Textos budistas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor melhore este artigo ou secção, expandindo-o. Mais informação pode ser encontrada nos artigos correspondentes noutras línguas e também na página de discussão.
Inscrições em pedra do Maior livro do mundo em Kuthodaw, Myanmar

Textos budistas foram inicialmente transmitidos oralmente pelos monges, mas posteriormente foram escritos e compostos como manuscritos em várias línguas indo-arianas que foram então traduzidas para outras línguas locais à medida que o budismo se espalhava. Eles podem ser categorizados de várias maneiras. Os termos ocidentais "escritura" e "canônico" são aplicados ao Budismo de maneiras inconsistentes pelos estudiosos ocidentais: por exemplo, uma autoridade[1] se refere a "escrituras e outros textos canônicos", enquanto outro[2] diz que as escrituras podem ser categorizadas em canônico, comentário e pseudo-canônico. As tradições budistas geralmente dividem esses textos com suas próprias categorias e divisões, tal como entre Buddhavacana "palavra do Buda", muitos dos quais são conhecidos como "Sutras", e outros textos, tais como Shastras (tratados) ou Abhidharma.

Esses textos religiosos foram escritos em muitos idiomas diferentes e escritas, mas memorizar, recitar e copiar os textos era de alto valor. Mesmo após o desenvolvimento da impressão, os budistas preferiram manter suas práticas originais com esses textos.[3]

Referências

  1. Macmillan Encyclopedia of Buddhism (Volume One), page 142
  2. Bechert & Gombrich, World of Buddhism, Thames & Hudson, London, 1984, page 79
  3. Lyons, Martyn, Books: A Living History, J. Paul Getty Museum, 2011, page 33