Tribunal Especial para Serra Leoa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Tribunal Especial para Serra Leoa, também conhecido como o Tribunal Especial,[1] é um órgão jurídico criado pelo governo de Serra Leoa e coordenado pela Organização das Nações Unidas para processar e condenar os responsáveis pelas graves violações aos direitos humanos e as leis internacionais ocorridos em Serra Leoa[2] entre 30 de novembro de 1996 e a Guerra Civil de Serra Leoa. A língua de trabalho do tribunal é o Inglês. O tribunal está localizado em Freetown, Serra Leoa. Em 26 de Abril de 2012, o ex-presidente liberiano Charles Taylor tornou-se o primeiro chefe de estado africano a ser condenado por sua participação em crimes de guerra.[3]

Referências

  1. «Special Court for Sierra Leone». Consultado em 27 de abril de 2012. Arquivado do original em 19 de agosto de 2009 
  2. «Statute of the special court for Sierra Leone». Consultado em 27 de abril de 2012. Arquivado do original em 6 de maio de 2012 
  3. «Ex-presidente liberiano Charles Taylor condenado por crimes em Serra Leoa». Portal Terra 
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.