)[4]
  • Vol. 4 - Ao Som de Um Gaitaço (1995)[4]
  • Campeiros & Apaixonados (1996)[4]
  • 10 Anos Mais Fandangueiro (1997)[4]
  • Gaitaço Brasileiro (1998)[4]
  • O Tchê Chegou! (2000)
  • 20 Grandes Sucessos Ao Vivo (2001)
  • O Tchê é 10! (2002)
  • Lá Vem o Tchê! (2003)
  • Na Palma da Mão (2004)
  • Tchê Amo - As Mais Românticas do Tchê Barbaridade (2005)
  • Série Duplo Pra Você (2005)
  • Sol do Meu Porto "Ao Vivo em Porto Alegre" (2006) (CD/DVD)
  • Regional Brasileiro (2007)
  • Tchê Mania Ao Vivo (2008) (CD/DVD)
  • Cante e Dance (2009)
  • Tchê Barbaridade - Volume 17 (2010)
  • 100% Gaúcho (2011) (CD/DVD)
  • Baile do Tchê (2011)
  • 100% Gaúcho Vol. 2 (2013)
  • Ao Vivo em Bento (2015) (CD/DVD)
  • Ao Vivo no Taim (2016)
  • O Gauchão Voltou! (2017)
  • Setembro (2018)
  • Festa do Tchê (2019)
  • O Tchê Chegou na Vacaria "Ao Vivo" (DVD) (2021)

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Açorianos[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Indicação Resultado
2002[5] Grupo de Música Regional Tchê Barbaridade Indicado
2006[6] Melhor DVD Ao Vivo em Porto Alegre Indicado
2011[7] Disco de Música Regional 100% Gaúcho Indicado
  • Disco de Ouro - Tchê Barbaridade 100% Vanera Ao vVvo[2]
  • Disco de Ouro - Tchê Music ZH
  • Disco de Ouro - Tchê Barbaridade - Na Palma da Mão

Referências

  1. «Tudo Junto & Misturado - Mas Bah Tchê! Isso não é coisa de gaúcho!». MTV Brasil. 16 de abril de 2009. Consultado em 13 de dezembro de 2009 
  2. a b «Tchê Barbaridade - Artistas da Semana». Band FM, Lajes, 94,3. Consultado em 13 de dezembro de 2009 
  3. «Discografia». tchebarbaridade.com.br. Consultado em 13 de dezembro de 2009 
  4. a b c d e f g «Grupo Tchê Barbaridade». Página do Gaúcho. 11 de abril de 1999. Consultado em 13 de dezembro de 2009 
  5. Prefeitura Municipal de Porto Alegre. «Indicados ao Prêmio Açorianos de Música - 2002». Consultado em 30 de abril de 2018 
  6. Prefeitura Municipal de Porto Alegre. «Indicados ao Prêmio Açorianos de Música - 2006». Consultado em 16 de abril de 2018 
  7. Prefeitura Municipal de Porto Alegre. «Indicados ao Prêmio Açorianos de Música - 2011». Consultado em 7 de maio de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]