Tubérculo de Montgomery

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tubérculos de Montgomery

As Glândulas areolares ou Glândulas de Montgomery são glândulas sebáceas localizadas na aréola e em torno do mamilo. Estas glândulas produzem secreções sebáceas que mantém a aréola e o mamilo lubricado e protegido. Substâncias voláteis nas secreções podem servir de estímulo olfativo para o apetite dos bebês recém-nascidos durante o aleitamento.[1]

As porções da glândula visíveis na superfície da pele são chamadas de "Tubérculos de Montgomery". Estas protuberâncias arredondadas são encontradas na aréola e no próprio mamilo. Elas podem ficar expostas e maiores quando o mamilo é estimulado. A pele na superfície das glândulas é lubricada e tende a ser mais suave que o resto da aréola. Os tubérculos tornam-se mais pronunciados durante a gravidez.

O número de glândulas pode variar muito para cada indivíduo, geralmente com uma média de 4 a 28 por mamilo.[2]

Elas são nomeadas após o Dr. William Fetherstone Montgomery (1797–1859), um obstetra irlandês que foi o primeiro a descrevê-las em 1837.[3] [4]

Referências

  1. Doucet S; Soussignan R, Sagot P, Schaal B. (Outubro de 2009). "The Secretion of Areolar (Montgomery's) Glands from Lactating Women Elicits Selective, Unconditional Responses in Neonates" (em inglês) 4 (10). DOI:10.1371/journal.pone.0007579.
  2. «What are Montgomery's Tubercles?» (em inglês). Consultado em 7 de dezembro de 2012. 
  3. «Montgomery's glands or tubercles». Who Named It? (em inglês). Consultado em 7 de dezembro de 2012. 
  4. Montgomery, W. F.. (1837). "An exposition of the signs and symptoms of pregnancy".
Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.