Usuário Discussão:Alcides Eduardo/Testes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

--Alcides Eduardo (discussão) 11h20min de 1 de dezembro de 2016 (UTC)

                     "Do óvulo fecundado à aquisição de plena autonomia, sintetizada na plena inserção social através do trabalho e da alteridade encontrada na união conjugal, o ser humano trilha um longo caminho, chamado de infância . 
     A  infância é uma das fases da vida onde ocorrem as maiores modificações físicas e psicológicas. Essas mudanças caracterizam o crescimento e desenvolvimento (CD) infantil, e precisam ser acompanhadas de perto. O acompanhamento do CD indica as condições de saúde e vida da criança, visando a promoção e manutenção da saúde, bem como intervindo sobre fatores capazes de comprometê-la.












FASES DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL DOS 0-5 ANOS O crescimento infantil é normalmente medido por três parâmetros: altura; peso e perímetro cefálico. Todos este parâmetros encontram-se tabelados sendo definidos por curvas de probabilidade estatística chamadas percentis, correspondendo o percentil 50 ao crescimento normal. Altura É necessário assinalar a criança ao nascer as variações fisiologiacas que são muit maiores para o peso e para a altura,mais dependem muito dos hábitos alimentares e interação entre as hormonas produzidas pelas diferentes glandulas do sistema endócrino, em primeiro lugar pelo factor hereditário e o sexo. Um R/N mede cerca de 47/52 cm pelo que a altura normal ao nascer, está estabelecido aproximadamente em: i. 50cm para o sexo femenino ii. 51cm para o dexo masculino iii. Para avaliar o crescimento da criança durante o primeiro ano de vida diz_se que: 1. Nos primeiros 3 meses cresce 10cm 2. No 4º mês cresce 2cm 3. No 5º mês 1cm/ mês até um ano 4. Até um ano a altura da criança é de 75cm e chega a pesar 10kg 5. Aos 5 anos duplica o peso e volta a triplicar aos 14 anos aproximadamente. Para acharmos a altura do R/N usa-se a seguinte frómula: Alt=I X 5 + 80.

Pesagem A avaliação do peso na consulta, é muito importante a considerar.Quando a criança é chamada,pesada,e registada no cortão infântil e no livro de registo e de seguida avaliada as curvas,isto é se a criança esta a aumetnar de peso ou se esta em fora do caminho da saúde. Ao nascer o R/N mede entre: Sexo mascúlino 3.100kg Sexo femenino 3.300kg

Considera-se criança de baixo peso aquela que nasce com um peso aproximado entre 2.500kg.E macrofeto criança que nasce com um poso aproximado de 4.500kg.

O R/N na primeira semana de vida pode sofrer a chamada perda de peso,considera-se normal e é de 3-10% do seu peso ao nascer, esta perda de peso e divido a eliminação de liquídos acumulados no tubo digestivo durante a vida intra-uterina. A criança no 1º e 2º mês aumenta de peso Ao 6º mês duplica o peso ao nascer Ao 9º mês triplica o peso que teve ao nascer Apartir de 1 ano de idade,acha-se com base na seguinte fórmula: P=I X 2+8. Perimetros Interessa saber os perímetros :craniano;torácico e abdominal. O perímetro craniano determina-se medindo o valor máximo da cabeça; R/N mede 34cm 1 ano mede 46cm 3 anos mede 48cm Perímetro torácico mede-se a partir da altura dos mamilos em posição media entre a inspiração e a expiração. R/N mede32cm 1 ano 42cm 3 anos 46cm.



Fases do Desenvovimneto infantil dos 0-5 anos

O desenvolvimento de uma criança não acontece de forma linear. As mudanças que vão se produzindo ocorrem de forma gradual, são períodos contínuos que vão se sucedendo e se superpondo. Durante a evolução a criança experimenta avanços e retrocessos, vivendo seu desenvolvimento de modoparticular.

Acompanhamos a construção de sua personalidade respeitando que em cada idade há um jeito próprio de semanifestar.

Tanto antecipar etapas, como não estimular a criança, podem ser geradores de futuros conflitos.

Cabe a família e a ESCOLA conhecer e respeitar os passos do desenvolvimento infantil.

Dos 0-6meses de vida Desenvolvimento Físico: Processo de fortalecimento gradual dos músculos e do sistema nervoso: os movimentos bruscos e descontrolados iniciais vão dando lugar a um controle progressivo da cabeça, dos membros e do tronco; Por volta das 8 semanas é capaz de levantar a cabeça sozinho durante poucos segundos, deitado de barriga para baixo;

Controle completo da cabeça por volta dos 4 meses: deitado de costas, levanta a cabeça durante vários segundos; deitado de barriga para baixo começa a elevar-se com apoio das mãos e dos braços e virando a cabeça; 

Por volta dos 4 meses o controle das mãos é mais fino, sendo capaz de segurar num brinquedo;

Entre os 4 e os 6 meses utiliza os membros para se movimentar, rolando para trás e para frente; apresenta também maior eficácia em alcançar e agarrar o que quer ou a posicionar-se no chão para brincar; 
Desenvolve o seu próprio ritmo de alimentação, sono e eliminação; 
Desenvolvimento progressivo da visão;
Com 1 mês, é capaz de focar objetos a 90 cm de distância; 
Progressivamente será capaz de utilizar os dois olhos para focar um objeto próximo ou afastado, bem como de seguir a deslocação dos objetos ou pessoas; 
Entre os 4 e os 6 meses a visão e a coordenação olho-mão encontram-se próximas da do adulto; 
Desenvolvimento da função auditiva; 
Entre os 2 e os 4 meses, o bebê reage aos sons e às alterações do tom de voz das pessoas que o rodeiam; 
Por volta dos 4-6 meses, possui já uma grande sensibilidade às modulações nos tons de voz que ouve;

Desenvolvimento Intelectual: • A aprendizagem faz-se sobre tudo através dos sentidos; • Vocaliza espontaneamente, sobretudo quando está em relação; • A partir dos 4 meses, começa a imitar alguns sons que ouve à sua volta; • Por volta do 6º mês, compreende algumas palavras familiares (o nome dele, "mamã", "papá"...), virando a cabeça quando o chamam;

Desenvolvimento Social: • Distingue a figura cuidadora das restantes pessoas com quem se relaciona, estabelecendo com ela uma relação privilegiada; • Fixa o rostos e sorri (aparecimento do 1º sorriso social por volta das 6 semanas); • Aprecia situações sociais com outras crianças ou adultos; • Por volta dos 4 meses: capacidade de reconhecimento das pessoas mais próximas, o que influencia a forma como se relaciona com elas, tendo reações diferenciadas consoante a pessoa com quem interage. É também capaz de distinguir pessoas conhecidas de estranhos, revelando preferência por rostos familiares;

Desenvolvimento Emocional: • Manifesta a sua excitação através dos movimentos do corpo, mostrando prazer ao antecipar a alimentação ou o colo; • O choro é a sua principal forma de comunicação, podendo significar estados distintos (sono, fome, desconforto...); • Apresenta medo perante barulhos altos ou inesperados, objetos, situações ou pessoas estranhas, movimentos súbitos e sensação de dor. Dos 6 aos 12 meses Desenvolvimento Físico: • Desenvolvimento da motricidade: os músculos, o equilíbrio e o controlo motor estão mais desenvolvidos, sendo capaz de se sentar direito sem apoio e de fazer as primeiras tentativas de se pôr de pé, agarrando-se a superfícies de apoio; • A partir dos 8 meses, consegue arrastar-se ou gatinhar; • A partir dos 9 meses poderá começar a dar os primeiros passos, apoiando-se nos móveis; • Desenvolvimento da preensão: entre os 6 e os 8 meses, é capaz de segurar os objetos de forma mais firme e estável e de manipulá-los na mão; por volta dos 10 meses, é já capaz de meter pequenos pedaços de comida na boca sem ajuda, é capaz de bater com dois objetos um no outro, utilizando as duas mãos, bem como adquire o controle do dedo indicador (aprende a apontar);

Desenvolvimento Intelectual: • A aprendizagem faz-se sobre tudo através dos sentidos, principalmente através da boca; • Desenvolvimento da noção de permanência do objeto, ou seja, a noção de que uma coisa continua a existir mesmo que não a consiga ver; • Vocalizações; • Os gestos acompanham as suas primeiras "conversas", exprimindo com o corpo aquilo que quer ou sente (por ex., abre e fecha as mãos quando quer uma coisa); • Alguns dos seus sons parecem-se progressivamente com palavras, tais como "mamã" ou "papá" e ao longo dos próximos meses o bebê vai tentar imitar os sons familiares, embora inicialmente sem significado; • A partir dos 8 meses: desenvolvimento do, acrescentando novos sons ao seu vocabulário. Os sons das suas vocalizações começam a acompanhar as modulações da conversa dos adultos - utiliza "mamã" e "papá" com significado; • Nesta fase, o bebê gosta que os objetos sejam nomeados e começa a reconhecer palavras familiares como "papa", "mamã", "adeus", sendo progressivamente capaz de associar ações a determinadas palavras (por ex: tchau-tchau" - acenar); • A partir dos 10 meses, a noção de causa-efeito encontra-se já bem desenvolvida: o bebê sabe exatamente o que vai acontecer quando bate num determinado objeto (produz som) ou quando deixa cair um brinquedo (o pai ou a mãe apanha-o). Começa também a relacionar os objetos com o seu fim (por ex., coloca o telefone junto ao ouvido); • Progressiva melhoria da capacidade de atenção e concentração: consegue manter-se concentrado durante períodos de tempo cada vez mais longos; • A primeira palavra poderá surgir por volta dos 10 meses;

Desenvolvimento Social: • O bebê está mais sociável, procurando ativamente a interação com quem o rodeia (através das vocalizações, dos gestos e das expressões faciais); • Manifesta comportamentos de imitação, relativamente a pequenas ações que vê os adultos fazer (por ex., lavar a cara, escovar o cabelo, etc.); • A partir dos 10 meses, maior interesse pela interação com outros bebês; Desenvolvimento Emocional: • Formação de um forte laço afetivo com a figura materna (cuidadora) - Vinculação; • Presença de ansiedade de separação, que se manifesta quando é separado da mãe, mesmo que por breves instantes - trata-se de uma ansiedade normal no desenvolvimento emocional do bebê; • Presença de ansiedade perante estranhos: sendo igualmente uma etapa normal do desenvolvimento emocional do bebê, manifesta-se quando pessoas desconhecidas o abordam diretamente; • A partir dos 8 meses, maior consciência de si próprio; • Nesta fase é comum os bebês mostrarem preferência por um determinado objeto (um cobertor ou uma pelúcia, por ex.), o qual terá um papel muito importante na vida do bebê - ajuda a adormecer, é objeto de reconforto quando está triste, etc.

01 aos 02 anos Desenvolvimento Físico: • Começa a andar, sobe e desce escadas, sobe os móveis, etc. - o equilíbrio é inicialmente bastante instável, uma vez que os músculos das pernas não estão ainda bem fortalecidos. Contudo, a partir dos 16 meses, o bebê já é capaz de caminhar e de se manter de pé em segurança, com movimentos muito mais controlados; • Melhoria da motricidade fina devido à prática - capacidade de segurar um objeto, o manipula, passa de uma mão para a outra e o larga deliberadamente. Por volta dos 20 meses, será capaz de transportar objetos na mão enquanto caminha; Desenvolvimento Intelectual: • Maior desenvolvimento da memória, através da repetição das atividades - permite-lhe antecipar os acontecimentos e retomar uma atividade momentaneamente interrompida, à qual dedica um maior tempo de concentração. Da mesma forma, através da sua rotina diária, o bebê desenvolve um entendimento das seqüências de acontecimentos que constituem os seus dias e dos seus pais; • Exibe maior curiosidade: gosta de explorar o que o rodeia; • Compreende ordens simples, inicialmente acompanhadas de gestos e, a partir dos 15 meses, sem necessidade de recorrer aos gestos; • Embora possa estar ainda limitada a uma palavra de cada vez, a linguagem do bebê começa a adquirir tons de voz diferentes para transmitir significados diferentes. Progressivamente, irá sendo capaz de combinar palavras soltas em frases de 2 palavras; • É capaz de acompanhar pedidos simples, como por ex. "dá-me a caneca"; • As experiências físicas que vai fazendo ajudam a desenvolver as capacidades cognitivas. Por exemplo, por volta dos 20 meses; • Sabe que um martelo de brincar serve para bater e já o deve utilizar; • Consegue estabelecer a relação entre um carrinho de brincar e o carro da família; • Entre os 20 e os 24 meses é também capaz de brincar ao faz-de-conta (por ex., finge que deita chá de um bule para uma xícara, põe açúcar e bebe - recorda uma seqüência de acontecimentos e faz de conta que os realiza como parte de um jogo). A capacidade de fazer este tipo de jogos indica que está a começar a compreender a diferença entre o que é real e o que não é;

Desenvolvimento Social: • Aprecia a interação com adultos que lhe sejam familiares, imitando e copiando os comportamentos que observa; • Maior autonomia: sente satisfação por estar independente dos pais quando inserida num grupo de crianças, necessitando apenas de confirmar ocasionalmente a sua presença e disponibilidade - esta necessidade aumenta em situações novas, surgindo uma maior dependência quando é necessária uma nova adaptação; • As suas interações com outras crianças são ainda limitadas: as suas brincadeiras decorrem sobre tudo em paralelo e não em interação com elas; • A partir dos 20-24 meses, e à medida que começa a ter maior consciência de si própria, física e psicologicamente, começa a alargar os seus sentimentos sobre si próprio e sobre os outros - desenvolvimento da empatia (começa a ser capaz de pensar sobre o que os outros sentem);

Desenvolvimento Emocional: •Grande reatividade ao ambiente emocional em que vive: mesmo que não o compreenda, apercebe-se dos estados emocionais de quem está próximo dele, sobre tudo os pais; • Está a aprender a confiar, pelo que necessita de saber que alguém cuida dela e vai de encontro às suas necessidades; • Desenvolve o sentimento de posse relativamente às suas coisas, sendo difícil partilhá-las; • Embora esteja normalmente bem disposta, exibe por vezes alterações de humor ("birras"); • É bastante sensível à aprovação/desaprovação dos adultos.

2 aos 3 anos Desenvolvimento Físico: • À medida que o seu equilíbrio e coordenação aumentam, a criança é capaz de saltar ou saltar de um pé para o outro quando está a correr ou a andar; • É mais fácil manipular e utilizar objetos com as mãos, como um lápis de cor para desenhar ou uma colher para comer sozinha; • Começa gradualmente a controlar os esfíncteres (primeiro os intestinos e depois a bexiga); Desenvolvimento Intelectual: • Fase de grande curiosidade, sendo muito freqüente a pergunta "Por quê?"; • À medida que se desenvolvem as suas competências lingüísticas, a criança começa a exprimir-se de outras formas, que não apenas a exploração física - trata-se de juntar as competências físicas e de linguagem (por ex., quando faço isto, acontece aquilo), o que ajuda ao seu desenvolvimento cognitivo; • É capaz de produzir regularmente frases de 3 e 4 palavras. A partir dos 32 meses, já capaz de conversar com um adulto usando frases curtas e de continuar a falar sobre um assunto por um breve período; • Desenvolvimento da consciência de si: a criança pode referir-se a si própria como "eu" e pode conseguir descrever-se por frases simples, como "tenho fome"; • A memória e a capacidade de concentração aumentaram (a criança é capaz de voltar a uma atividade que tinha interrompido, mantendo-se concentrada nela por períodos de tempo mais longos); • A criança está a começar a formar imagens mentais das coisas, o que a leva à compreensão dos conceitos - progressivamente, e com a ajuda dos pais, vai sendo capaz de compreender conceitos como dentro e fora, cima e baixo; • Por volta dos 32 meses, começa a apreender o conceito de seqüências numéricas simples e de diferentes categorias (por ex., é capaz de contar até 10 e de formar grupos de objetos - 10 animais de plástico podem ser 3 vacas, 5 porcos e 3 cavalos).

Desenvolvimento Social: • A mãe é ainda uma figura muito importante para a segurança da criança, não gostando de estranhos. A partir dos 32 meses, a criança já deve reagir melhor quando é separada da mãe, para ficar à guarda de outra pessoa, embora algumas crianças consigam este progresso com menos ansiedade do que outras; • Imita e tenta participar nos comportamentos dos adultos: por ex., lavar a louça, maquiar-se, etc.; • É capaz de participar em atividades com outras crianças, como por exemplo, ouvir histórias;

Desenvolvimento Emocional: • Inicialmente o leque de emoções é vasto, desde o puro prazer até a raiva frustrada. Embora a capacidade de exprimir livremente as emoções seja considerada saudável, a criança necessitará de aprender a lidar com as suas emoções e de saber que sentimentos são adequados, o que requer prática e ajuda dos pais; • Nesta fase, as birras são uma das formas mais comuns da criança chamar a atenção – geralmente deve-se a mudanças ou a acontecimentos, ou ainda a uma resposta aprendida (as birras costumam estar relacionadas com a frustração da criança e com a sua incapacidade de comunicar de forma eficaz)

3 aos 4 anos Desenvolvimento Físico: • Grande atividade motora: corre, salta, começa a subir escadas, pode começar a andar de triciclo; grande desejo de experimentar tudo; • Embora ainda não seja capaz de amarrar sapatos, veste-se sozinha razoavelmente bem; • É capaz de comer sozinha com uma colher ou um garfo; • Copia figuras geométricas simples; • É cada vez mais independente ao nível da sua higiene; é já capaz de controlar os esfíncteres (sobretudo durante o dia); Desenvolvimento Intelectual: • Compreende a maior parte do que ouve e o seu discurso é compreensível para os adultos; • Utiliza bastante a imaginação: início dos jogos de faz-de-conta e dos jogos de papéis; • Compreende o conceito de "dois"; • Sabe o nome, o sexo e a idade; • Repete seqüências de 3 algarismos; • Começa a ter noção das relações de causa e efeito; • É bastante curiosa e investigadora;

Desenvolvimento Social: • É bastante sensível aos sentimentos dos que a rodeiam relativamente a si própria; • Tem dificuldade em cooperar e partilhar; • Preocupa-se em agradar os adultos que lhe são significativos, sendo dependente da sua aprovação e afeto; • Começa a aperceber-se das diferenças no comportamento dos homens e das mulheres; • Começa a interessar-se mais pelos outros e a integrar-se em atividades de grupo com outras crianças;

Desenvolvimento Emocional: • É capaz de se separar da mãe durante curtos períodos de tempo; • Começa a desenvolver alguma independência e autoconfiança; • Pode manifestar medo de estranhos, de animais ou do escuro; • Começa a reconhecer os seus próprios limites, pedindo ajuda; • Imita os adultos;

Desenvolvimento Moral: • Começa a distinguir o certo do errado; • As opiniões dos outros, acerca de si própria assumem grande importância para a criança; • Consegue controlar-se de forma mais eficaz e é menos agressiva; • Utiliza ameaças verbais extremas, como por exemplo: "eu te mato!", sem ter noção das suas implicações.

04 aos 5 anos Desenvolvimento Físico: • Rápido desenvolvimento muscular; • Grande atividade motora, com maior controle dos movimentos; • Consegue escovar os dentes, pentear-se e vestir-se com pouca ajuda;

Desenvolvimento Intelectual: • Adquiriu já um vocabulário alargado, constituído por 1500 a 2000 palavras; manifesta um grande interesse pela linguagem, falando incessantemente; • Compreende ordens com frases na negativa; • Articula bem consoantes e vogais e constrói frases bem estruturadas; • Exibe uma curiosidade insaciável, fazendo inúmeras perguntas; • Compreende as diferenças entre a fantasia e a realidade; • Compreende conceitos de número e de espaço: "mais", "menos", "maior", "dentro", "debaixo", "atrás"; • Começa a compreender que os desenhos e símbolos podem representar objetos reais; • Começa a reconhecer padrões entre os objetos: objetos redondos, objetos macios, animais...

Desenvolvimento Social: • Gosta de brincar com outras crianças; quando está em grupo, poderá ser seletiva acerca dos seus companheiros; • Gosta de imitar as atividades dos adultos; • Está a aprender a partilhar, a aceitar as regras e a respeitar a vez do outro; Desenvolvimento Emocional: • Os pesadelos são comuns nesta fase; • Tem amigos imaginários e uma grande capacidade de fantasiar; • Procura frequentemente testar o poder e os limites dos outros; • Exibe muitos comportamentos desafiantes e opositores; • Os seus estados emocionais alcançam os extremos: por ex., é desafiante e depois bastante envergonhada; • Tem uma confiança crescente em si própria e no mundo;

Desenvolvimento Moral: •Tem maior consciência do certo e errado, preocupando-se geralmente em fazer o que está certo; pode culpar os outros pelos seus erros (dificuldade em assumir a culpa pelos seus comportamentos)

Fases do crescimento e desenvolvimento infantil 1ª fase oral: A criança no seu primeiro de vida recebe o seu prazer atravez ds sucção.Um R/N cuja necessidade de sugar seja satisfeita e que obtenha dessa expêriencia as sensações agradavéis que acompanham a satisfação da fome desenvolvedesenvove confiança no ambiente como uma fonte de satisfação das necesidades. 2ª fase anal: o centro de toda a experiencias agradáveis fixa-se na região anal do corpo. A criança obtém prazer na capacidade de controlar os movimentos intestinal e a bixiga,grandes partes destes prazeres derivam dos pais,a nova habilidade adquirida pela criança. 3ª fase fálica:o prazer da criança centra-se na genitália,as crianças focalizam o prazer sexual.Durante este período aproximadamente entre 2 e 5 anos de idade,a um enloqui exagerado na mãe como objectivo de amor tanto por parte dos meninos e das meninas. 4ª fase da latência: é durante este período que a criança adquire habilidades e crenças altamente valorizadas,que lhe permetiram adaptar-se a sociedade. 5ªfase genital:quando surge a adolescência novamente s ascende o impulso sexual,todavia,durante este periodo o objectivo de satisfação de necessidade já não é a mãe, mais sim outros membros da famillia.desenvolvimento da criança