Torre de Vasconcelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde maio de 2016). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.

As ruínas da Torre de Vasconcellos, popularmente referida como Casa dos Mouros, e sua honra localizam-se na freguesia de Ferreiros, concelho de Amares, distrito de Braga, em Portugal.[1]

Edificada num esporão de terreno sobranceiro à ribeira de Bárrio, perto do lugar de Vasconcelos, as ruínas atualmente existentes, constituem os vestígios de um dos raros paços de origem românica no país.

Aqui viveu o poeta português do século XVI Sá de Miranda.[carece de fontes?]

No princípio do século XIX surge como seu proprietário Luís Machado de Mendonça Eça Castro e Vasconcelos, moço-fidalgo da Casa Real, com descendência nos condes da Figueira.[2]

Encontra-se classificada como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto 37077 de 29 de setembro de 1948.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que tenha sido edificada em meados do século XIII, por Pero Anes de Vasconcelos e Rodrigo Anes de Vasconcelos, este último nascido em 1230, casado com D. Mécia Rodrigues de Penela, e que foram os fundadores da Honra de Vasconcelos. Eram filhos de D. João Peres de Vasconcelos, "O Tenreiro", nascido em 1200, e de sua esposa, D. Maria Soares Coelho, nascida em 1210. Este, por sua vez era filho de D. Pedro Martins da Torre, nascido em 1160, e senhor da Torre de Vasconcelos e de D. Teresa Soares da Silva, nascida em 1160 e que foi a sua segunda esposa.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

Trata-se de uma estrutura do género "domus fortis", com a função de paço senhorial. A primitiva construção era constituída por uma torre - que servia de refúgio em caso de ataque - e, de um anexo residencial de planta retangular.

A torre apresentava planta quadrangular e, do que em parte se mantém, conserva o seu portal. Uma porta grande, rasgada no mesmo tipo de arcatura, que servia para fazer a ligação com o corpo do edifício anexo. Nas ruínas desta construção ainda existe uma grande porta em arco ogival.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.